Terças Tricolores – Estão Insistindo no Erro?

8
748

É um fato que a cultura do futebol brasileiro exige resultados imediatos ou o comandante é quem perde o emprego. Não é incomum, já no começo do ano, técnicos serem demitidos, novos comandantes chegarem e esses saírem antes do começo do Campeonato Brasileiro.

Infelizmente, faz parte do nosso cotidiano esportivo. Mas o que dizer do trabalho do Dorival, como mensurar o que vem acontecendo com o nosso comandante? Com menos de um ano de trabalho seu maior feito foi livrar o time do rebaixamento e vale ressaltar que teve a ajuda do Hernanes. Essa ajuda e protagonismo, inclusive, escondem qualquer coisa que ele tenha feito, sendo que, particularmente, eu esperava muito mais e não vi nada até agora.

Sempre ficará a pulga atrás da orelha de que, se não fosse pela chegada do Profeta, o time não teria conseguido reagir e não teria saído do buraco em que se encontrava. Devo dizer que, hoje, em fevereiro, eu concordo com isso. Apesar de coletivamente termos feito bons jogos, como Santos e Corinthians, perdemos os dois e o que vale, no fim, é o placar e não a dominação do adversário.

O time não consegue jogar contra os pequenos e alguns atletas, em minha opinião o peruano, estão afinando de sobremaneira. Nos últimos 3 jogos o Cueva perdeu gols que não se pode perder, chegando ao ABSURDO de perder um pênalti no último lance do jogo contra o Ituano.

Inaceitável para um cara que quer ser o craque do time, que se reapresenta depois dos outros e vai para a Copa do Mundo. Apesar de tudo isso, não vejo a torcida cobrando o que precisa ser cobrado dele. De toda forma, hoje, não sou totalmente contrário a demissão do Dorival.

Claro que, se for para trazer Luxemburgo e outras palhaçadas do gênero, eu sou contra, mas se for para trazer alguém cascudo, eu aceitaria. O time tem bons valores, mas que precisam de um conjunto para funcionar. E cabe ao técnico achar e fazer esse conjunto operar de maneira satisfatória.

Dorival acho que seu tempo já deu! Que venha Cuca, Abel, Leonardo (mais uma aposta, mas com o respaldo da diretoria e a confiança do Raí) ou alguma outra surpresa. Não apostaria no Jardine, mas o prepararia para daqui uns dois anos, deixando-o como auxiliar fixo na comissão técnica. Já mostrou ter potencial, mas no futebol profissional o buraco é mais embaixo.

Por fim, para encerramos a coluna de hoje, temos que falar do Cipriano que decidiu não renovar o contrato com o SPFC. Não sei qual a condição de vida do garoto e sei que é o pai quem cuida de sua carreira, tendo em vista que era empresariado pelo Figger e agora não é mais. Mas recusar uma proposta para ficar no SPFC, clube que lhe deu tudo e abriu a porta do futebol é muita arrogância.

Não vivemos nossos melhores dias, mas o São Paulo ainda vale a pena e, essa atitude, o coloca no hall de atletas pouco queridos, como Oscar, Diogo Estrela, etc, etc. Tenha sorte seja lá onde for e obrigado por nada!

É isso!

Dúvidas ou reclamações?

@Abroliveira ou [email protected]

Abrahão de Oliveira é jornalista, formado pela Universidade Metodista de São Paulo, dono da @spinfoco e são-paulino desde que se conhece por gente.

Comentários

comentários

8 COMMENTS

  1. É simplório demais culpar o técnico, na verdade o Dorival é a “unha encravada” o “cancer” está no grupo que há muito desmanda no SPFC, incluindo aí as 124 amebas conselheiros que elegeram a atual gestão.

  2. O problema do time é cíclico. Demitimos técnico, reformulamos elenco e assim vai. Se demitir o Dorival agora vai vir o Abel ou Luxa sei lá, vai precisar de tempo, 30 dias pelo menos aí já foi o paulista. Abre a janela vendemos 2 ou 3 e contratamos mais jogadores nas pressas sem planejamento e ai não dá certo põe a culpa no técnico e troca novamente. Esta é nossa realidade faz tempo.
    Deixa o Dorival, nosso elenco tem que comprar a idéia do técnico, temos que ajustar os pensamentos, fazer nossa diretoria assumir compromisso e não deixar tudo nas costas do técnico.
    Jardine é ilusão, treinar sub 20 é uma coisa profissional é outra madeira, ainda mais sob pressão, é tiro no pé.
    Vamos fazer diferente, deixa o treinador por mais tempo, precisamos superar os erros da diretoria na marra, somente assim ficará claro a capacidade de nossos administradores

    • Eugenio muito boa sua análise, só acrescento que há muito deixamos de ser um time de futebol e passamos a ser uma empresa de venda de jogadores. Ou mudamos esta mentalidade arcaica que há muito impera no Morumbi ou logo estaremos amargando a segunda divisão.

    • Não sei qual sua profissão, mas não desdenhei nenhum momento disto, até porque você não sabe como atuo, etc. Lamento que seja tão difícil pra você interpretar simples opiniões, mas entendo. Boa noite.

  3. Tenho que admitir que o melhor comentarista do site é o Gabriel Silva a sua análise sobre o Tricolor é magnifica, só queria saber se ele vende também Atestado Falso para abono de faltas na firma, Celular Roubado, Whisky falso vou ligar para o seu celular.

  4. Que bom que não estamos sozinhos Abrahão!
    Mais um colunista admitindo a ineficácia do trabalho do Dorival e a influência moral e técnica que Hernanes trouxe ao time livrando-o do rebaixamento.

    Detesto ser pessimista, mas se nenhuma novidade acontecer desta vez o Tricolor não escapa.

    Que situação do SP, até jogadorzinho de base “pulando fora”.