Terças Tricolores – Apostas Baseadas Em Números

2
396

A proximidade do fim do campeonato paulista começa a mexer com os elencos dos clubes grandes. Os dois atletas que estão chegando, Marcinho e Morato, do ABC e Ituano, respectivamente, são exemplos claros do trabalho da equipe de scouts.

Modalidade pouco utilizada no SPFC, mas já bem estruturada em outros clubes, como o SCCP, a ideia é mapear alguns campeonatos e, através dos números dos atletas, contratá-los a um preço baixo e tentar achar algum grande talento. O Paulinho, atual volante da seleção, foi descoberto dessa maneira.

Outros atletas do Palmeiras também chegaram dessa maneira e esse tipo de mensuração no futebol começa a ser uma tendência para achar a peça que se precisa com uma possibilidade consideravelmente menor de erro.

Claro que esse tipo de trabalho pode falhar, afinal, dizem que foi por scouts que vieram atletas como Jean Carlos, Robson, Ytalo e afins, mas a grande diferença é que são atletas baratos e que, se derem certo, podem render um alto valor em sua revenda. O Porto e Benfica, por exemplo, são especialistas em fazer contratações de jovens atletas por esse tipo de trabalho, fato que sempre rende muito dinheiro ao clube.

Entretanto, se os dois fazem isso e ganham muito dinheiro, uma camisa como a nossa trabalha com títulos também. Precisamos fazer esse mapeamento no país em busca de talentos que possam nos colocar na rota dos títulos. A ideia, obviamente, é conquistar campeonatos e sempre ter dinheiro a disposição, mas sabemos que o mundo não é um lugar perfeito e que isso acontece com rara felicidade nos times brasileiros.

Se o São Paulo quer ser o bandeirante, de novo, precisa se estruturar para isso. Investir PESADO na questão de departamento de scouts, descoberta de novos talentos para a base e o time titular e nas mídias sociais. O dinheiro está nessas coisas, não só em patrocínios das nossas camisas.

O próprio LANCE! fez uma matéria hoje falando sobre o perfil de Edimar, Thomaz, Marcinho e Morato, últimos quatro reforços da equipe. Vale destacar esse trecho: “Atualmente, o departamento de análise de desempenho do São Paulo conta com dois analistas, mais um cinegrafista e editor de imagem. Os analistas são Luis Felipe Batista e Raony Thadeu, contratados do Cifut (Centro de Inteligência do Futebol), o departamento do Corinthians. Os dois profissionais passam muito tempo com Rogério Ceni, que os elogia com frequência”.

Essa integração do nosso treinador com esse departamento só poderá trazer benefícios ao clube, se pensarmos no longo prazo. Cada vez mais íntimos, eles saberão que tipo de jogador aguarda e segmentarão o trabalho, aumentando a possibilidade de acerto. Eu sou um grande incentivador de misturar a matemática, dados e ciências em geral com o futebol. É o caminho para encontrar o mais puro talento e minimizar a chance de erro nas contratações.

A Sequência

Enfim chegamos ao começo do ano. Nada do que foi feito até agora vai valer se cairmos na semifinal do campeonato paulista e contra o Cruzeiro, pela Copa do Brasil. Não vai adiantar nada ter o melhor ataque do país, o futebol mais dinâmico e os conceitos mais modernos vindos da Europa.

Chegamos ao momento de decisão, ao ponto de fusão. Chegou a hora de ver quem é quem. O primeiro jogo, contra o Cruzeiro, vai ser dificílimo, afinal, o time tem um dos melhores aproveitamentos do país e vem sendo muito bem treinado pelo Mano Menezes. O SCCP, por outro lado, é um time que sabemos como joga: os onze atrás da bola e quando der, sobe para o ataque em busca de um gol solitário.

Espero, do fundo do coração, que o Rogério e sua comissão internacional estejam avaliando bem a partida contra o Cruzeiro. Precisamos fazer o resultado aqui e um bom resultado para não sofrermos lá. O clássico, no final de semana, talvez conte com a presença do Cueva. E aí a história é diferente, como sabemos.

Acho que dá para arrancar dois bons resultados nesses primeiros jogos decisivos. A ideia é manter a boa pegada e chegar às finais de um campeonato e a próxima fase do outro. Com um bom planejamento e estudo, é possível!

Torçamos por uma Mitada!

É isso!

Contato?

@Abroliveira ou [email protected]

Abrahão de Oliveira é jornalista, formado pela Universidade Metodista de São Paulo, dono da @spinfoco, são-paulino e tem o sonho de cobrir um mundial de clubes com o clube do coração. 

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

Comentários

comentários

2 COMENTÁRIOS

  1. Modernidade sendo usada para o benefício é sempre bom.
    Não concordo quando diz que vamos perder o ano se perdermos os dois jogos. Este tipo de pensamento é muito limitado e leva o clube a fazer besteiras. Estamos em um ano de reconstrução, precisamos montar uma equipe para o futuro e o trabalho, ao meu ver, esta sendo bem feito pelo RC. Temos um bom time e se seguirmos assim com certeza no ano que vem seremos protagonistas.