Na Segunda Jamais – O Filme Se Repete

4
769

No começo do ano foi prometido ao torcedor Tricolor que venderíamos Neres para não termos que vender mais jogadores. Dos 60 milhões de prejuízo que teríamos no ano, 50 já haviam sido evitados com a venda do garoto para o Ajax.

Estamos no meio da temporada, com 3 eliminações seguidas e disputamos apenas um campeonato. Um dos campeonatos mais longos do mundo, onde a principal força do time não são os 11 titulares, são os 23 relacionados para cada jogo. Ou seja, o que mais desequilibra o Campeonato Brasileiro é o poder do elenco, é quanto você pode substituir um titular pelo reserva sem perder força, sem perder entrosamento.

E, agora, o time começa a sofrer um desmanche igualzinho em 2015. Já saíram David Neres e Lyanco no começo do ano, e agora Luiz Araújo e Thiago Mendes são a bola da vez. Um titular absoluto no time de Rogério, o outro um garoto com imenso potencial e, que apesar da oscilação normal da idade, vem sendo nosso melhor ponta da temporada.

O São Paulo mais uma vez dá uma aula de falta de planejamento. O time que poderia ter o luxo de não vender mais jogadores ao longo do ano, praticamente sela a venda de 2 dos seus titulares e enterra qualquer chance de título no ano. E sabe porque eu falo enterra? Porque por mais que venham 2 craques de bola, o SPFC perdeu força no elenco, na rodagem dos jogadores. O campeonato brasileiro como disse antes, não são os 11 titulares que ganham, mas o equilíbrio desses com os jogadores vindos do banco.

E o pior de tudo, o SPFC liberou jogadores da mesma posição dos jogadores que irão ser vendidos. Neílton foi dispensado pelo SPFC e joga hoje pelo Vitória. Por mais que não tivesse apresentado bom futebol, foi trazido esse ano para mais opções na ponta, e em 6 meses já não presta mais para o clube? Onde está o departamento de “scouts” tão vangloriado pela diretoria

Para completar as saídas de João Schimdt (fim de contrato, irá para o Atalanta) e a provável venda de Thiago Mendes, o clube ainda liberou Wellington para o Vasco e não conseguiu trazer Fernando Bob. Está claro pra todo mundo que a diretoria se perdeu. As ações não fazem sentido algum. Vamos a mais um fato completamente contraditório.

O clube se via no começo do ano com excesso de zagueiros, OK, estavam certos, tínhamos muitas opções, Maicon, Rodrigo Caio, Breno, Lucão, Lugano, Douglas. Então o clube libera Breno para o Vasco e não dá indícios que renovará com Lugano. Caso realmente não necessitasse de zagueiros porque foi atrás de Cléber e Luiz Otávio? Liberamos 2 zagueiros de boa qualidade e tentamos trazer outros claramente inferiores? Até que ponto o SPFC está pensando como um time grande?

Nosso elenco não é numeroso, estamos vendendo mais uma vez no meio da temporada vários titulares. Assim como foi em 2015, está sendo em 2017. Sempre com a mesma desculpa, o elenco está em construção e precisamos manter o saldo positivo.

Até quando o SPFC vai continuar tendo uma diretoria patética que rasga um planejamento no meio da temporada? Chega de se contentar com “briga por libertadores”, com “time de raça”. QUEREMOS TÍTULOS. E rápido.

Eduardo Achar Filho é estudante de medicina pela Santa Casa, são paulino de berço, acompanha o tricolor desde o título do Rio-SP. Qualquer dúvida ou sugestão, envie um email para [email protected]

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

Comentários

comentários

4 COMENTÁRIOS