Febre Tricolor – Detalhe essencial

9
869
Elenco precisa de detalhes para atingir protagonismo

O diretor executivo de futebol do São Paulo, Raí Oliveira, tem um desafio do tamanho de sua história para fazer com que o clube retome o caminho da competitividade, da busca por títulos e da briga no topo da tabela. Em tese, não é fácil levar um time da 13ª colocação na liga nacional para o protagonismo do futebol brasileiro. É importante, entretanto, observar que não chega o mesmo com terra arrasada, dados os resultados obtidos no segundo semestre.

A chegada de ativos ao clube como Petros e Hernanes, a consolidação do bom futebol de Cueva após a contusão e a contratação de Jucilei por quatro temporadas, ocorrida nessa semana, dão a certeza de uma forte composição de meio-campo. Pode ser ainda melhor se verdadeiras as informações prestadas pelo ex-diretor de futebol do Corinthians, Flávio Adauto: a suposta informação de que Raí estaria no Rio de Janeiro para acertar com Gustavo Scarpa. Desconfia-se, pois não é exatamente alguém que queira o bem do Tricolor. O nome, sem embargo, faz jus ao tipo de jogador que o São Paulo deveria querer.

Esse é apenas um exemplo. A boa base de jogadores montada pelo São Paulo Futebol Clube no segundo semestre – boa base titular – requer contratações pontuais, principalmente nas laterais, defesa e pelo menos um jogador protagonista de ataque. Essa montagem não é tão simples quanto parece. Nesse momento, a diretoria de futebol não tem chance pra erro. São os detalhes essenciais que podem fazer o São Paulo brigar ou não por títulos, e voltar a ter o protagonismo.

Três bons conselhos

Programa “Opinião Tricolor” trouxe visões importantes de conselheiros

Assistia nessa tarde o programa “Opinião Tricolor” na Alltv, no You Tube, que reunia a participação de três importantes conselheiros tricolores: Douglas Schartzmann, Dourival Decosseau e Ópice Blum. Uma “oposição” consciente, que de fato quer o bem do São Paulo Futebol Clube. Por incrível que pareça cada um dos conselheiros deu opiniões que parecem simples, mas que são fundamentais.

O advogado José Roberto Ópice Blum, diretor-jurídico do Tricolor nos anos de 1998/99, falou sobre a necessidade de uma gestão financeira responsável, quando da formação do elenco de futebol. Relembrou sobre o recolhimento de cifras de R$ 40 milhões com a venda de David Neres, e da desnecessidade de investimentos de R$ 10 milhões em jogadores como Aderllan e Maicosuel – quase a quarta parte da verba, que poderia ser usada para trazer protagonistas.

O ex-vice presidente de Marketing na gestão de Aidar, Douglas Schartzmann, ressaltou sobre o perigo dos diretores de futebol cederem aos empresários, que têm interesse de lucro na saída e chegada de jogadores nos diversos clubes do futebol brasileiro. Reitera o conselheiro que cabe ao comandante do futebol do clube ter traquejo, para não se deixar levar pela influência de empresários. Mas, ao mesmo tempo, ter habilidade para manter relacionamentos, pois os clubes dependem destes profissionais para intermediar negócios.

Quanto ao médico Dourival Decosseau (pai do ex-jogador Caio Ribeiro), ressaltou o mesmo a existência de prontuários para se avaliar a condição física/clínica de cada um dos atletas profissionais que chegam a um clube de futebol. Manifestou-se em relação a casos recentes como os de Maicosuel, Wellington Nem e Paulo Henrique Ganso; afirmando que, principalmente os dois primeiros, sequer tiveram chance de atuar nesse ano.

Auxílio tecnológico 

Outra ferramenta indispensável para a formação de um elenco de futebol é o uso da tecnologia. Os principais clubes do País dispõem hoje de um departamento de análise de desempenho e estatísticas, que pode ser fundamental não só para a descoberta de bons valores na América Latina, por exemplo, como também para saber que jogador do seu time está entregando mais em termos de produtividade. Foi exatamente com base nesses dados que o ex-diretor de futebol Vinícius Pinotti não pensou duas vezes e agiu para a compra definitiva de Jucilei, jogador com elevado número de desarmes e passes acertados.

Mas não só o departamento de análise de desempenho e estatísticas pode ser usado como inovação tecnológica. Para quem não tem esse conhecimento, atualmente temos softwares que estabelecem um conjunto de jogadores ideais e combinação de características que podem levar um clube a ser vencedor. Como exemplo temos aquele lateral que não passa do meio-campo ou aquele centroavante paradão, poderá ser essencial para um atacante de velocidade decidir o jogo ou a infiltração de um volante de boa chegada.

