A volta de Calleri é um sonho de uma noite de verão

0
776

ESPNFC.com.br

Pedro Cuenca

Calleri ficou pouco tempo no São Paulo, apenas seis meses. Foi tempo suficiente para a torcida gostar do jogador e o amor ser correspondido. O argentino saiu após a Libertadores, foi para o West Ham, mas seu nome continua sendo ecoado pelos corredores do Morumbi. O grito de “toca no Calleri que é gol” ainda sai naturalmente das bocas tricolores. E aí surgiu a chance de sua volta.

O atacante nunca nos abandonou. Mesmo na Inglaterra, mandava vídeos cantando músicas tricolores, dizia que estava de olho nos jogos do time e enfatizou em muitos momentos seu desejo de um dia voltar ao São Paulo. Mas, como nossos pais sempre dizem desde que somos crianças, querer não é poder.
Calleri quer voltar ao São Paulo. Os tricolores querem a volta do atacante. O pai do jogador também. Isso é um bom começo, mostram que estão em sintonia, mas nos faz esquecer que existe um clube que hoje o emprega e investidores que colocaram dinheiro no atleta e não querem ficar no prejuízo.

 

O grupo de empresários pagou uma bolada em dólares para ter Calleri como seu jogador, o colocou no Deportivo Maldonado, do Uruguai, e depois o emprestou para São Paulo e West Ham. Acham mesmo que eles vão aceitar o prejuízo com o jogador saindo da Europa, em um enorme centro como a Inglaterra, e aceitando voltar para o Brasil apenas por amor? Claro que não, né? Mesmo que aceitem essa loucura, o Tricolor acabaria tendo que pagar alguma coisa e dinheiro não está jorrando nas fontes do Morumbi.

Logo, o caminho mais possível de Calleri seja em algum clube europeu nessa janela de transferências. O Las Palmas, da Espanha, já demonstrou interesse no atleta. Além disso, não podemos desconsiderar sua permanência no West Ham, principalmente se o técnico Slaven Bilic, que o ignora há meses, sair do comando e alguém novo entrar no clube. O Sevilla, meses atrás, também surgiu como opção. Nomes e lugares não faltam, claro.

O carinho encontrado no Morumbi não vai aparecer novamente na vida de Calleri, talvez nem mesmo no Boca Juniors. Foram alguns gols, a maioria importante, mas nenhum título, infelizmente. A vontade é de voltar, mas não podemos nos iludir com a situação. É difícil, praticamente impossível, mas nada nos impede de torcer. Calleri, porém, neste momento, não passa de um sonho no infernal verão de janeiro.

 

Gazeta Press

Gazeta Press
Calleri se foi, talvez não volte tão cedo, mas o seu coração ainda é tricolor

Comentários

comentários