Maior trunfo de Dorival, ataque do SP falha pela primeira vez em três meses

0
199

UOL

Bruno Grossi

A derrota por 1 a 0 para o Atlético-MG na noite da última quinta-feira pode devolver o São Paulo à zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. E esse resultado negativo pode ser atribuído à impotência tricolor no campo de ataque em Belo Horizonte, no jogo da 27ª rodada. Foram apenas duas defesas de Victor, sendo só uma delas em um chute direto. Assim, o time de Dorival Júnior voltou a passar em branco depois de três meses.

O técnico, que completou 15 jogos à frente do Tricolor, tem o ataque como principal força e havia marcado gols nos 12 confrontos anteriores. A última partida sem tentos são-paulinos foi ainda em 16 de julho, na segunda partida de Dorival. Na ocasião, a Chapecoense venceu por 2 a 0 na Arena Condá, em jogo válido pela 14ª rodada da Série A. Com o atual treinador, foram 22 gols, resultando em média de 1,46 tento por jogo. Na temporada, a média é de 1,49: 79 gols em 53 partidas.

Essa queda de rendimento ofensivo vem acompanhada do jejum do principal atacante são-paulino. Lucas Pratto completou contra o Atlético-MG o 11º duelo sem balançar as redes. O último gol do argentino, artilheiro da temporada com 12 tentos, foi em 19 de julho, quando o Tricolor bateu o Vasco da Gama por 1 a 0, pela 15ª rodada.

O outro artilheiro do time é Gilberto, também com 12 gols, e foi cortado do jogo contra o Galo por lesão. O atacante não vai ficar para 2018, não entra desde a derrota para o Palmeiras em 27 de agosto e não marca desde 11 de junho, em revés por 3 a 2 para o Corinthians em Itaquera. O período tem nove partidas de Gilberto, totalizando 235 minutos.

Contra o Galo, Pratto foi o autor da única finalização a gol do Tricolor. Em cabeçada perigosa, Victor precisou fazer grande esforço para evitar o empate. O goleiro só voltou a trabalhar em cruzamento de Marcos Guilherme que passou por todo mundo na área e quase foi ao fundo do gol. “É natural ansiedade pela posição que ocupa. Temos de ter tranquilidade, temos de ajudá-lo, pois ele vai nos ajudar”, disse Dorival.

No banco, Dorival não tinha nenhum centroavante para trocar ou dar companhia a Pratto. Brenner, que tem números impressionantes na base, está com a seleção brasileira sub-17 no Mundial da categoria, na Índia. As opções ofensivas eram apenas Paulo Boia e Marcinho, atacantes que atuam pelos lados do campo.

Comentários

comentários