Segundas Tricolores – Algumas Considerações

6
3543

A partida do último sábado foi histórica para o Tricolor. E por vários motivos: estádio lotado, torcida apoiando a todo o momento, o show que foi a apresentação do Cueva e, claro, o placar elástico raro de se ver em clássicos.

Apesar de todos os programas esportivos terem analisado o jogo, comentaristas mais gabaritados já terem emitido suas opiniões, eu gostaria de falar sobre algumas coisas que vi na goleada. Acho que o meio campo, sem o Hudson, ficou mais leve e mais criativo. Considero que o João e o Thiago Mendes, juntos, atuaram de maneira extremamente competente e melhoraram seu nível de futebol. Um fator extremamente importante e positivo para o time do São Paulo.

A subida de produção desses dois atletas, por tabela, ajudou muito no crescimento de outro atleta: Cueva. Com os volantes atuando melhor, ajudando a armar algumas jogadas, “rodando” a bola pelo meio, os espaços começaram a aparecer e, nessa brecha oferecida pelo Corinthians, o peruano deitou e rolou.

Conforme o jogo ia se desenvolvendo, com o São Paulo rodando bem a bola pelo meio campo, a marcação do Corinthians foi ficando completamente desnorteada e o nosso camisa 13 fez o que quis. Com um sangue frio ímpar ele deu uma cavadinha desmoralizadora no pênalti (que é um lance discutível, mas é a vida)  e depois arrumou várias bolas, embora só 3 tenham entrado na meta alvinegra. Uma atuação de gala do peruano.

A dedicação demonstrada desde o primeiro minuto também é digna de lembrança e elogio, afinal, por mais que seja a obrigação dos jogadores correr os 90 minutos, eles o fizeram de maneira bastante competente. A molecada, com o sangue tricolor correndo nas veias, também representou de maneira intensa e raçuda as nossas cores. Neres, Araújo, Schmidt, Rodrigo Caio e Pedro são o futuro. Precisamos cuidar com muito carinho desses meninos e apoiá-los, mesmo quando forem mal, como foi o caso do jogo contra o América-MG.

Os Sinalizadores: Tema de muita discussão e bastante debate dentro da própria torcida Tricolor, eu tenho uma opinião bastante simples sobre o tema: se está na regra, se virou “Lei”, então não pode. Chego ao extremo de dizer que, se eu fosse o responsável por distribuir as punições, eu seria um “carrasco”. Todo mundo sabe que não pode, todo torcedor sabe da proibição e, MESMO ASSIM, insistem em prejudicar o próprio clube.

A festa é bonita? Sim, é linda! O estádio fica mais legal? Opa, fica sensacional! Mas não pode. É regra, é determinação de segurança e é regulamento. “AH…MAS ÓDIO ETERNO AO FUTEBOL MODERNO, DEVOLVAM NOSSO PATRIMÔNIO, ISSO É DIVERSÃO DO POVO”. Gente, com todo respeito, que argumentação ridícula.

Sinalizadores na torcida do São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)

No “futebol antigo” colocava-se mais de 100 mil pessoas em estádios que não tinham condição de receber esse público. Aconteciam coisas que colocavam em risco a segurança dos torcedores, dos amantes do futebol e de todos que estavam por perto. É claro que os mais antigos vão sentir falta desse tempo, mas tudo evolui. Futebol virou negócio e, como tal, precisa dar dinheiro, ser profissionalizado e, CLARO, ser seguro.  Falarei mais do tema em outra oportunidade.

O Torcedor Que Matou Uma Galinha A Pauladas: Idiota. Apenas isso. O quê o pobre animal fez para merecer essa atitude? Nada, apenas um torcedor acéfalo, com a camisa do SPFC envergonhou toda a nação com essa falta de senso. Bizarro.

E 2017? Acho que será o ano da aposta na molecada. Não sei se dará certo, afinal, tudo pode acontecer no futebol, mas não temos dinheiro, os times do Brasil já começam a contratar e anunciar atletas e estamos para trás. Enquanto o rival Palmeiras fala em Borja para a Libertadores, ainda não falamos em nenhum nome possível. Só em Nem, Pratto, Nilmar e vários outros que o torcedor sabe que são impossíveis. Precisamos de PÉ NO CHÃO e não errar na hora de contratar, como diria o MAC.

É isso!

Contato?

@Abroliveira ou [email protected]

Abrahão de Oliveira é jornalista, formado pela Universidade Metodista de São Paulo, dono da @spinfoco, são-paulino e tem o sonho de cobrir um mundial de clubes com o clube do coração. 

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

Comentários

comentários

6 COMENTÁRIOS

  1. O João Schmidt precisa marcar mais. Fica muito frouxa a marcação quando não está o Húdson protegendo a zaga, ao meu ver.

    Parabéns pela coluna, única ponderação que faço é que você não deveria ter escrito sobre os sinalizadores e galinha. Sou um pouco mais radical e acho todos idiotas os envolvidos, e não se deve dar ibope aos mesmos.

    Se o clube for punido os babacas dos sinalizadores atingiram seu objetivo.