Além das 4 linhas – Clube grande não cai

2
253

Esta afirmação é verdadeira porque diz respeito a um clube que, sempre atento e organizado, não permite que a sua administração “caia” na vala dos comuns. A grandeza de toda instituição é o espelho da grandeza do seu corpo de colaboradores. Numa grande instituição todos os profissionais são competentes, possuem extensa experiência na sua área de atuação e a ética faz que trabalhem pela instituição e não o contrário. O trabalho no SPFC não vem dando certo faz bastante tempo e a razão disso é uma gestão mais política do que profissional, onde a experiência na área de atuação não é fundamental. E o pior, a eleição deste ano demonstrou que não há opção para mudarmos isso. Todos no clube uniram-se ao redor do mesmo grupo que vem causando crise atrás de crise há muito tempo.

Eu digo a vocês com todas as letras: Não adianta lotarmos o Morumbi para incentivarmos os jogadores se dentro do clube o ambiente é podre. Não adianta lotarmos o estádio se no próximo ano as coisas estarão como estão. E como ter certeza que as coisas estarão do modo como estão? É simples: Está claro que o comando será o mesmo. Se não mudarem as pessoas, é muito difícil que a situação mude. Eles não sabem gerir o clube, isso é fato!

O elenco não é top, o treinador não é top, mas nada disso é do tamanho do que estamos vendo em campo e que a tabela de classificação demonstra. O problema é muito maior. Um clube grande não chega à situação na qual o SPFC chegou porque o treinador não é dos melhores ou porque o goleiro não é bom. Existem 10 clubes com treinador pior, elenco pior, comissão técnica pior, estádio pior, centro de treinamento pior, patrocinador pior, com muito menos dinheiro e etc. A falta de perspectiva é tanta, que o fornecedor de material esportivo quer deixar o clube, na certa cansou de patrocinar amadores.

Vamos imaginar que o clube estivesse sendo bem administrado, mas com pouco dinheiro, o
que aconteceria? O clube estaria disputando com muito custo e sorte um lugar na libertadores do ano que vem, ou seja, estaríamos em décimo lugar e brigando. Mas não é isso o que ocorre absolutamente. O clube passa por enormes problemas que talvez nós não tenhamos a menor idéia do tamanho. O problema é tão grande que nem opção política o clube tem. Ninguém decente quer! Veio a eleição e todos disseram: Fiquem aí, nós não queremos isso!

E quando tudo isso acontece é sinal de que não há mais grandeza no clube. E refiro-me a
grandeza em todos os sentidos que pudermos imaginar.

E como futebol é lugar de muita emoção e pouca razão, a crise piora a cada semana. A prova da força da emoção no futebol é que bastou vencer um dos piores times do campeonato para o sorriso voltar ao rosto de muitos. Isso é o fim. Se vencermos o Corinthians vai ser aquela euforia como se nada que vivemos nos últimos 9 anos fosse verdade.

Na verdade eu nunca imaginei o SPFC não disputando o Brasileiro do próximo ano. A minha
pergunta é: Como vamos disputá-lo, em quais condições?

Salve o tricolor paulista, o clube da Fé.

carlito150x150

Carlito é advogado, trabalha como representante comercial, frequenta o Morumbi desde 1977 e prefere o time que vence ao time que joga bonito. Escreve nesse espaço todas as quintas-feiras.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

Comentários

comentários

2 COMENTÁRIOS

  1. Saudade do tempo em que o Tricolor era dirigido por gente competente, e a torcida lotava o Morumbi e cantava:
    Caiu não rede é peixe Le Le A, Tricolor vai golear….
    Hoje estamos nas mãos de Velhos incompetentes que continuam para levar o São Paulo para o fundo do poço.