Análise: elenco do São Paulo está certo de não entrar na onda da Libertadores

0
376

GloboEsporte.com

Leandro Canônico

Jogadores continuam tratando como prioridade escapar do rebaixamento e deixam para torcida euforia com chance de vaga na competição continental.

Pode até ser que internamente o discurso seja outro, mas o elenco do São Paulo está certíssimo em só aceitar falar de vaga na Libertadores quando atingir os 47 pontos necessários para afastar de vez qualquer risco de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. A possibilidade de brigar por um lugar no torneio sul-americano é obra do acaso. A realidade é bem diferente. E os jogadores sabem disso.

– De imediato, queremos encerrar o assunto rebaixamento – declarou Sidão.

– Pés no chão, outro jogo difícil com o Grêmio (quarta-feira, em Porto Alegre, pela 35ª rodada). Precisamos pontuar, quem sabe até vencer, para acabar com isso o quanto antes – disse Petros .

Esse é o padrão entre os jogadores. É como se a meta de fugir do rebaixamento fosse a única coisa no horizonte tricolor. Não é. A possibilidade de beliscar uma vaga na Taça Libertadores é real. Mas o o retrospecto geral do São Paulo neste Brasileiro não deixa o time se enganar. Não dá para levar em conta apenas o desempenho do returno, no qual é o terceiro melhor time.

Vamos relembrar alguns pontos:

  • Foram 14 de 34 rodadas na zona do rebaixamento
  • Só três vitórias como visitantes, com três empates e 11 derrotas
  • A defesa está entre as cinco piores da competição
  • O time já ficou nove partidas seguidas sem vencer
  • Trocou de técnico e fez uma reformulação no meio do Brasileiro

Hernanes tem sido o maior líder do São Paulo nessa retomada do time (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)

Hernanes tem sido o maior líder do São Paulo nessa retomada do time (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)

Ninguém no elenco do São Paulo ousou se empolgar com o tema Libertadores. Todos deixaram a euforia para o torcedor, que, por sinal, tem feito sua parte lotando todos os jogos como mandante (é a segunda melhor média de público do Brasil, com 33.030 presentes por partida).

Mas, com os pés no chão, o técnico Dorival Júnior e alguns jogadores têm exaltado a invencibilidade de cinco jogos do Tricolor (três vitórias e dois empates). Essa sequência foi muito importante para deixar o time a apenas dois pontos dos 47 pontos estabelecidos como meta para escapar do Z-4. O São Paulo está com 45 na 11ª colocação.

Só que dentro dessa sequência, o Tricolor mostrou que não está pronto para arriscar voos maiores. Cair de paraquedas na Libertadores de 2018 seria como ganhar na loteria para uma equipe que na temporada atual teve um dos piores desempenhos de sua história.

Tirando a vitória sobre o Flamengo, a primeira dessa sequência, o Tricolor apresentou problemas que poderiam ter custado uma derrota ou empate em todos os outros quatro jogos.

  • Contra o Santos desperdiçou muitas chances e correu riscos
  • Diante do lanterna Atlético-GO suou para ganhar pela vantagem mínima
  • Contra a Chape teve de correr muito para evitar uma derrota em casa
  • E diante do Vasco cedeu o empate depois de muita pressão do adversário

É inegável a evolução do São Paulo nesses cinco jogos. Há muitos méritos na arrancada para fugir do Z-4. Muitos mesmo. Mas, se o foco mudar para Libertadores, o tipo de análise é outro.

A cobrança do próprio torcedor é baseada naquele time que desde o começo da competição passa por dificuldades. Por isso há uma valorização do espírito de luta da equipe, uma paciência maior.

Mas será que se o Tricolor tivesse desde o começo com a meta de Libertadores o atual rendimento seria considerado satisfatório para estar nessa briga?

É por isso que o time não entrou nessa onda…

Comentários

comentários