[SPFC em Pauta] – 20 anos do primeiro gol do M1TO

Por que não vemos mais goleiros batendo falta?

0
309
Estádio Herminio Ometto, em Araras, palco do primeiro gol de Rogério Ceni

Mais de 100 gols na carreira (131 oficiais pra ser mais exato), mais de 1000 jogos (1238 pra ser mais exato²) e o atual técnico do São Paulo, mas porque eu escolhi falar de Rogério Ceni na coluna de hoje? Pois bem, ontem, dia 15 de Fevereiro fez 20 anos do primeiro gol de Rogério Ceni, aquele no Estádio Hermínio Ometto em Araras pelo Paulistão de 1997, vencemos por 2 a 0 com ele abrindo o placar no fim do primeiro tempo e no segundo tempo, o lateral Serginho ampliou de pênalti. Daí pra frente todos sabem da história, né?!

Rogério marcou gols importantes, históricos, gols até que salvaram o time da derrota ou até mesmo do empate, um dos primeiros gols mais importantes foi ainda em 1997 contra o Paraná Clube no Morumbi pelo Brasileirão daquele ano, no empate de 4 a 4 o São Paulo perdia o jogo ainda por 3 a 2 quando Rogério bateu a falta que empatou o jogo, outro importante foi dia 28 de Março de 1998 contra o Santos, primeiro gol dele pra cima de Zetti que na época de São Paulo era seu companheiro de quarto, e porque não professor? Foi seu primeiro gol em clássicos, já o segundo foi no Morumbi contra o Palmeiras, o último gol de empate no 4 a 4. De gols importantes, um deles foi na vitória de 3 a 2 pra cima do Al-Ittihad na semi do Mundial de Clubes em 2005, de pênalti. O gol de número 63 na carreira contra o Palmeiras na Libertadores de 2006, de pênalti também que tornou o maior goleiro-artilheiro da história do Futebol (pela lista da FIFA, oficialmente foi contra o Cruzeiro no Brasileirão de 2006), já que em 2003, Chilavert que era o maior goleiro-artilheiro fez seu último gol de numero 62 pelo Peñarol no campeonato Uruguaio na vitória por 5 a 2 sobre o Deportivo Colonia de falta. Mas aí lembro vocês: pra mim, pra outros torcedores também e pra muitos jornalistas (até não são-paulinos, ou não declarados) o gol nessa história que mais fez chorar, comemorar, gritar, falo com toda certeza que foi aquele do dia 27 de Março de 2011, quase seis anos atrás na Arena Barueri, contra um certo time que até então não tinha história (… e hoje tem?), na falta sofrida por Fernandinho e que o M1TO atravessou o campo todo pra bater, lembram né?!

Adinam, hoje é preparador de goleiros do Desportivo Brasil

Mas vamos voltar ao primeiro gol, em 1997 o goleiro do União São João era o Adinam, time esse tradicional de São Paulo, que chegou a disputar a Série A do Brasileirão e hoje não existe mais, fechou suas portas e o estádio em que presenciou o primeiro gol do M1TO em Araras, está praticamente abandonado. O goleiro declarou em uma entrevisa que “20 anos atrás você não tinha uma novidade dessas” e também que “No começo, todo mundo zoa”, disse ele, que lembra de ter tomado bronca até do presidente do clube na época. Mesmo depois de tantos anos, o goleiro lembra detalhes de quando, aos 45 minutos do 1º tempo de uma partida pelo Campeonato Paulista, o juiz Wilson de Souza Mendonça apitou uma falta na entrada da área e um então não muito conhecido goleiro adversário atravessou o campo para cobrá-la. O ex-goleiro ainda falou com a emissora de tv sobre o tal dia onde começávamos a conhecer o goleiro que viraria M1TO, “A minha sorte é que depois ele fez mais de 99 pra frente, no começo é sempre estranho porque você não sabe qual vai ser a sequência. Mas no caso do Rogério foi uma sequência vitoriosa, talvez seja o único goleiro que vá fazer gol em Campeonato Paulista, Brasileiro, Sul-Americana, Libertadores e Mundial.”, depois disso os dois ainda se reencontraram pelos gramados, mas em todas “até que foi normal” conta Adinam, que inclusive ganhou alguns dos confrontos, como em 2001 quando defendia o Sport e, na Ilha do Retiro, bateu o São Paulo por 1 x 0 e ainda conta que “Tinha que começar com alguém e acabou acontecendo comigo, no União São João, há 20 anos”.

