Além das 4 linhas – Resumo da Ópera

2
343

Desde o início do namoro do Rogério Ceni com o SPFC para ele tornar-se o treinador, eu sempre tive e ainda tenho a mesma opinião: O Rogério vai aprender a ser treinador treinando o maior do Brasil. É o correto? Não! Ele deveria passar por outros clubes ou o SPFC da base, como fez Zidane antes de assumir o Real Madrid.  Esta é a minha opinião.

Rogério vai dar certo como treinador? Eu acredito que sim. Mas leva tempo. Quanto tempo? Pode ser um ano, dois anos ou mais. Como foi com Tite, Muricy e Mestre Telê? Todos tiveram um período de aprendizado. Todos. Aliás, Mestre Telê era conhecido como pé frio antes daquele período maravilhoso com o SPFC. Fazia grandes trabalhos, mas morria na praia. Coisa parecida aconteceu com o Cuca. O cara era conhecido por montar elencos e depois fracassar nas decisões. O tempo, e com ele a experiência, fez isso mudar.

Assim como eu sei disso, a diretoria do clube e o Rogério também sabem. Ninguém chega ganhando. É raro demais. Todos sabiam e sabem dos riscos de escolher um dos maiores ídolos da história do clube mais vitorioso da história do nosso futebol para ser treinador sem experiência. O começo está sendo bom? Eu penso que está. Muita gente falava desde o início que isso era coisa para 2018 e quem sabe seja mesmo.

Eu tenho deixado aqui neste meu espaço que o momento é de paciência. Temos que esperar o cara ganhar rodagem e aprender a ser treinador. Agora não há mais nada a fazer do que ter muita paciência para não queimar o ídolo Rogério Ceni agora como treinador, como queimamos alguns bons jogadores, como Casemiro, que hoje joga no Real e na Seleção, mas para o SPFC não servia.

Muita coisa ainda tem que ser feita no clube. O elenco que temos é ainda pequeno. Faltam peças importantes para nos julgarmos favoritos a títulos importantes.  Mas o caminho que o clube escolheu é bom, pois está se modernizando com o novo estatuto.

Eu sou um otimista e, além disso, acredito nas pessoas que trabalham a favor do mais querido. O momento é chato, ninguém gosta de perder, mas consigo ver as coisas boas do hoje que podem nos trazer conquistas no amanhã.

Salve o tricolor paulista, o clube da Fé.

Carlito Sampaio Góes

carlito150x150

Carlito é advogado, trabalha como representante comercial, frequenta o Morumbi desde 1977 e prefere o time que vence ao time que joga bonito. Escreve nesse espaço todas as quintas-feiras.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

 

Comentários

comentários

2 COMENTÁRIOS