O primeiro goleiro Santo do Brasil

3
203

Olá amigos, após a última coluna em que falei de Muller, “o craque que não é ídolo”. Resolvi falar do maior goleiro que vi jogar com a camisa do tricolor, o primeiro goleiro chamado de santo, o São Zetti.

1992
1992

Zetti realizava defesas milagrosas, em uma época em que times grandes tinham especialistas em cobrança de falta, como Marcelinho, Roberto Carlos, Neto, Valdo e outros que não marcavam tanto, mas que davam trabalho aos goleiros.

Lembro de um São Paulo x Corinthians em que para surpreender o adversário, Zetti armou a barreira do lado oposto, e se posicionou na direção da bola. Marcelinho Carioca foi surpreendido e sem poder de reação cobrou por cima da barreira e vendo onde a bola estava indo, Zetti realizou a defesa.

Mas foi em 1994 que assisti a “canalização” de Zetti e em sua primeira casa, o Parque Antártica. Confronto que envolvia além da rivalidade já histórica entre os clubes, tinha também a vontade de um treinador em subir de nível, querer ser igualmente reconhecido e chamado por todos de mestre, Luxemburgo x Tele Santana.

O Palmeiras atacou, criou, chutou, pressionou, mas nada, nenhuma bola passou por Zetti, lembro em certo momento que Edmundo chutou e Zetti no ar trocou as mãos e o narrador disse: “Até quando o Zetti vai agüentar, milagre!”.

Eu estava escutando no rádio voltando pra casa, pela TV assisti o primeiro tempo, cheguei no fim de jogo e ainda deu para ver alguns lances.

Não posso ser exato, mas Zetti deve ter defendido uns 15 ou mais chutes naquele jogo. Ah e mesmo assim o SPFC foi roubado, Euller o filho do vento sofreu um pênalti claro em que o juiz não marcou.

A coluna é para Zettti, mas para os que não viveram ou não se lembram, no jogo de volta no Morumbi, vencemos e avançamos até a final em que mais uma vez fomos roubados, pois somente na América do Sul um time não pode por méritos próprios ser tri-campeão da Libertadores, pois o juiz roubou na cara larga e no Morumbi.

Voltando…

Zetti conquistou dois mundiais, duas Libertadores, uma Supercopa Libertadores, duas Recopas Sul-Americanas, uma Copa Master da Conmebol, um Campeonato Brasileiro, dois Campeonatos Paulistas e vários torneios amistosos tradicionais na Europa, como Troféu Ramón de Carranza e o Troféu Teresa Herrera.

São fatos, lances e jogos como esses que usei que me fazem crer que Zetti é o meu melhor goleiro de todos os tempos pelo SPFC, sem falar que ele foi o primeiro grande goleiro a repor a bola com eficiência utilizando os pés. Saiu do Tricolor Paulista em 1996, sobre a saída dele irei escrever outro dia, merece uma coluna a parte, pois merece essa atenção.

SPFC10 ARQUIVO 13/12/92 ESPORTES OE - SAO PAULO FC - SAO PAULO XX BARCELONA, TOKIO, JAPAO - NA FOTO O JOGADOR RAI (D) DO SAO PAULO. FOTO ORLANDO KISSNER/AE
SAO PAULO X BARCELONA, TOKIO, JAPAO –

Armelino Donizetti Quagliato, nascido em 10 de janeiro de 1960, se tornou um multi-campeão com o São Paulo do Mestre Telê Santana e esse sim foi um craque e é um ídolo, além, de um santo.

Pitacos:

Ricardo Gomes: O culpado era o Osório com o seu rodízio maluco, depois foi o Bauza que é retranqueiro e não da padrão ao time e agora o culpado é do Ricardo Gomes que chegou e fará o seu terceiro jogo como treinador. Mas o cara manca e fala devagar, não pode ser treinador do SPFC. Essa opinião, não é minha, mas é de parte da torcida que no fundo é preconceituosa e o julga antes da hora, além de culpa-lo pelas derrotas.

Diretoria: Leco, já te elogiei aqui algumas vezes, assim como já o critiquei também. Mas “caraca” tome uma atitude, seja enérgico, Gustavo Vieira, obrigado, mas você não é ídolo e como dirigente é fraco, não dá mais! Ídolo é seu tio “Salve, Rei Raí!”.

Elenco1: Atenção cansados! MAC apareceu e falou o que os fracos diretores não tiveram coragem, ou moral para falar. Os cansados devem sair do clube; Leco acorda e traz o MAC novamente, ele já cumpriu a sua missão com o futebol feminino. E tenho certeza que em uma semana, os cansados se não mudarem de atitudes, serão afastados.

Elenco2: Cansados, foi o termo carinhoso para não chamar de laranja podre. Vou dar nomes, Bastos, Mendes e Bruno, se acham os donos do time, além de acharem que tem direito a lugar cativo. Após três anos, o São Paulo pode lutar para não cair novamente, mas dessa vez, não deve ter Muricy Ramalho que abandonou a carreira de treinador devido a sua saúde.

Autuori2: Tenho a sensação que Ricardo Gomes será o Autuori daquele momento, espero estar errado, assim como espero que o time não caia, mas…

2017: Mas uma vez o torcedor irá escutar que o elenco está em reformulação e que o processo será continuado em 2017, se esse ano o risco de rebaixamento acabar logo com algumas vitórias, quem sabe eles disputam a quarta vaga da Libertadores.

Ceni a parte: Rogério Ceni, por mérito ao tempo de serviços prestados, títulos e recordes conquistados é um M1to! Você pode achar ele prepotente, mala, ou simplesmente não gostar dele. Mas ele é M1to é a parte, como diz o Pep que se julga o maior artilheiro da históra do Santos, pois Pelé era um extra-terreste.

Bem amigos, é isso! Espero que tenham gostado da coluna.

Comentários

comentários

3 COMENTÁRIOS

  1. Grande Reinaldo,

    Excelentes lembranças sobre Zetti. De fato, no jogo contra o Palmeiras teve um chute do Evair que ele foi pegar na gaveta. Também lembro deste jogo que ele inverteu a barreira pra confundir o Marcelinho.
    E hoje nem goleiro profissional temos. Hehehe

    O Leco é um presidente interino de consenso, se não fosse ele estávamos fritos. Ninguém teria um nome tão forte pra aguentar essa pressão.

    O MAC é corrosivo para o São Paulo, aproveita de algum prestígio que goza dos torcedores para promoção política e não é um bom vereador, em minha avaliação.

  2. Sem dúvida o Zetti foi o maior goleiro de todos os tempos, não era papudo, não puxava o tapete dos colegas e dos técnicos, não tinha inimizades, não ajoelhava, não virava o rosto quando o atacante vinha, não dava golpe de vista e o mais importante nunca deu aguinha para os adversários.