A Palavra da Corte – 2016: um Ano pra NÃO esquecer

0
843

Salve, salve, Nação Tricolor! E aqui estamos para nossa derradeira coluna do ano, já quase ao apagar das luzes de 2016.

Um ano que pessoalmente pra mim foi muito bom, tirando o SPFC, não tenho mesmo do que que reclamar. Deus foi bondoso e aqui a crise passou longe, graças a Deus.

Mas quando um ano é ruim, muita gente diz a célebre frase: um ano pra esquecer! Eu acho que é importante se tirar o máximo proveito dos fracassos e derrotas, principalmente para aprender o que foi feito de errado e tentar fazer diferente mas também para não repetir os erros.

E foi um ano terrível pro SPFC! Fomos humilhados pelo modesto (mas eficiente) Audax no Paulistão. Chegamos a literalmente sonhar com a Libertadores – a verdade é que nos iludimos – e até mesmo garfados nas semis contra o campeão Atlético Nacional. Tivemos a grata surpresa que foi Calleri, que infelizmente nos deixou. Fomos deixados na mão por Bauza. A vinda de um fraco Ricardo Gomes. E tivemos um terrível Brasileirão, namorando com a zona do rebaixamento durante um bom tempo. Só mesmo após a vitória contra o Fluminense no RJ é que passamos a respirar de forma definitiva, passando pela deliciosa goleada contra o time sem cor.

Fora do campo, uma catástrofe! Nunca a política Tricolor foi tão vergonhosa, com uma situação fazendo praticamente tudo errado, e uma oposição desarticulada e fragmentada, sem uma liderança forte e agregadora. Nunca o nome do Mais Querido esteve tanto nas páginas dos jornais com escândalos, denúncias, bate-boca entre conselheiros, etc. Deixamos pra trás – e faz tempo – a fama de time diferenciado, de vanguarda, onde todos querem vir jogar.

Pelo contrário, o mercado da bola agora de fim de ano mostra que não só não atraímos mais jogadores de ponta como sequer temos condições de pagar a esses.

É claro que devemos comemorar o novo Estatuto, que entrará em vigor em 2017, com a promessa da profissionalização e do avanço em diversas frentes no clube. A vinda de patrocínios interessantes que trouxeram uma grana que não estava entrando nos últimos anos.

E Rogério Ceni. Muitas expectativa com o início da carreira do M1TO como técnico do Tricolor. A promessa da utilização de jogadores da categoria de base, que entrega uma geração de 1996 super-campeã e que necessariamente não pode mais continuar na base a partir de 2017. Além da necessidade mesmo de utilização, já que as contratações estão sendo escassas.

Enfim, 2016 é um ano pra se lembrar. Lembrar os erros, fiascos e sustos, para que não tenhamos o dissabor que os colorados terão em 2017 de encarar uma série B.

É hora de voltar a vencer, SPFC. Ganhar um “Paulistinha”, que jocosamente é desprezado pela maioria dos são-paulinos mas que sempre fez parte de nossas tradições. Chegou a hora de finalmente ganhar a Copa do Brasil, um título que não temos. E fazer um Brasileirão digno de nossa camisa e história, sem sustos e sem desespero.

É isso.

Desejo a você um fantástico 2017! Que Deus abençoe a você, sua família e a todos que você ama. E seja feliz!

Salve o Tricolor Paulista, meu amor hoje e sempre!

artur thumbArtur Couto é engenheiro,  sócio-torcedor e sócio do SPFC,  e é administrador da SPNet. Escreve nesse espaço todas as quartas-feiras.

Siga-me no [email protected]

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

Comentários

comentários