SP celebra “melhor nota” por gramado do Morumbi e põe prazo para melhorias

0

Bruno Grossi, José Eduardo Martins e Luis Augusto Simon – Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Segundo o Tricolor, CBF colocou o gramado do Morumbi como o melhor do país

O São Paulo diz ter recebido da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a melhor nota para os gramados do país na temporada. A pontuação dada ao campo do Morumbi, que passou por reformas no ano passado, foi de 4,67, com a nota máxima sendo 5. Esse limite só não foi atingido, segundo o Tricolor, por pontos perdidos no quesito “drenagem”.

O estádio também passou por análise da Conmebol, antes do jogo contra o Rosario Central pela Copa Sul-Americana, e só recebeu uma ressalva: melhorar a distribuição de sinal de internet. Os são-paulinos asseguram que o problema já foi resolvido.

Esses elogios deixaram o Tricolor satisfeito com as pequenas reformas de infraestrutura que têm sido feitas no Morumbi nos últimos dois anos. Essas melhorias, conforme publicado em relatório da gestão há menos de um mês, seguem em andamento e a diretoria agora aponta prazos para conclui-las. É uma forma de evitar promessas vazias sobre reformar o estádio, algo que incomoda boa parte da torcida.

As novas etapas da modernização do Morumbi devem começar entre junho e julho, quando as competições estarão paralisadas pela disputa da Copa do Mundo. A prioridade do clube está na troca dos refletores e na reforma dos vestiários. A ideia é que ambas obras fiquem prontas ainda nesta temporada.

Os refletores serão trocados por lâmpadas de LED e terão a potência máxima permitida pela Fifa. Já foram realizados testes pelo departamento de infraestrutura do Tricolor, que agora terá reuniões na Coréia do Sul para definir uma parceria para a troca do equipamento. O plano é, em todas essas melhorias do estádio, encontrar investidores ou parceiros para evitar ou minimizar gastos.

No caso da reforma dos vestiários, a aliada deve ser a Ambev, via Brahma. Os espaços destinados ao São Paulo e aos visitantes serão ampliados, bem como o túnel central de acesso ao gramado. Assim, haverá uma área de convivência maior para os times na saída dos vestiários e os jogadores poderão subir juntos por um corredor maior até o campo, já que essa cerimônia se tornou protocolar em todas as competições.

Ainda há dois projetos mais embrionários, mas que também podem começar a se concretizar em 2018. Um envolve a construção de uma espécie de usina de energia solar. Painéis de captação seriam instalados no anel superior do Morumbi, cobrindo entre quatro e cinco lances das arquibancadas. Não é uma cobertura propriamente dita, mas deixaria uma pequena parcela do setor mais protegida das ações do tempo.

O objetivo do São Paulo com isso é produzir energia suficiente para não precisar mais pagar à Eletropaulo seu consumo interno e ainda vender o que sobrar. Ações de marketing envolveriam até a venda para torcedores. Uma das empresas interessadas no projeto é a alemã Siemens, mas o martelo ainda não foi batido.

Por último e ainda mais distante, a princípio, está a instalação de telões. Esse plano ainda está em fase de estudos, tanto na busca por parceiros como no formato ideal para atender ao formato do Morumbi. O mesmo serve para a ideia de esticar o anel inferior para mais perto do gramado, cobrindo o fosso. São ideias ainda sem prazo estabelecido para se concretizarem.

Comentários

comentários