Observatório SPNet – Para matar a saudade

155

PARA MATAR A SAUDADE

Até que enfim um jogo para o torcedor do São Paulo FC matar a saudade de sentir orgulho do seu time. Depois de dezenas de quartas-feiras indo dormir frustrado e sendo motivo de chacota no dia seguinte, o são-paulino se surpreendeu com uma equipe cascuda e organizada, que se impôs desde o início do jogo marcando com aplicação e atacando com objetividade.

DESTAQUES DO TIME

Jonathan Calleri tem o chamado “perfil de Libertadores”. Não desiste das jogadas e está o tempo todo pressionando a zaga adversária, ajudando na marcação, catimbando. Caiu nas graças da torcida definitivamente e justifica absolutamente a titularidade até aqui.

Hudson é o famoso carregador de piano. Não aparece para a torcida, mas cumpre um papel fundamental no sistema defensivo. Fez um grande jogo contra o River e foi um dos destaques do time.

Ganso estava a fim de jogar. Fez um daqueles jogos em que ele assume a responsabilidade de ser o camisa 10, cadenciando o jogo, dando passes em profundidade, desestabilizando o adversário com seu talento e sua capacidade de improviso. É por causa de apresentações como essa que se espera sempre mais dele.

RESGASTE DA CONFIANÇA

O São Paulo em reconstrução está aos poucos adquirindo confiança, vinda agora também das arquibancadas. O trabalho do Bauza requer tempo para apresentar resultados e uma partida como essa mostra que vale a pena esperar. Um novo triunfo diante do Audax poderá trazer uma tranquilidade inédita nos últimos tempos. Acredito num jogo difícil.

LUGANO EM CAMPO

Mesmo com a vitória e o bom jogo, acho que Lugano deveria ter jogado na quarta-feira. Respeito a opção do Patón, mas espero que ele esteja em campo neste domingo pelo estadual. Mesmo não estando na condição física e técnica ideal, sua liderança é essencial em jogos decisivos.

DENIS

Sempre achei que Denis deveria ser o titular após a aposentadoria do Rogério. Para mim ele é melhor que Renan Ribeiro. Defendo que ele tenha o tempo necessário para se acostumar com o peso da camisa 1. Porém, falhas como as cometidas nos dois jogos contra River Plate são inadmissíveis.

Bauza já disse que não vai mexer no gol e isso obriga Denis a evoluir nos pontos em que vem falhando. Ele já é visto com desconfiança por boa parte da torcida.

O preparador de goleiros Carlos Alberto Gallo, que teve seu trabalho contestado quando trabalhava na Ponte Preta, terá muito trabalho pela frente.

PALPITE

Audax 1 x 2 São Paulo FC

DICA MUSICAL

Para ouvir no almoço deste domingo:

https://www.youtube.com/watch?v=mr0ZUETRnJk

?

 

Sandro Acosta é jornalista e escreve nesse espaço todos os sábados.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

1 COMENTÁRIO

  1. Terei que discordar em um ponto: Dênis não é melhor que Renan!

    Agora entendo porque Dênis não saia do gol nem na pequena área: Ele é ruim quando sai do gol.

    Pode ser bom embaixo das traves, mas o goleiro tem que saber sair certo e ter tempo de bola. Rogério Ceni cortava até passes na frente do gol porque sabia sair direito. Já Dênis toma gol de cabeça dentro da pequena área porque não sabe sair do gol.

    Se eu fosse Bauza, quando Renan voltasse e Dênis falhasse novamente, eu daria um chance ao Renan. Se não correspondesse também eu daria uma chance ao Léo quase ninguém viu jogar.

    Agora se os 3 não servirem como arqueiro titular, ai é a hora da diretoria contratar Ochoa do Málaga, com passagem na seleção do México. Goleiraço que está encostado como Walter nas galinhas.