sábado, setembro 23, 2017
Home Notícias Jogadores do São Paulo veem falta de confiança, mas falam em trabalho

Jogadores do São Paulo veem falta de confiança, mas falam em trabalho

5
528

LANCE

Atletas são-paulinos comentam a má fase vivida pelo time neste momento da temporada em que não vence há oito jogos seguidos e continua na zona da degola do Brasileirão-2017

Chapecoense x São paulo

São Paulo chegou a oito jogos seguidos sem perder na temporada (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

O São Paulo chegou ao oitavo jogo seguido sem vitória na temporada após ser derrotado pela Chapecoense, por 2 a 0, em Chapecó. O placar adverso, a instabilidade na defesa e a inoperância ofensiva são reflexos da fase ruim pela qual passa o time agora dirigido por Dorival Junior. Para os jogadores, a falta de confiança será corrigida com muito trabalho.

Petros, na saída de campo, foi um dos que tocaram no tema da confiança. O meio-campista ressaltou a desatenção nos gols e lamentou a derrota, mas cobrou trabalho em busca de reação.

– Time sem confiança não pode levar gol. Tem de eliminar o mais rápido possível. Tem de fazer gols e a confiança vai voltando. É inevitável. Temos de trabalhar para reagir. Viemos com uma proposta, e mais uma vez com bola parada, tomamos um gol. Desatenção. É levantar a cabeça, assumir a responsabilidade e trabalhar – afirmou Petros.

Outro a citar o trabalho como solução para sair da má fase foi Renan Ribeiro. O goleiro procurou também não abordar questões pontuais da partida e rechaçou a possibilidade de time carregar mais fardos neste momento.

– Temos de pensar no jogo e na vitória. Não podemos trazer mais um peso. Temos de trabalhar para sair dessa situação. Não adianta ficar mantendo situações. Vamos trabalhar, unir a equipe, juntar nossas forças para sair. Não é momento para questionar momentos da partida. Temos de nos fechar, nos blindar, que só assim poderemos sair dessa situação – declarou Renan.

Segundo Bruno, trabalho não está faltando para os atletas, mas não vê outra alternativa possível para momentos como o vivido atualmente pelo Tricolor.

– A gente fica preocupado pela situação. O time não está ganhando. Essa fase em que a gente trabalha, trabalha, e a bola não está entrando. Mas é trabalhar para sair o mais rápido possível. Tem que tirar esse ânimo de onde não tem, tem que dar a vida dentro de campo, fazer nosso papel, a gente sabe da dificuldades, mas tem que ir junto com o torcedor para virar isso logo – argumentou o lateral são-paulino.

O São Paulo volta a campo na próxima quarta-feira, às 21h45, para enfrentar o Vasco, no Morumbi, pela 15ª Rodada do Brasileirão-2017.

Comentários

comentários

5 COMENTÁRIOS

  1. Alguém duvida anda que quem escala o time é o Leco?
    O Dorival é mais um capacho na mão da diretoria que não quer ver ser jogadores favoritos serem desvalorizados no banco.
    O novo capacho copia o Rogério Ceni em tudo, até mesmo na substituição.

    BANCO URGENTE PARA:
    RENAN
    BRUNO
    BUFARINI
    JUNIOR TAVARES
    RODRIGO CAIO
    W. NEM
    MARCINHO
    PRATTO.

    • Isto tudo o Leco herdou do Juvenal.
      Infelizmente é pura verdade, pois bem o conchavo entre Leco, Diretoria e empresários tem cartas marcadas, desde quem joga, e quais contratam…, puro esquema….
      Avaliando os jogadores individualmente salva 03 a quatro…
      Em breve o Dorival Junior, roda pois o elenco são monte vermes, parasitas nada aproveitável…
      Dá-lhe Leco o maior incompetente que o São Paulo teve, pior que ele só Juvenal cachaça.
      Rumo a segundona.. quarta outra piaba…
      Este time não ganha do IBIS.
      Elenco e Diretoria… Lixos, Lixos, Lixos….

  2. um time que, num espaço de meses, tem que conviver vários jogos com Lucão, Nem, Buffarini, Neilton, entre outros, de faro merece passar por grandes dificuldades. Além dos jogadores horrorosos acima aludidos, há tbem aqueles que pouco contribuem (em outras palavras, medianos, no máximo): Cícero, wesley, Tomaz, Rodrigo caio etc.

    Apesar de tudo, acho que não cai.