Febre Tricolor – História remontada

5
338
Gianni Infantino, o incauto presidente de uma federação de 113 anos

Durante 111 anos a Federação Internacional de Futebol (Fifa) reconheceu como campeões mundiais as equipes que disputaram o denominado “Mundial Interclubes”, responsável por reunir em uma disputa final os campeões da Champions League e Copa Libertadores da América. O tradicional torneio reproduziu confrontos entre europeus e sul-americanos desde o ano de 1960. Em 2016, porém, ao assumir como presidente da Fifa, o italiano Gianni Infantino (talvez por razões comerciais) tratou como campeões do mundo somente os clubes que venceram um torneio organizado pela Fifa, a partir de 2000. A pataquada do investigado presidente foi corrigida somente hoje.

A retomada desse reconhecimento por parte da entidade veio após reunião do Conselho Técnico da Fifa nessa sexta-feira, na Índia. Não é novo o fato de agentes políticos cometerem deslizes a serem corrigidos por órgãos técnicos. A fala do presidente da Fifa ao início do mandato, porém, beirou o estapafúrdio. É inegável reconhecer como campeão do mundo clubes que fizeram por merecer essa conquista aos nossos próprios olhos.

Qual são-paulino não lembra da dificuldade de acompanhar a final de 1992, transmitida, por exemplo, pela finada Rede OM (de Galvão Bueno) ou a emoção de esperar até 3h da manhã pela final contra o Milan, em 1993, naquele fantástico jogo transmitido pela Rede Bandeirantes e pela Rede Globo? O time de Raí, realmente, iria rivalizar com qualquer equipe europeia, disso não tínhamos dúvida. Eu, porém, aos 12 anos de idade em 1993, fiquei surpreso quando o São Paulo abriu 1 a 0 e depois 2 a 1 no Milan.

Meu saudoso pai, flamenguista, acordou quando a partida estava em 2 a 2. Expliquei a ele, eufórico, que meu time estava à frente do marcador em duas oportunidades. Já conformado com a disputa de pênaltis, vi Toninho Cerezo arriscar um lançamento para Müller. A mais pura raça brasileira prevaleceu e, com uma espécie de rolete, o atacante dividiu a bola com o goleiro Rossi – antes daquele jogo, imbatível há mais de 1.200 minutos – para fazer o terceiro gol e decretar o Bi-Mundial.

A camisa do São Paulo é tão poderosa que é capaz de produzir coisas incríveis. Nem o mais otimista são-paulino era capaz de acreditar numa vitória em cima do Liverpool, em 2005. Aquela equipe era a coqueluche europeia, o time a ser batido, recheado de estrelas como Luís Garcia e Steven Gerrard – e mais uma vez o São Paulo o superou. Desta vez num torneio organizado pela Fifa, e reconhecido como os demais, como sempre. Lamentável que qualquer entidade queira tentar desmerecer esses momentos mágicos das nossas memórias.

Mais do mesmo

Com a missão de moralizar a Federação Internacional de Futebol (Fifa) após todos os escândalos envolvendo o ex-presidente Joseph Blatter; o italiano Gianni Infantino chegou como figura inconteste, mas já não tem a mesma aceitação em seus pares. É alvo de seguidas investigações na Comissão de Ética da Fifa, seja por influência no resultado das eleições da Federação Africana, seja pelo uso de jatos particulares ou por resistir à independência de órgãos correlatos do futebol de cada País.

Não me parece que o órgão maior do futebol tenha ainda passado por aquela mudança geral que todos esperam. Ao menos, com pequenas atitudes como a de hoje, não dos agentes políticos, mas de órgãos técnicos, é que se inicia alguma moralização no esporte.

Confira a lista de campeões mundiais consolidada:

1960 – Real Madrid-ESP
1961 – Peñarol-URU
1962 – Santos-BRA
1963 – Santos-BRA
1964 – Internazionale de Milão-ITA
1965 – Internazionale de Milão-ITA
1966 – Peñarol-URU
1967 – Racing-ARG
1968 – Estudiantes-ARG
1969 – Milan-ITA
1970 – Feyenoord-HOL
1971 – Nacional-URU
1972 – Ajax-HOL
1973 – Independiente-ARG
1974 – Atlético de Madri-ESP
1976 – Bayern de Munique-ALE
1977 – Boca Juniors-ARG
1979 – Olimpia-PAR
1980 – Nacional-URU
1981 – Flamengo
1982 – Peñarol-URU
1983 – Grêmio
1984 – Independiente-ARG
1985 – Juventus-ITA
1986 – River Plate-ARG
1987 – Porto-POR
1988 – Nacional-URU
1989 – Milan-ITA
1990 – Milan-ITA
1991 – Estrela Vermelha-SRV
1992 – São Paulo
1993 – São Paulo
1994 – Vélez Sarsfield-ARG
1995 – Ajax-HOL
1996 – Juventus-ITA
1997 – Borussia Dortmund-ALE
1998 – Real Madrid-ESP
1999 – Manchester United-ING
2000 – Boca Juniors-ARG e Corinthians*  
2001 – Bayern de Munique-ALE
2002 – Real Madrid-ESP
2003 – Boca Juniors-ARG
2004 – Porto-POR 
2005 - São Paulo
2006 - Internacional
2007 - AC Milan
2008 - Manchester United
2009 - Barcelona
2010 - Internazionale
2011 - Barcelona
2012 - Corinthians
2013 - Bayern de Munique
2014 - Real Madrid
2015 - Barcelona
2016 - Real Madrid

