Memórias Tricolor #36 – De Sordi, um recordista

0

De_SordiHoje a Coluna Memórias Tricolor conta a história do dono da lateral direita por 14 anos, em incríveis 544 jogos com as cores Tricolor…

Natural de Piracicaba, interior do estado de São Paulo, Nilton De Sordi nasceu em 14 de fevereiro de 1931 e foi pelo simpático XV de Piracicaba que De Sordi começou sua carreira em 1949 e logo despertou interesse dos dirigentes Tricolores. Em 1952 foi contratado pelo São Paulo para fazer história, ser o dono da lateral direita por 14 anos e defender as cores Tricolor por incríveis 544 partidas, um verdadeiro recorde.

Pelo São Paulo, De Sordi conquistou duas vezes o Campeonato Paulista em 1953 e 1957, conquistou 296 vitórias, 131 empates e 117 derrotas. Excelente marcador, pouco apoiava o ataque como era costume na época, pois os laterais tinha como principal função auxiliar a defesa. Com 1,71m de altura era um jogador de baixa estatura, porém cabeceava com frequência e precisão e chegou a jogar de zagueiro central tanto no São Paulo como pela Seleção.

De_Sordi2

De Sordi jogou ao lado de lendas como Maurinho, Zizinho e Canhoteiro, é um dos grande ídolos do São Paulo e está entre os jogadores que mais vezes atuaram pelo Tricolor, ocupando a 3ª colocação, sendo que durante muitos anos liderou este ranking.

Pela Seleção Brasileira foi convocado pela 1ª vez em 1954, porém não foi para a Copa do Mundo, defendeu as cores da seleção canarinho até 1961, sendo sempre titular e viveu o maior momento que um jogador pode viver em 1958, sendo Campeão do Mundo. O fato curioso é que não disputou a final contra a Suécia, pois no jogo anterior na semifinal contra a França sofreu uma contusão muscular que o impediu de jogar. Em seu lugar entrou Djalma Santos que comeu a bola e só não foi o melhor jogador da final pela grande atuação de Pelé, porém Djalma Santos foi eleito o melhor lateral da Copa, ironia com nosso ídolo De Sordi. Pela seleção disputou 25 jogos.

Em 1966 se transferiu para o União Bandeirante, da cidade de Bandeirantes no interior do Paraná, e encerrou sua carreira no mesmo ano. Após se aposentar treinou o União Bandeirante por duas oportunidades e foi curtir sua aposentadoria.

Em 24 de agosto de 2013, após muito conviver com o terrível Mal de Parkinson, De Sordi veio a falecer aos 82 anos de idade por falência múltipla dos órgãos.

Nilton de Sordi, 544 jogos defendendo as cores do São Paulo, é sem dúvida alguma, um de nossos grande ídolos e merece estar na galeria de craques do nosso amado Tricolor

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindoGustavo Flemming, 40 anos de amor ao SPFC, é empresário no segmento de pesquisa de mercado e consultoria em marketing.

Contato: [email protected]

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

Comentários

comentários