Coluna do Fajopa – Começa a Era Rogério Ceni

1
770

Em 2017 o São Paulo Futebol Clube entrará em uma nova etapa de sua brilhante história, que espero que seja duradoura, a Era Rogério Ceni Treinador.  Há cerca de 45 dias fiz um texto falando sobre a possibilidade do eterno Mito vir a ser o novo treinador do time, o que para muitos era sinal de amadorismo, eu enxergava de outra maneira, uma tentativa válida dentro da pasmaceira do mercado de treinadores brasileiros de encontrar um novo caminho, por incrível que pareça, mais profissional. Abaixo o link da minha coluna de 45 dias atrás:

Coluna do Fajopa – Rogério Profissional, Diretoria Amadora

Vejo três motivos para que o nome de Rogério fosse o escolhido:

1) A Diretoria Tricolor já sinalizava que a experiência com treinadores estrangeiros seria interrompida depois de perdermos dois treinadores para Seleções (Osório para o México e Bauza para a Argentina). Com o fracasso da passagem de Ricardo Gomes e os nomes disponíveis no mercado, a opção por “algo diferente” se impunha;
2) Pela vontade de estudar na Europa e sua vontade em se tornar treinador do próprio São Paulo, amparada pela sua enorme experiência de quase 20 anos como titular do gol Tricolor e pelo projeto que deve ter apresentado, sua escolha passou a ser o “algo diferente”, apesar de “previsível”;
3) Leco com Rogério pode se proteger politicamente depois de um ano com resultados ruins dentro de campo e confusões administrativas. 2017 será ano de eleições e do início de um novo Estatuto e uma nova forma de administração do clube, ou seja, um ano fundamental para o nosso futuro.

As primeiras palavras na apresentação, as primeiras notícias, as primeiras entrevistas e as primeiras aquisições são animadoras, principalmente o inglês Michael Beale, diretamente do Liverpool, que parece que será o braço direito de Rogério Ceni. Uma grande experiência em categorias de base, livros sobre futebol escritos, será com certeza alguém que olhará com muito carinho para os times Sub-17 e Sub-20, categorias em que o São Paulo vem dominando nos últimos tempos.

Na minha coluna eu deixava claro que não achava que Rogério poderia ser alguém que usaria a base, pois chegaria com a pressão por resultados e por isso sairia pedindo jogadores mais rodados, mas nesse quesito o Rogério treinador vem fazendo diferente do que eu imaginava. Vem acompanhando os jogos da base, já citou nominalmente vários desses jogadores e deverá fazer um trabalho semelhante ao que o Cilinho fez em 84/85, quando mesclou jovens com jogadores experientes e promissores, formando a base dos Menudos do Tricolor. Neres e Luiz Araújo são realidades, Shailon, Militão, Junior, Caíque, entre outros também poderão ter chances em 2017.

Ele quer alguns jogadores pontuais em algumas posições, que junto com os mais experientes e os estrangeiros, possa tornar a integração da molecada mais natural. Para nossa sorte, por incrível que pareça, teremos apenas o Paulista para nos preocuparmos nos primeiros meses, o que pode ajudar a formar esse sonhado time, que acredito que estaria pronto para os títulos apenas em 2018.

Terá o torcedor Tricolor a paciência de ver em campo um time talentoso mas talvez ainda inexperiente para os títulos?

Um bom brasileiro com uma vaga na Libertadores já seria um ótimo resultado inicial, por isso o torcedor Tricolor tem que ter claro que Rogério Ceni tem uma carreira vitoriosíssima, mas não é milagreiro ou o Rei Midas, chegará ao clube sabendo da situação financeira e do elenco que tem atualmente em mãos e irá trabalhar com sua equipe em busca de evolução e de vitórias.

Taticamente ele parece se inspirar nos times de Osório e de Sampaoli, times ofensivos, corajosos e com marcação alta, que dependem do preparo físico e da dedicação física e tática de seus comandados. Michael Beale talvez traga um pouco de pragmatismo para esse início de trajetória de Rogério.

Por tudo isso espero com muita ansiedade pelos primeiros jogos do ano de 2017, acho que talvez possamos testemunhar o surgimento de um sopro de modernidade no combalido futebol brasileiro.

O torcedor Tricolor será fundamental, acredito que o fator Rogério atrairá ótimos públicos mesmo no Paulistão e o próprio Ceni já deixou claro que a torcida será fundamental para os jogos em casa.

Vamos fazer nossa parte?

Por Fábio José Paulo, o FAJOPA, nascido em uma família de são paulinos e que lembra de momentos de sua vida sempre em paralelo com jogos e vitórias do Tricolor. Junto com outros são paulinos criou o Manifesto Tricolor em 1999 e passou por sites como São Paulo Mania, versões pontocom e pontocom.br, Site Proibido e SPNet. Tem como um orgulho ter sido “processado” por Paulo Amaral, ex-Presidente do São Paulo entre 2000 e 2002 e derrotado por MPG por apenas 3 votos. Virou opositor à Juvenal quando embarcou na onda ditatorial do terceiro mandato, grande culpado pela situação que vivemos nos últimos anos. No twitter @FAJOPA, no facebook procurem por Fábio José Paulo (FAJOPA). Meu e-mail é [email protected]

Comentários

comentários

1 COMENTÁRIO