Memória Tricolor #06 – Ídolo Improvável

1
1383

E hoje vamos contar a história de um jogador de muita raça, volante de marcação implacável e ousado no avanço ao ataque, característica que o tornou ídolo ao marcar um dos Gols mais importantes da história Tricolor.

Carlos Luciano da Silva nasceu em Porto Alegre no dia 2 de agosto de 1975, jogou apenas de janeiro de 2005 a agosto de 2007 no São Paulo Futebol Clube. Ao citar seu nome, poucos torcedores lembram ou sabem quem é ele, mas quando falamos seu apelido todos os são paulinos se recordam do grande gol que este ídolo marcou no dia 18 de dezembro de 2005, estamos falando do nosso guerreiro Mineiro.

Gaúcho de nascimento, Mineiro foi revelado pelo Rio Branco de Americana em 1996, em 1997 jogou pelo Guarani e, logo foi para a rival Ponte Preta onde ficou por 5 temporadas, transferido para o São Caetano onde jogou 2 anos e chamou a atenção do técnico Emerson Leão que em 2005 assumiu o time do São Paulo.

Em 2005 e 2006 formou ao lado de Josué uma dupla perfeita de volantes, sempre com desarmes e roubadas de bolas leais o que proporcionava a equipe rápidos contra-ataques. Com esta característica Mineiro, sempre se lançava ao ataque e era comum sua participação nos lances decisivos, foi o que aconteceu naquele jogo contra o Liverpool em que Cicinho tinha a bola dominada na lateral direita, passou para o atacante Aloísio colocado ao centro no campo adversário e lançou para Mineiro que se colocava a frente na entrada da grande área, entre os gigantes zagueiros ingleses, Mineiro dominou de pé direito e de frente ao goleiro adversário enfiou a bola no canto de forma indefensável. São Paulo 1 a 0.

Em 2006 foi convocado para disputar a Copa do Mundo de 2006 e jogou também a Copa América de 2007 com o Brasil Campeão. No total foram 25 jogos pela Seleção.

Pelo São Paulo fez 138 jogos e marcou 7 gols conquistando o Campeonato Paulista de 2005, Libertadores e Mundial de 2005 e o Campeonato Brasileiro de 2006 pelo São Paulo.

Em agosto de 2007 se transferiu para o Hertha Berlin na Alemanha e no ano seguinte o então treinador do Chelsea, Luiz Felipe Scolari pediu sua contratação, porém infelizmente sua passagem foi ruim pela Inglaterra tendo jogado apenas 1 jogo. Retornou a Alemanha com curta passagem pelo Schalke e logo após jogou pelo TuS Koblenz time da 4ª divisão alemã.

Sua família se adaptou muito bem a Alemanha, então Mineiro fez a opção de não retornar ao Brasil e abriu uma empresa de assessoria e ajuda a jogadores em sua adaptação ao país, algo até então inédito.

Mineiro com sua ousadia, simpatia e principalmente determinação tática mesmo não sendo um fora de série é ídolo, é reconhecido como um dos mais importantes personagens da história do São Paulo Futebol Clube e todo torcedor que acompanhou sua passagem tem por ele carinho e admiração. Seu nome está e sempre estará ligado a nossa história.

SÃO PAULO TRI CAMPEÃO MUNDIAL

Gustavo Flemming, 39 anos de amor ao SPFC, é empresário no segmento de pesquisa de mercado e consultoria em marketing.

Comentários

comentários

1 COMENTÁRIO

  1. Grande Mineiro!

    Um jogador que sabia que o futebol é um esporte coletivo e valorizava isso: foi protagonista várias vezes e nunca reclamou o protagonismo. Pessoa honesta e simples, fez seu trabalho da melhor maneira que pode, contruiu seu nome e nunca se aproveitou do status que conseguiu no clube. Nunca voltou, nunca manchou seu nome. Que respeito que tenho por esse senhor!

    Não me esqueço da entrevista que ele deu após o jogo contra o Liverpool. Não vou lembrar exatamente as palavras mas o conteúdo é mais ou menos este: o jornalista perguntou como ele se sentia por ter feito o gol do título e ele disse “não importa quem fez o gol, o importante é que o São Paulo ganhou”. ????

    Quem dera tivéssemos menos “mito” e “diós” e tivéssemos mais MINEIRO!