Saídas e chegadas: veja como o São Paulo se prepara para a janela de transferências

0

GloboEsporte.com

André Hernan, Leandro Canônico e Marcelo Hazan

Tricolor não projeta debandada de jogadores na metade do ano.

A diretoria do São Paulo tem se preparado para enfrentar a próxima janela de transferências internacionais. O mercado de países como Espanha e Itália abre em julho, enquanto Inglaterra e França iniciam em junho. A expectativa é de perder jogadores.

O Tricolor acredita que os principais alvos estão no setor defensivo. Além de Éder Militão, que tem contrato até janeiro de 2019 e está com renovação emperrada, Rodrigo Caio e Arboleda podem receber propostas.

O mais provável é que Rodrigo Caio deixe o Tricolor se receber uma oferta vantajosa. Mas Arboleda é prioridade para permanecer. O zagueiro está em alta e recentemente renovou contrato até 2022.

Elenco do São Paulo sofrerá mudanças para o segundo semestre (Foto:  Érico Leonan / saopaulofc.net)

Elenco do São Paulo sofrerá mudanças para o segundo semestre (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

O São Paulo acredita ter no elenco atual os jogadores que seriam as peças de reposição. Principalmente por ter promovido atletas da base ao profissional.

Para o lugar de Cueva, que pode nem voltar a disputar uma partida pelo São Paulo depois da Copa do Mundo, a diretoria vê boas opções no elenco, como Lucas Fernandes e Shaylon, além do titular Nenê.

Revelados na base, Shaylon e Lucas Fernandes estão em busca de espaço com Diego Aguirre. Shaylon, inclusive, teve a saída vetada pelo treinador uruguaio. Seu nome esteve em pauta durante conversas com o Atlético-PR, mas a possibilidade não existe mais.

Leco e Raí no CT do São Paulo (Foto: Maurício Rummens / Estadão Conteúdo)

Leco e Raí no CT do São Paulo (Foto: Maurício Rummens / Estadão Conteúdo)

Embora haja a necessidade de o São Paulo vender atletas, a possibilidade de uma debandada é descartada pelo Tricolor. Por outro lado, o clube inicialmente não pensa em contratar reforços nesse período.

Aquela máxima de que não existe elenco fechado tem sido considerada pelo São Paulo, mas a intenção é não gastar mais dinheiro – foram investidos até aqui, em 2018, quase R$ 50 milhões em reforços. Exceções serão abertas em caso de oportunidades de mercado.

 

Comentários

comentários