Além das 4 linhas – Torcida e comissão técnica

79

No jogo da semana passada contra o Toluca no Morumbi, Michel, Centurion e Thiago jogaram muito bem e fizeram os gols. Curiosamente os três andavam em baixa conosco, a torcida do mais querido clube do Brasil, o clube da Fé.

Eu fiquei imaginando o quanto é complicado administrar um clube de futebol, onde a paixão é muito forte, mas a razão não pode ficar de fora nunca. Todos os jogadores são profissionais e vestem a camisa do SPFC por méritos e por escolha da nossa comissão técnica. E quando estes jogadores atravessam má fase, a comissão e a diretoria seguram a bronca. A torcida já quer dispensar os caras na hora.

Quando o clube tem condições de ter um elenco numeroso, a má fase do jogador não é tão sentida, mas quando o elenco é reduzido, a coisa esquenta. Logo que Kelvin foi contratado, Centurion estava em má fase e teve que jogar mesmo fora das melhores condições físicas e psicológicas. O moleque foi forte naquele momento. Assim que Kelvin entrou em forma foi para o time titular e Centurion foi treinar para recuperar seu futebol, o futebol que o fez ser destaque do campeonato Argentino, das seleções de base daquele país e ser campeão nacional com seu ex-clube, tendo sido o destaque daquele ano no país vizinho.

Torci muito por ele na partida do Morumbi. Precisamos do futebol do garoto. Mas confesso que fiquei preocupado por não ter as duas opções da posição para o jogo. Mas veio a partida e todos sabem o que rolou. Agora torço ainda mais para isso ter motivado o jogador e ter dado paciência à torcida, que deve passar a apoiar o jogador. O Patón sabe segurar estes rojões.

Agora o assunto tem sido o Kardec, que passa por má fase, mas tem muito potencial. O SPFC tem no elenco muitos jogadores com nome e que não estão ou não estavam rendendo. Eu já escrevi aqui neste espaço que para mim o problema é de gestão, ou seja, nosso departamento de futebol estava administrado por pessoas que não eram do ramo. Pelo visto isso mudou com a promoção para o profissional do Luis, nosso novo diretor de futebol, que logo de cara já botou o Michel no rumo certo através de uma conversa franca.

Demorou muito, alguns anos, mas estou vendo que o ambiente está mais leve no clube. O time fez excelentes partidas pela libertadores, principalmente River e Toluca no Morumbi. Eu não via um SPFC apresentar bom futebol desde 2012, quando o clube levantou sua última taça.

Estou feliz por ver o SPFC assim, que não seja fogo de palha.

Saudações tricolores

Carlito Sampaio Góes

carlito150x150

Carlito é advogado, trabalha como representante comercial, frequenta o Morumbi desde 1977 e prefere o time que vence ao time que joga bonito. Escreve nesse espaço todas as quintas-feiras.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.