Nicola: Presidente do São Paulo perde apoio até do vice em meio à crise geral no Morumbi

2
1450

Jorge Nicola – Yahoo

Não é apenas o futebol do São Paulo que vive em crise, com chance real de rebaixamento no Brasileirão pela primeira vez na história. Politicamente, o Tricolor está rachado. A ponto de o presidente Leco não contar mais sequer com o apoio de seu vice-presidente, Roberto Natel. Eles já haviam rompido em setembro do ano passado, quando Natel entregou seu cargo.

No início deste ano, Natel desistiu da ideia de se lançar candidato à presidência – a eleição ocorreu em abril – e voltou para o grupo de Leco, sendo escolhido pelo voto dos conselheiros como vice-presidente, ao lado de Leco.

Blog apurou que Leco e Natel mal se falam, porque divergem em muitas situações. E o vice-presidente não é o único a contestar a atuação de Leco. Existe um enorme descontentamento de cardeais tricolores em relação às escolhas feitas pelo presidente para preencher os cargos de diretores remunerados. A reclamação é de que ele optou pelos amigos, em vez de indicar pessoas com conhecimento reconhecido na área, como exige o estatuto.

A crise política no Morumbi também tem reflexos do episódio que culminou com a demissão por justa causa de Alan Cimerman, então gerente de marketing do Tricolor. O clube o acusa de comandar uma grande operação para lucrar com a venda de ingressos de camarotes nos shows do U2, marcados para outubro.

O problema para Leco é que Cimerman havia sido contratado por indicação de Vinícius Pinotti e José Francisco Manssur, homens de confiança do presidente. É mais uma dor de cabeça para o presidente, que já tinha de gerir as cornetadas à atuação de Pinotti como diretor-executivo de futebol e às reclamações de parte do Conselho Deliberativo em relação ao custo de Manssur como assessor da presidência enquanto o clube era comandado por Juvenal Juvêncio.

O Conselho de Administração do São Paulo se reunirá nesta terça-feira, no Morumbi, a fim de traçar saídas emergenciais para os dilemas dentro e fora de campo. A contratação de um coordenador de futebol voltará a ser discutida. A oposição defende o nome de Muricy Ramalho, mas há restrições de gente importante da diretoria em relação ao ex-técnico.

Uma alternativa seria convidar Raí para ocupar a função de coordenador. Resta saber se ele toparia, já que colocaria em risco sua imagem diante da possibilidade de rebaixamento do Tricolor. Com o empate diante da Ponte Preta, por 2 a 2, no último sábado, o São Paulo segue na penúltima colocação do Brasileiro, a dois pontos do Bahia, primeiro time fora da zona da degola. Com a ressalva de que os baianos entram em campo nesta segunda-feira, contra o lanterna Atlético-GO, em Goiânia.

Por falar no time, Dorival Júnior, Pinotti e Leco terão de buscar alternativas para costurar a paz entre Rodrigo Caio e Cueva. Na quinta, o jogador da seleção brasileira disse em entrevista que o peruano precisava se ajudar, mostrando mais disposição. No sábado, depois do tropeço diante da Macaca, Cueva se recusou a dar entrevistas sugerindo aos repórteres que conversassem com Rodrigo Caio, numa clara demonstração de irritação com o companheiro.

Comentários

comentários

2 COMENTÁRIOS

  1. Srs. Conselheiros é muito fácil consertar isto.
    Precisa liderança e culhões coisa que falta a estes almofadinhas.
    Como está rachado e sem clima, convoquem uma extraordinária e destituam a atual diretoria e
    elejam nova diretoria, por que a atual diretoria além de rachada e recheada de amigos incompetentes
    só produz prejuízos e vexames.
    LECO É UM OMISSO E INCOMPETENTE.
    CHEGA DE AMADORISMO.