Todos os bons conselhos que podem conduzir o São Paulo a voltar a ser competitivo, brigar no topo da tabela e, principalmente, voltar a conquistar títulos; devem ser levados em consideração. É importante acender o sinal de alerta e crescer com os erros do passado para uma retomada que deve ser embasada no detalhe essencial.

Contato:

@RealVelame ou [email protected]

Alexandre Velame é Jornalista e Advogado, são-paulino há quase três décadas e usuário da SPNet desde 1997. Escreve nesse espaço aos domingos.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

Comentários

comentários

9 COMMENTS

  1. Alexandre Velame.

    Eu não ia me meter nesse assunto mas não consigo ficar quieto. Eu sou assim mesmo, não posso ver uma confusão que me meto no meio dela. Kkkk

    Você falou que nunca humilhou o Imiv, o que não é verdade, vc já o fez,e mais de uma vez, e vou te lembrar.

    Costumeiramente você fala que nós dois somos um só. Já falamos várias vezes que não somos, ele é paulista e eu pernambucano. É fácil saber, é só ver o IP da máquina.

    Como vc já me chamou de lunático, bagunceiro, louco, analfabeto e amador, automaticamente o chamou também, isso é fato.

    A grande diferença é que eu não dou importância a esse tipo de comentários, caso contrário eu já teria saído daqui há muito tempo, visto que você não foi o primeiro e provavelmente não será o último ae xingar.
    Minha forma de pensar leva a esse tipo situação, mas como toda ação gera uma reação, é normal o comentário do Imiv.

    • Boa noite LG, vejo nosso debate sempre como sadio.

      Nunca te chamei de analfabeto, bagunceiro e louco. Isso fica por sua conta. Quando falei “lunático”, não foi diretamente a você e sim a alguns comentários.

      Você não provou em que ponto eu tenha “humilhado” o Imiv.

      Só acho “lunático” quem discute a grandeza de Rogério Ceni como ídolo.

      De modo contrário o Imiv sim já humilhou o Rogério Ceni, chamando o cara de “múmia”, “mun-ha”, etc.

      Querem vir contra nós tricolores venham, mas depois aguentem o tranco!!

      • Como não??

        Vc escreveu o seguinte:

        Se eu fosse dono do site vc não escreveria porque eu prezo pelo português, aí vc fala que eu não sei escrever, ou seja, quem não sabe escrever é analfabeto ou semi-analfabeto.

        Vc disse que num lugar onde eu escrevo está aí a bagunça, isso quer dizer o que então??

        Você escreveu: vc não passa de um lunático.

        Como já falei, não me importo com isso, geralmente levo na boa mesmo.

        Agora ninguém está indo “contra “os tricolores”, não estou vendo nenhum rival por aqui, apenas pessoas que não gostam de jogador A ou B independentemente de alguns os considerarem ídolo.

        Ser contra o Ceni não é ser.contra o São Paulo. O São Paulo é infinitamente maior que ele ou qualquer outro jogador que já passou ou que ainda vai passar por aqui.

          • Eu prezo pelo português, não quer dizer “você é analfabeto”. É questão de interpretação.

            Sobre a bagunça não é relacionado a você. Bem colocado, é ao fato de deixar escrever.

            Lunático eu disse em relação a não considerar Rogério Ceni ídolo do clube, isso independe de avaliação. É, e ponto. Pelo número de jogos, de títulos, etc. Não adianta você vir aqui e querer ofender o cara, e achar que tá ok.

            Óbvio que isso não significa que ele é maior que o São Paulo.

            O resto é apenas exagero seu e dificuldade de não aparecer. Mas a psicologia explica isso.

  2. Só entrei aqui para expressar a minha indignação quanto ao comentário feito por um tal de Caue Rodrigues na coluna do Matheus Couto que eu não conheço.
    A gente tem que ter um pouco de respeito pelos outros, e o que eu comentei foi o seguinte:

    É mais um idiota que junto com um tal de Alexandre Velame entram no site não para opinar, dar o seu ponto de vista e conversar numa boa mas para humilhar as pessoas, vc entra aqui para ver reportagens sobre o Tricolor ou para corrigir erros da lingua portuguesa, vc. é HD em que? Vc. fez intercâmbios na Irlanda, Estados Unidos, Austrália, Canadá, Nova Zelândia, Reino Unido, então fica quieto e respeite as pessoas.

    • Bom dia Imiv. Nunca te humilhei, ou fiz algo parecido. Uma vez brinquei com um erro de português do LG, e ele também fez comigo. Não sei porque você está tomando dores ‘dele’, mas imagino. Quanto você vir aqui ofender o Cauê Rodrigues, deveria tratar disso com ele. Abraços.