Rampa B – SPNet, 20 anos

2
155

No dia 7 de maio de 2016 a SPNet completou 20 anos de fundação. Trata-se do mais antigo site dedicado ao São Paulo Futebol Clube na Internet em atividade, mas não o primeiro que surgiu. Antes haviam outros dois sites, um mantido por Fernando Akira Imura, então estudante da Unicamp. O outro era mantido por Vitor Vicente, aluno da PUC-SP.

Tanto o site de Imura como de Vitor possuíam conteúdo estático, como a maioria dos sites brasileiros naqueles primórdios da internet no Brasil. Apresentavam fotos do Morumbi e algumas informações sobre a história e o patrimônio do Tricolor. Não lembro com absoluta certeza quais destes sites surgiu primeiro, mas acredito que tenha sido o de Imura, que ficava no endereço http://www.fee.unicamp.br/~imura/SPFC.html.

A SPNet surgiu com a proposta de ser um site interativo, que permitisse a participação dos leitores, coisa que os outros sites tricolores não ofereciam, assim como praticamente todos os sites de futebol do Brasil na época também não ofereciam. Além do conteúdo estático sobre a história do clube, títulos, jogadores e patrimônio, a SPNet publicava notícias (algumas de fonte própria e outras reproduzidas da mídia convencional, sempre com o devido crédito), promovia enquetes, votações, grupo de discussão, publicava comentários de leitores que nos enviavam por e-mail, enfim, procurava interagir com os leitores.

SPNET LAGO TITICACA

Essa interatividade fez com que a SPNet se popularizasse rapidamente entre a comunidade são-paulina na internet da época. Passamos a publicar um jornal virtual, ou newslatter como chamam hoje, chamado SPNews. Em poucos dias já tínhamos 200 usuários cadastrados que recebiam o jornalzinho virtual com as notícias do Tricolor, principalmente sobre os jogos. O feedback que recebíamos era muito legal. Leitores que moravam no exterior comentavam que a SPNet era a principal fonte de informações que eles tinham para acompanhar o São Paulo. Havia leitores da SPNet nos Estados Unidos, na Europa e até na China.

Quando a SPNet entrou no ar, por volta das 15h do dia 7 de maio de 1996, o nome do site era “Tricolor Paulista Home Page”. Mudou de nome para SPNet mais ou menos um mês depois. Um dos leitores mais ativos e que sempre mandava sugestões era Luis Eduardo Martinez. Eu o convidei para me ajudar a tocar o site e ele passou a ser um parceiro importante naqueles primeiros meses da SPNet, inclusive acredito que foi Luis Eduardo quem sugeriu a mudança de nome do site de “Tricolor Paulista Home Page” para SPNet. Aos poucos outros são-paulinos, assim como Luis Eduardo, acabaram ingressando na “administração” da SPNet, entre eles Artur Couto (que toca o site até hoje e permitiu que a SPNet chegasse aos 20 anos), Alexandre Velame, Nilton Júnior, entre outros. Isso sem falar num sem número de colaboradores que, embora não participassem diretamente da administração do site, prestavam grande ajuda em outras atividades. Neste caso não me atrevo a citar nomes pois certamente poderia esquecer de alguém.

Na época o São Paulo não possuía site oficial e a SPNet se tornou a principal referência do clube na grande rede mundial de computadores, sendo citada inclusive na imprensa. O primeiro endereço da SPNet em 1996 foi http://www.geocities.com/Colosseum/4030/saopaulo.html. O dia 20 de fevereiro de 1998 marcou a estreia da nova casa da SPNet, o endereço que se mantém até os dias de hoje: http://www.saopaulofc.com.br. Um simpático gesto do São Paulo nos deixou muito felizes em 1996, quando recebemos uma carta do então vice-presidente do clube, o saudoso senhor Constantino Cury, que no momento em que assinou a carta era presidente interino, na qual elogiava o trabalho desenvolvido pela SPNet e que afirmava que a SPNet honrava as tradições do São Paulo.

Além do site, outra iniciativa da SPNet naqueles idos foi a criação do canal #saopaulo no antigo mIRC. Foi criado em janeiro de 1997 e no dia 15 de janeiro daquele ano “transmitimos” através do mIRC o jogo São Paulo x Boca Juniors. Foi o primeiro jogo da história do São Paulo a ser “transmitido” por uma ferramenta virtual, num tempo em que as transmissões em tempo real que vemos hoje nos grandes portais ainda não existiam. Ouvíamos o jogo no rádio e digitávamos os principais lances rapidamente no canal #saopaulo. Foi um sucesso e em dias de jogos do Tricolor o canal recebia um grande número de são-paulinos. A experiência do canal #saopaulo foi tema de uma reportagem publicada pela revista oficial do São Paulo na época, a revista São Paulo Notícias. O canal #saopaulo também era muito legal pela facilidade que ele oferecia em promover amizades entre são-paulinos espalhados por todos os cantos do Brasil e do mundo.

