Febre Tricolor – Padrão formado

0
468
Volante vindo do Fluminense pode ser terceiro zagueiro

Meus amigos, fui convidado pelo rei da corte Artur Couto pra escrever colunas no aniversário de 20 anos da SPNet – o Termômetro da Torcida Tricolor, e temos aqui o último dia desse ano comemorativo. Este pedido veio porque fiz parte da história desse site desde 1997 e, com muita honra lhes escrevo às 23h deste dia de Reveillon. Quero dizer a vocês que o padrão Rogério Ceni está construído, com peças novas para cada posição carente.

O último reforço contratado foi Cícero. Volante e meia que jogava pelo Fluminense, veio em empréstimo de duas temporadas. Vai ajudar a Christian Cueva organizar o meio campo. Nem um nem outro é camisa 10, mas os dois juntos deixam o meio mais organizado. A bola chegará com qualidade, pois ambos saberão fazer isso. Um time não precisa de estrelas, mas organização em cada setor.

Além de Cícero, o Tri-Mundial teve Neílton, Wellington Nem e Sidão como novidades. Imagino que dois deles serão titulares. Nem pela qualidade e Cícero pela versatilidade. Entendo que os quatro deveriam ser e vou explicar. Minha aposta é que Rogério Ceni jogará num 3-4-3. Cícero pode ser até zagueiro pela esquerda. O da direita será Breno, se Rodrigo Caio for vendido. Maicon ficará na sobra ou na direita, dependendo da condição física de Breno.

O meio do São Paulo terá Buffarini, Thiago Mendes, Cueva e Júnior Tavares, pelo que tenho acompanhado nos noticiários. A principal dúvida é na lateral esquerda. No ataque é que Ceni poderá dar o pulo do gato. Sugestão deste colunista é ter Nem na esquerda, Neílton como falso 9 e David Neres na direita. Imagino, porém, que Chavez será titular – o que não é errado.

Competitividade

Se olhar no papel o São Paulo não tem o nível de outros anos. Nem de perto se compara ao time com Kardec, Pato, Ganso, Luís Fabiano e Kaká. Mas as contratações foram feitas em setores diversos e carentes: goleiro, volante, atacantes. Entendo que o São Paulo contratou dentro da possibilidade de mercado, mas necessita de um centroavante. Rogério Ceni precisará extrair leite de pedra.

Creio, porém, que se o Tricolor emplacar taticamente com essa equipe poderá alcançar boa condição nesse ano. Não há pressão para início de trabalho, devido a competições inexpressivas. É hora do treinador fazer valer os R$ 24 milhões anuais investidos na base e no CT de Cotia, que tem acumulado títulos.

Contato:

@RealVelame ou [email protected]

Alexandre Velame é Jornalista e Advogado, são-paulino há quase três décadas e usuário da SPNet desde 1997. Escreve nesse espaço aos domingos.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

Comentários

comentários