Erros, acerto e vaias marcam volta de Cueva ao time titular do São Paulo

2
1038

Peruano recupera vaga com Dorival Júnior e atua em nova posição, mais centralizado. Meia tem exibição abaixo de seus melhores momentos do início do ano

Por Marcelo Hazan e Marcelo Prado, São Paulo – GloboEsporte.Com

Cueva foi substituído no segundo tempo para a entrada de Marcinho (Foto: Marcos Ribolli)

Nem bem chegou ao São Paulo e Dorival Júnior fez questão de dar um voto de confiança a Cueva. Barrado por Pintado no clássico contra o Santos, o camisa 10 voltou a figurar entre os titulares no duelo da última quinta-feira, contra o Atlético-GO. Mas o meio-campista não aproveitou a chance: saiu muito vaiado pelos 31 mil são-paulinos presentes no Morumbi, mas ganhou o apoio do treinador após o empate por 2 a 2.

Além de ser titular, Cueva também teve novo posicionamento em campo. Com Rogério Ceni, ele atuava aberto pelo lado esquerdo. Com Dorival, virou meia centralizado. No primeiro tempo, foi pouco participativo e teve dificuldade para fugir da forte marcação. Em destaque, apenas um bom passe para Buffarini, que foi ao fundo para efetuar o cruzamento.

Na etapa complementar, o São Paulo e o peruano voltaram mais ligados. Aos 12 minutos, saiu o primeiro gol, e o camisa 10 teve importante participação já que, na origem da jogada, acertou uma cobrança de falta no travessão. O que era festa se transformou em lamentação oito minutos depois, com o empate do Atlético-GO. E Cueva teve infeliz participação no lance.

Após bola cruzada na área, a zaga do São Paulo afastou, e o meio-campista tentou dar um passe na entrada da área ao invés de um chutão. A bola acabou sobrando para Niltinho, que acertou o canto direito de Renan Ribeiro.

Foi o que precisava para a torcida começar a pegar no pé de Cueva. O meia não acertou mais nada enquanto esteve em campo. Aos 37 minutos da etapa final, ele foi substituído por Gilberto e saiu muito vaiado. Na entrevista coletiva, Dorival Júnior defendeu o jogador.

– Ele teve uma atuação normal até pelo momento de insegurança da equipe. Futebol não se joga individualmente. Não posso culpar ninguém. Se ele repetir o que fez hoje, tenho certeza de que logo vai se recuperar perante o torcedor. Vamos ter um pouco de calma. Daqui a pouco teremos um outro caminho. O São Paulo passa por um momento difícil, não é fácil justificar oito jogos sem vitória. Vi coisas boas e prefiro ficar com elas – ressaltou o treinador são-paulino.

Resta saber se Cueva permanecerá na equipe titular na partida de domingo, contra a Chapecoense, às 16h, na Arena Condá, em Chapecó.

Comentários

comentários

2 COMENTÁRIOS