* Nesse ano foi disputado tanto o Mundial Interclubes como Mundial Fifa 
(este organizado no Brasil, com o campeão nacional como convidado).

Confira o Ranking por Clubes:

1º - Real Madrid (ESP) - 5 títulos. (1960, 1998, 2002, 2014 e 2016)
2º - AC Milan (ITA) - 4 títulos. (1969, 1989, 1990 e 2007)
3º - SÃO PAULO (BRA) - 3 títulos. (1992, 1993 e 2005)
   - Boca Juniors (ARG) - 3 títulos. (1977, 2000 e 2003)
   - Barcelona (ESP) - 3 títulos. (2009, 2011 e 2015)
   - Bayern de Munique (ALE) - 3 títulos. (1976, 2001 e 2013)
   - Peñarol (URU) - 3 títulos. (1961, 1966 e 1982)
   - Nacional (URU) - 3 títulos. (1971, 1980 e 1988)
   - Internazionale (ITA) - 3 títulos. (1964, 1965 e 2010)
10º - Santos (BRA) - 2 títulos. (1962 e 1963)
    - Independiente (ARG) - 2 títulos. (1973 e 1984)
    - Ajax (HOL) - 2 títulos. (1972 e 1995)
    - Juventus (ITA) - 2 títulos. (1985 e 1996)
    - Porto (POR) - 2 títulos. (1987 e 2004)
    - Manchester United (ING) - 2 títulos. (1999 e 2008)
    - Corinthians (BRA) - 2 títulos. (2000 e 2012)
17º - Racing (ARG) - 1 título. (1967)
    - Estudiantes (ARG) - 1 título. (1968)
    - Feyenoord (HOL) - 1 título. (1970)
    - Atlético de Madrid (ESP) - 1 título. (1974)
    - Olímpia (PAR) - 1 título. (1979)
    - Flamengo (BRA) - 1 título. (1981)
    - Grêmio (BRA) - 1 título. (1983)
    - River Plate (ARG) - 1 título. (1986)
    - Estrela Vermelha (IUG) - 1 título. (1991)
    - Vélez Sarsfield (ARG) - 1 título (1994)
    - Borússia Dortmund (ALE) - 1 título. (1997)
    - Internacional (BRA) - 1 título (2006)

TOTAL: 28 clubes campeões do mundo.

Ranking de campeões por Países:

1. Brasil: 10 títulos (3 do São Paulo, 2 do Santos, 2 do Corinthians, 1 do Grêmio, 
1 do Flamengo, 1 do Internacional)
2. Espanha: 9 títulos (5 do Real Madrid, 3 do Barcelona, 1 do Atlético de Madrid)
2. Itália: 9 títulos (4 do Milan, 3 da Inter de Milão, 2 da Juventus)
2. Argentina: 9 títulos (3 do Boca Juniors, 2 do Independiente, 1 do Estudiantes, 
1 do River Plate, 1 do Racing, 1 do Vélez Sarsfield)
5. Uruguai: 6 títulos (3 do Peñarol, 3 do Nacional)
6. Alemanha: 4 títulos (3 do Bayern de Munique, 1 do Borussia Dortmund)
7. Holanda: 3 títulos (2 do Ajax, 1 do Feyenoord)
8. Inglaterra: 2 títulos (2 do Manchester United)
8. Portugal: 2 títulos (2 do Porto)
10. Paraguai: 1 título (Olimpia)
10. Iugoslávia: 1 título (Estrela Vermelha)

Fonte deste último: ESPN. 

Contato:

@RealVelame ou [email protected]

Alexandre Velame é Jornalista e Advogado, são-paulino há quase três décadas e usuário da SPNet desde 1997. Escreve nesse espaço aos domingos.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

 

Comentários

comentários

5 COMENTÁRIOS