Coluna do Fajopa – Um Dia de Domingo

0
77

Nesse domingo dia 29 de Maio estou muito feliz, o São Paulo venceu o Palmeiras pela 4ª rodada do Brasileiro praticando aquele futebol que todos queremos ver, muita dedicação, marcação atenta, toques rápidos e belos contra-ataques, bem ao estilo que me acostumei a ver desde que me reconheço como são paulino, ou seja, desde que nasci.

Chamo atuações como essa de “imposição”, quando você taticamente transforma o adversário em mero coadjuvante dentro da partida, como a equipe campeã brasileira de 2007 sabia fazer como ninguém. O time começou mal, deu campo ao Palmeiras para que eles fizessem jogadas pelas laterais e nos primeiros dez minutos eles chegaram perigosamente em 3 momentos. Mas com o gol de Ganso, o Maestro, o São Paulo passou a tomar conta das ações e se a superioridade não foi tão visível no primeiro tempo, com um jogo bem equilibrado e com poucas chances para as duas equipes, mas a postura defensiva do São Paulo, bem postado em campo, me deixou bem animado.

Veio o segundo tempo e o Palmeiras fez duas substituições para o time ficar mais ofensivo, mas teve apenas duas chances em chutes de fora da área, um deles em que Denis deu um susto ao rebater bola fácil, mas foi com coragem no rebote para evitar o gol palmeirense. Foram cerca de 5 minutos de atendimento, toquinha para o Denis, pontos na cabeça depois do jogo, mas a partir daí o São Paulo dominou completamente o Palmeiras, demonstrando uma superioridade impressionante contra uma equipe que a imprensa festeja como uma das favoritas ao título. Fernando Prass evitou que o São Paulo construísse uma goleada e o jogo foi indo nessa toada, com 8 minutos de acréscimo.

Ao final do jogo festa dos jogadores, alegria dos torcedores, mas uma cena chamou a atenção de todos e demonstra como o São Paulo de Bauza tornou-se uma outra equipe desde a vexatória derrota para o Audax. Maicon chamou a atenção de Rogério, que havia entrado no final do jogo, mas foi precipitado ao chutar uma bola de fora da área quando tinha pelo menos 3 boas opções para passá-la. Rogério respondeu, Maicon falou mais grosso e Ganso precisou entrar no meio e evitar maiores problemas.

Na coletiva a imprensa só falava disso, Rogério foi um dos primeiros jogadores a sair dos vestiários e achou normal a discussão, mas foi Bauza que resumiu a discussão e mostrou para todos o real espírito vencedor desse grupo. Disse ter se encantado ao saber que isso tinha acontecido, pois ele queria ver os jogadores demonstrando que querem vencer sempre. Essa resposta talvez explique como um elenco desacreditado está na semifinal da Libertadores e está entre os primeiros do Brasileiro, apesar de ter atuado em duas partidas com reservas e nos outros dois jogos sem alguns titulares.

Se em um primeiro momento achei que Maicon exagerou em chamar a atenção de Rogério ainda dentro de campo, quando poderia fazer isso nos vestiários, depois das entrevistas dele, de Rogério e de Bauza, me rendi a importância daquela atitude. As entrevistas pós jogo só mostram que o treinador argentino tem o grupo em suas mãos e com sua experiência de duas Libertadores conquistadas com equipes não tão tradicionais, o sonho da Libertadores é bem possível.

Manter Maicon será fundamental enquanto a cada semana a equipe do Atlético Nacional vai se desmanchando, o que só mostra como o futebol sulamericano ainda engatinha quando comparado ao futebol europeu. A Libertadores deveria encerrar antes da Copa América, para que todas as equipes classificadas nessa etapa pudessem manter a sequência, mas infelizmente nossos dirigentes ainda são meros amadores cuidando de um esporte que deveria ser administrado com maior profissionalismo. Se em 2010 perdemos a toada com a paralisação da Libertadores após eliminarmos o Cruzeiro de maneira brilhante, talvez nesse ano seja a vez do time colombiano ser prejudicado perdendo seus principais jogadores. Mas assim é a vida…

A mesma crítica podemos fazer em relação aos dirigentes tupiniquins, em que a Seleção “rouba” jogadores importantes das equipes brasileiras enquanto o campeonato brasileiro continua. Um absurdo.

São 21h45, estou no último parágrafo dessa primeira coluna e faltam alguns minutos para mais um episódio de Game of Thrones, mas só consigo pensar na bela impressão que o São Paulo deixou hoje.

Como é bom voltar a vencer um clássico e convencer…

PS.: Essa coluna será publicada às 01h00 dessa segunda-feira, mas um outra coluna, compensando a que não escrevi semana passada irá ao ar ao meio dia.

Fábio José Paulo (FAJOPA) é economista, tem 41 anos, passou por São Paulo Mania, Site Proibido e SPNET (de 2003 à 2006), é pai da Thaís e escreve nesses espaços todos as segundas-feiras.

[email protected]

https://www.facebook.com/fabio.j.paulo.3

Comentários

comentários