Na Segunda Jamais – Dorival Jr e a esperança por dias melhores

4
845

Em minha última coluna, defendi a saída de Ceni antes de sua demissão ser consumada.

Serei sincero, não esperava que um de nossos maiores ídolos pudesse ser mandado embora. Por mais que a razão falasse a favor da demissão do Rogério, a emoção ainda relutava em manter o técnico por mais tempo. Feliz ou infelizmente, Rogério caiu, e era obvio que o novo técnico são paulino seria Dorival Jr.

Mas por qual razão acreditar em Dorival?

Seu último trabalho foi no Santos, durante quase dois anos. Ali, ele conquistou um vice-campeonato brasileiro, um vice da Copa do Brasil e um título estadual. Esse é o saldo do técnico no comando santista.

Contratado em julho de 2015, pegou o time da baixada em 17º no campeonato, com o mesmo propósito que assumirá o SPFC: tirar o time da zona de rebaixamento. O Santos tinha a pior defesa do campeonato com 21 gols tomados e apenas 2 vitórias em 12 jogos.

Acabou o campeonato em 7º lugar, com 58 pontos, 16 vitórias (foram 14 vitórias em 26 jogos no restante do campeonato) e 41 gols tomados. Ou seja, um time que havia tomado 21 gols em 12 jogos, tomou 20 em 26 jogos após a chegada de Dorival Junior e foi vice da Copa do Brasil, perdendo a disputa nos pênaltis para o Palmeiras.

Em 2016, foram 71 pontos no Brasileirão e um 2º lugar. 62,2% de aproveitamento. Na Copa do Brasil não conseguiu repetir o bom desempenho de 2015 e acabou sendo eliminado nas quartas para o Internacional.

O time santista jogava em um 4-3-3, no SPFC, acredito que Dorival jogará com: Renan Ribeiro, Buffarini e Jr Tavares nas laterais, a dupla de zaga com R Caio e Arboleda, no meio Jucilei e Petros (não se assustem caso vejam Wesley/Cícero ganhando inúmeras oportunidades nesse meio, Dorival é conhecido por recuperar jogadores), e como meia armador Lucas Fernandes.

No ataque acredito que seja Cueva aberto em uma ponta, Marcinho na outra, e Pratto de centroavante. Sim, acredito que o peruano caso não seja vendido, jogue pela ponta, porém com enorme liberdade para flutuar e trocar de posição com Lucas. Dorival sempre apostou muito na base, e não deverá ser diferente no SPFC, ainda mais com todo o brilho de Cotia.

Nos 10 primeiros jogos de Dorival no comando do Santos em 2015, foram 7 vitórias, 2 empates e 1 derrota. Sendo a derrota para o Palmeiras, no Allianz, em seu segundo jogo.

Pegou terra arrasada e conseguiu ir em 9 rodadas para a 8ª colocação. Caso o Santos não tivesse voltado suas atenções para a Copa do Brasil, possivelmente teria levado o time ao G4. No SPFC, terá um início mais “tranquilo”.

Nos próximos 10 jogos, o SPFC terá apenas um jogo muito difícil, o mesmo Palmeiras na 22ª rodada. Acredito, fielmente, que Dorival dará jeito no SPFC. Pelo coração, acredito em 7 vitórias nos próximos 7 jogos. Tendo como mais complicado o Botafogo, no Rio. Já pela razão, acredito em 5 vitórias e 2 empates. A sequência mais complicada do turno já foi, e agora com novos “ares”, acredito em uma virada tricolor. A vida está complicada em 19º lugar… mas Dorival tem todo nosso apoio.

Salvem o Tricolor Paulista.

Eduardo Achar Filho é estudante de medicina pela Santa Casa, são paulino de berço, acompanha o tricolor desde o título do Rio-SP. Qualquer dúvida ou sugestão, envie um email para [email protected]

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

Comentários

comentários

4 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente não posso concordar que esse time é bom ao ver Bufãorini na direita Mar-ruinzinho no ataque.

    Tb não acredito que o Lucas Fernandes vai ser titular, creio que essa função será do Jonathan Gomes ou Pipocueva.

    Espero acima de tudo que o Renan tenha tido apenas uma noite infeliz e não encarne a franguisse da múmia demitida.

    Ruim por ruim, ou muito ruim. Eu disse ruim? Uma desgraça dos infernos… Resumindo, eu colocaria o Bruno no lugar do Bufãorini.