e-planning ad

São Paulo espera que negociação com Ganso tenha fim diferente de outras novelas

20.09.12 - 07:24 em Noticia

Bruno Quaresma e Gabriel Saraceni – lancenet

Ganso - Santos x Bahia (Foto: Miguel Schincariol)

Para contratar Paulo Henrique Ganso, o São Paulo já chegou ao seu limite financeiro. Vai arcar com cerca de R$ 17 milhões do total de R$ 23,94 milhões, divididos com a parceira DIS. Mesmo assim, não sabe se vai levar o meia (veja mais detalhes nas páginas 16 e 17).

A incerteza incomoda o Tricolor, que, em outros casos, acabou não chegando a um final feliz. Também meias, Thiago Neves, hoje no Fluminense, e Montillo, do Cruzeiro, foram alvos no início da temporada. Pelo primeiro, foram oferecidos cerca de R$ 17 milhões, mas os cariocas cobriram e compraram. Pelo segundo, R$ 10 milhões e mais três atletas envolvidos. Outra tentativa foi Nilmar, que era do Villarreal (ESP). Foram oferecidos R$ 10 milhões, mas não houve acerto salarial e o atacante, sonho antigo da cúpula, não chegou. Osvaldo pintou como plano B. Para vestir a camisa 10, Jadson foi trazido por R$ 9 milhões, além de 30% dos direitos econômicos de Wellington repassados ao Shakhtar (UCR).

 

Depois de vender Lucas por R$ 108 milhões (ficou com R$ 81 milhões) ao Paris Saint-Germain (FRA) e receber cerca de R$ 17 milhões pela negociação de Oscar com o Inter, que em seguida o vendeu para o Chelsea (ING), a diretoria tricolor afirmou que o montante não seria todo investido em contratações. Apesar disso, logo que recebeu a grana, cresceu o olho em Ganso e mirou como grande reforço. A intenção ainda é gastar com o estádio e obras no clube.

Com Montillo e Thiago Neves, o Sampa foi até o seu limite e não conseguiu vê-los no Morumbi. Agora, como com Ganso se vê ainda mais perto de fechar negócio, o temor é maior em caso de melar. Foi gerada grande expectativa nos torcedores, que esperam ver o meia com a camisa Tricolor. O problema é que a cúpula entende que não tem mais o que fazer (veja abaixo) e só deve aguardar.

Caso o santista não seja contratado, a intenção é buscar outro jogador para a posição. Atualmente, Jadson, Maicon e Cañete (não joga desde novembro) são os armadores do grupo.
Sonhos frustrados

Montillo
O Tricolor não mediu esforços financeiros para contratar o cruzeirense. Era o principal alvo da diretoria para a posição, mas os mineiros bateram o pé e não liberaram por menos do que R$ 20 milhões. O São Paulo chegou a se acertar com o jogador, que topava atuar no Morumbi. O diretor de futebol Adalberto Baptista foi seguidas vezes para Belo Horizonte. Na mesma época, o Corinthians investiu pesado para o ter o meia, mas também atingiu seu teto e não conseguiu tirá-lo de Minas. Atualmente, ele segue no Cruzeiro, onde recebeu um novo contrato, com reajuste salarial. Desde então, caiu de rendimento.

Thiago Neves
Depois de ser emprestado ao Flamengo, que tinha preferência na compra, retornaria ao Al-Hilal, da Arábia Saudita, no início deste ano. Com os direitos econômicos fixados em 6,5 milhões de euros (R$ 17,1 milhões), o Fluminense topou pagar este valor e o São Paulo, que ofereceu pouco menos, perdeu a concorrência. O Tricolor paulista fez uma sondagem pelo meia, mas não chegou a fazer uma proposta, já que os cariocas foram mais rápidos e fecharam o negócio. Thiago Neves está bem no Rio de Janeiro e tem sido um dos principais jogadores do time na luta pelo título (é o líder) do Brasileirão. Também voltou a ser convocado por Mano Menezes.

Nilmar
Após longa negociação, o São Paulo não contratou o atacante, que pertencia ao Villarreal (ESP). Depois de ficar mais um tempo na Espanha, ele foi negociado com o Al Rayyan (EAU), onde recebe alto salário. A remuneração foi o que pesou para Nilmar não acertar com o Tricolor. Com tudo definido para a compra junto ao Villarreal, não houve definição do salário, já que o atleta queria ganhar algo em torno de R$ 500 mil e o São Paulo oferecia cerca de R$ 350, além de luvas e um contrato de cinco anos. Sem Nilmar, o Sampa se mexeu, tentou o equatoriano Gerrón, mas acabou com Osvaldo, do Ceará.
Clube se cala e não fala sobre Ganso

Depois de ver o Santos emitir nota oficial, dizendo que aceita a oferta do São Paulo mas emperra a negociação de Paulo Henrique Ganso por não ter acerto com a parceira (tem 55% dos direitos econômicos do meia) DIS, a diretoria tricolor mantém a mesma postura e promete não se manifestar, seja com final feliz ou não, sobre a transação do jogador santista.

A reportagem do LANCENET! tentou contato com o presidente Juvenal Juvêncio e com o diretor de futebol Adalberto Baptista. Ambos não atenderam às ligações e nem retornaram. Adalberto, por mensagem de texto, avisou que eles não vão se pronunciar.

O São Paulo, mesmo por meio de nota oficial, para dar uma satisfação ao torcedor, decidiu não escancarar sua posição após a mudança de estratégia do Santos. Isso para não complicar a relação entre os clubes, que é considera boa. Eles não querem ter conflito, o que só prejudicaria o andamento das tratativas, pois a expectativa ainda é de ter o meia no Morumbi. O Sampa trabalha com o prazo de ter o atleta até sexta-feira, quando se encerram as inscrições do Brasileirão.

Por

Comments Closed

4 comentarios em São Paulo espera que negociação com Ganso tenha fim diferente de outras novelas

  1. é foda mesmo, o cara quer sair, o dinheiro da tranferência já foi acertado, o que diabos esse presidente do Santos quer ainda, aceita logo Karai, ele não quer mais o Santos!

  2. Olha essa noticia ja deu, não aguento mais essa historia paga os 53 milhões e fica com os 100% eai a a dis quiser comprar uma porcentagem o spfc repassa eo santos vai pro inferno tie medrioque e sem palavra, falou se pagasse os 23,8 milhoes podia ficar com o jogador pois eles achou q o maior do mundo não tinha bala na agulha, ai pagamos e eles vem com essa história agora time de tranqueira mesmo nem tenho o q falar…….

  3. Gostaria de dizer que na minha opinião o SPFC tem somente dois caminhos a seguir neste momento, e estão claros com água.

    1°- Fazer o depósito de 53 mi na conta do Santos, adquirindo assim 100% do passe e direitos federativos do atleta, sem que ninguém possa fazer absolutamente nada. E a DIS e o Santos que matem pra repartir o dinheiro depois.

    2°- Desistir oficialmente e definitivamente da negociação, deixando o Santos e a DIS a ver navios, acabando assim com as 1001 exigências idiotas do Santos, que faz doce, mas ta louco pra por a mão no dinheiro.

    Ps.
    Exclusivo!
    Ao receber a seguinte afirmação de um jornalista, vejam o que o Alalaor respondeu:

    Jornalista: Alalaor, lambari da o c… dentro d’água!
    Alalaor: Eu fora!

  4. Larga mão do ganso ta perdendo tempo com isso, contratem o giovanni do santos, nem que ele jogue so o ano que vem, bem melhor que o ganso e e mais barato.