Em meados de 2002 a SPNet saiu temporariamente do ar, mas voltou com força total em setembro de 2003 com reforços de peso: Fajopa, Rodrigo Barão e Ricardo Shiro. Iniciava ali um novo ciclo para a SPNet.  A popularidade do site cresceu muito e nessa época o site passou adotar o slogan “O termômetro da torcida tricolor”. Se não estou enganado, esta frase foi cunhada pelo repórter da Band, Antonio Pétrin. O Fajopa pode explicar melhor isso. Na nova fase da SPNet, o site lançou uma campanha para construção de um busto em homenagem ao mestre Telê Santana no Morumbi. A diretoria do São Paulo não abraçou a ideia, mas acredito que objetivo foi atingido pois soubemos através da família de Telê que ele ficou muito feliz com a iniciativa da SPNet, e isso era o que realmente importava.

Outro momento marcante nestes 20 anos de SPNet foi a festa promovida pelo site em 18 de fevereiro de 2005, quando a SPNet homenageou diversos ícones da história tricolor, entre os quais Bauer, Azambuja, Roberto Dias, Rogério Ceni, Telê Santana (representado pelo neto) e Laudo Natel, entre outros. Diego Lugano também esteve lá, não lembro se foi um dos homenageados, mas abrilhantou a festa com sua presença. O ator Henri Castelli e o cantor Nazi também prestigiaram o evento. Naquele ano de 2005 a SPNet estava no seu auge e o ano também foi marcado pelas conquistas inesquecíveis do São Paulo dentro de campo: o tri da Libertadores e o tri mundial.

Enfim, parabéns a este site que surgiu em 1996 e até hoje permanece ativo apenas por amor ao São Paulo Futebol Clube.


Fernando AlécioFernando Alécio é jornalista. Fundou a SPNet em 1996. Escreve neste espaço aos domingos.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

 

Comentários

comentários

2 COMENTÁRIOS

  1. Excelente relato sobre os diferentes ciclos da SPNet.

    É preciso registrar que só foi possível a existência desse site histórico, em um período tão incipiente da Internet no Brasil, porque o Fernando Alécio sempre cultivou o hábito pela pesquisa dos dados do clube.

    Foi o material de pesquisa recolhido ao longo de anos, estatísticas, que ofereceram a possibilidade de uma database inicial para a SPNet.

    Naquela época a Internet era codificada em linguagem html, no bloco de notas, e somente verdadeiros programadores tinham o know how de empenhá-las. Apesar disso, o geocities foi um domínio que, em primeiro lugar, favoreceu o uso dessas ferramentas; popularizando mais a criação de homepages.

    Destaco também a existência do Fórum SPNet, que era uma lista de e-mails com os usuários catalogados pelo site, muito comum àquela época. Como as “redes sociais” não eram tão popularizadas ou ativas no Brasil, os spnautas costumavam se comunicar por essa lista do fórum.

    No canal #SaoPaulo, ocupei o posto de founder (administrador) durante um período, no mIRC, na Rede BrasIRC (depois foi criada também a BrasNet, que ficou mais popular). Além da transmissão de jogos, haviam também jogos de entretenimento com perguntas e respostas pelos clubes. Havia um relacionamento entre os sãopaulinos que redundaram em amizades, romances, e alguns deles se falam até hoje.

    Durante um período também editei o Jornal SPNet News, citado ainda no texto do Alécio, e queria agradecer um trabalho pioneiro de edição daquela formatação online a ser encaminhada do veículo para os emails, cujo responsável à época era Sérgio Neto. Com o conteúdo, tivemos como colaboradores ainda Luiz Augusto Creão e Cinthia Galvão.

    • Realmente, Alex, a SPNet tinha um conteúdo sobre a história do SPFC muito interessante, pena que as mudanças de servidores fez esse material se perder e hoje o site não tem mais isso. Quanto ao jornal SPNet News que você citou, este surgiu numa segunda etapa, a primeira versão acredito que era SPNews o nome, não lembro ao certo. Mas este que o Sérgio Neto colaborava foi uma segunda versão. Sobre o html, a primeira versão da SPNet foi feita num editor de HTML chamado “Hot Dog”, outros tempos…