Estava pensando aqui, analisando tudo isso, qual será o motivo que não vemos mais goleiros baterem falta ou pênalti? Muito se falou na época que Rogério abriu uma era e as portas para outros goleiros tentarem fazer o mesmo, Chilavert talvez (quase certeza) abriu essa era para Rogério, muitos goleiros até falavam que se espelhavam em Rogério para cobrar faltas, lembram do goleiro Jorge Miguel em uma das edições passadas da Copinha que batia faltas e pênaltis pelo São Paulo? Hoje ele tem 29 anos, tá no Gama. Rogério Ceni pode ter aberto a era mas também fechado, hoje em dia os únicos goleiros que temos conhecimento que ainda batem falta e pênalti no Brasil são, o Márcio, que após 10 anos de Atlético-GO foi contratado esse ano pelo Goiás e tem 38 gols, é o sétimo maior goleiro-artilheiro do mundo e o Tiago Campagnaro que tem 18 gols marcados e tá no Red Bull Brasil, e só, nem goleiros internacionais não temos mais notícias de que batem faltas, pênaltis e nem que treinam. Tivemos também gols de goleiros lendários como Jorge Campos e René Higuita e que estão no Top 5 de goleiros-artilheiros, um com 40 gols e um com 41, sendo assim quarto e terceiro lugares no ranking respectivamente.

Ano passado, ouve boatos de que Denis (ele mesmo) estava treinando faltas e pênaltis, chegou a bater até uma falta contra o Cruzeiro mas parece que ficou só em “ensaios” mesmo, não foi pra frente.

Rogério fez ao todo 131 gols, sendo 62 de falta, 69 de pênalti. O ano que mais marcou foi em 2005 onde foi até o artilheiro do time na temporada com 21 gols. As equipes que mais tomaram gols foram Cruzeiro e Palmeiras com sete cada um. O último foi em 26 de Agosto de 2015 no Castelão na vitória sobre o Ceará pela Copa do Brasil por 3 a 0.

Abaixo eu deixo alguns dados dos gols marcados pelo Rogério nesses 20 anos, pra quem ainda não sabe ou não viu.

Falta: 61 (2 gols não-oficiais)
Pênalti: 70 (1 gol não-oficial)
Bola rolando: 1

124 jogos oficiais competitivos
Vitórias: 92 jogos – 94 gols (50 pênaltis e 44 faltas)
Empates: 23 jogos – 25 gols (14 faltas e 11 pênaltis)
Derrotas: 9 jogos – 9 gols (7 pênaltis e 2 faltas)

3 jogos amistosos
Vitórias: 2 jogos – 2 gols (1 falta e 1 pênalti)
Empates: 1 jogo – 1 gol (1 falta)

Gols por competições
Campeonato Brasileiro – 65 (38 pênaltis, 26 faltas e 1 bola rolando)
Campeonato Paulista – 38 (20 pênaltis e 18 faltas)
Copa Libertadores – 14 (8 pênaltis e 6 faltas)
Torneio Rio-São Paulo – 3 (3 faltas)
Copa do Brasil – 4 (2 faltas e 2 pênaltis)
Amistoso – 3 (2 faltas e 1 pênalti)
Copa Sul-Americana – 2 (1 pênalti e 1 falta)
Copa Mercosul – 1 (1 falta)
Copa dos Campeões – 1 (1 falta)
Mundial de Clubes – 1 (1 pênalti)

Gols por temporadas

1997 – 3 (3 faltas)
1998 – 3 (3 faltas)
1999 – 5 (3 faltas e 2 pênaltis)
2000 – 8 (7 faltas e 1 pênalti)
2001 – 2 (2 faltas)
2002 – 5 (5 faltas)
2003 – 2 (2 faltas)
2004 – 5 (4 faltas e 1 pênalti)
2005 – 21 (11 faltas e 10 pênaltis)
2006 – 16 (10 pênaltis, 5 faltas e 1 bola rolando)
2007 – 10 (8 pênaltis e 2 faltas)
2008 – 5 (4 pênaltis e 1 falta)
2009 – 2 (2 faltas)
2010 – 8 (6 pênaltis e 2 faltas)
2011 – 8 (5 pênaltis e 3 faltas)
2012 – 4 (3 pênaltis e 1 falta)
2013 – 6 (4 pênaltis e 2 faltas)
2014 – 10 (9 pênaltis e 1 falta)
2015 – 9 (7 pênaltis e 2 faltas)

Gols por adversários

7 gols
Cruzeiro (5 pênaltis, 1 falta e 1 com bola rolando)
Palmeiras (5 pênaltis e 2 faltas)

6 gols
Grêmio (5 pênaltis e 1 falta)
Figueirense (4 pênaltis e 2 faltas)

5 gols
Santos (3 faltas e 2 pênaltis)
Vasco (3 faltas e 2 pênaltis)

4 gols
Bahia (2 pênaltis e 2 faltas)
Fluminense (2 faltas e 2 pênaltis)
Paraná (3 faltas e 1 pênalti)
Ponte Preta (3 pênaltis e 1 falta)
Santos (3 faltas e 1 pênalti)

3 gols
Atlético Mineiro (2 faltas e 1 pênalti)
Corinthians (2 pênaltis e 1 falta)
Flamengo (2 pênaltis e 1 falta)
Guarani (3 faltas)
Mogi Mirim (3 pênaltis)
Portuguesa (2 faltas e 1 pênalti)
Sport (3 faltas)

2 gols
Atlético Paranaense (1 falta e 1 pênalti)
Botafogo (1 falta e 1 pênalti)
Coritiba (1 falta e 1 pênalti)
Inter de Limeira (1 falta e 1 pênalti)
Internacional (1 falta e 1 pênalti)
Ituano (1 falta e 1 pênalti)
Linense (2 faltas)
Náutico (2 pênaltis)
Paulista (2 pênaltis)
Portuguesa Santista (2 faltas)
Rio Branco (2 pênaltis)
Santa Cruz (2 faltas)
Tigres (2 faltas)

1 gol
Al-Ittihad (1 pênalti)
Alianza Lima (1 falta)
América-RN (1 falta)
América-SP (1 falta)
Atlético Goianiense (1 pênalti)
Bolívar (1 pênalti)
Brasiliense (1 falta)
Caracas (1 pênalti)
Ceará (1 pênalti)
Chivas Guadalajara (1 pênalti)
CRB (1 pênalti)
Deportivo Táchira (1 falta)
Goiás (1 pênalti)
Juventus-SP (1 pênalti)
Marília (1 falta)
Noroeste (1 pênalti)
Once Caldas (1 falta)
Paysandu (1 falta)
Red Bull Brasil (1 falta)
Rio Claro (1 pênalti)
River Plate-ARG (1 pênalti)
San Lorenzo (1 falta)
Santo André (1 pênalti)
São Bento (1 pênalti)
São José (1 falta)
São Paulo (1992/1993) (1 pênalti)
The Strongest (1 pênalti)
São João (1 falta)
Universidad de Chile (1 falta)
Uralan Elista-RUS (1 falta)
Vitória-BA (1 falta)
XV de Piracicaba (1 pênalti)
Combinado de São Paulo Santos e Rio de Janeiro Flamengo (1 falta)

O primeiro gol de Rogério Ceni, veja o vídeo:

E você? Acha que goleiros não batem mais faltas por qual motivo?

Até semana que vem!
________________________________________________________________
Contato:

Twitter: @carlinhosnovack | [email protected]

Carlinhos Novack é Jornalista, já foi colunista de outros sites tricolores, ex-LANCE! e integrante da escola de samba Dragões da Real. Escreve suas colunas na SPNet todas as Terças.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

Comentários

comentários