Além das 4 linhas – Reforços

295

Desde que chegou ao SPFC o treinador Patón luta para dar mais “jerarquia” ao elenco como ele gosta de dizer em seu idioma. Dar jerarquia é dar mais gabarito. Está certo o Patón.

A questão central é se o clube quer e pode dar esta jerarquia ao elenco e ao Patón.

Mas de qualquer forma, conversas andam surgindo de bons reforços para o SPFC. O que mais gostei de ouvir foi uma possível volta do Hernanes. Seria uma ótima para o lugar do Ganso. Uma luva. Um São Paulino com a camisa 10. Este sabe jogar como poucos e é líder e exemplo. Um outro jogador que pode vir para vestir a 10 é o Diego, ex Santos. Está em baixa e quer voltar. Está no Fenerbahçe da Turquia e ainda tem 31 anos.

Outro reforço muito comentado é o lateral direito Buffarini, do San Lorenzo. Um velho desejo conhecido do Patón e chega para ser titular. Bruno, bom jogador, seria um bom reserva e nos tira da situação de não termos peças para o setor. O volante Ortigoza também do San Lorenzo é sempre comentado, também é desejo do Patón. Trata-se, em minha opinião, de boa contratação, afinal o elenco não tem um único primeiro volante de ofício.

A saída de Rodrigo Caio não será sentida pelo time em minha opinião, pois Lyanco é melhor. O Ganso é craque, é uma perda grande pela qualidade dele. Mas se Hernanes voltar, o nível ficará bom. O Cueva joga na do Ganso também. O problema do Cueva jogar na do Ganso e de Hernanes não ser contratado é que ficaremos sem um bom jogador para o lugar de Michel ou Kelvin quando estes não puderem jogar, coisa que aconteceu nesta quarta feira pela libertadores. O Luis Araújo é ainda muito novo, apesar de ter muito potencial. Aos poucos vai ganhar experiência e será titular, ou será vendido antes, como muitos outros. O clube faz dinheiro da molecada. Está certo.

Desta forma que escrevi acima, se tudo isso acontecer, o time ficará mais forte do que é até aqui e ainda contará com opções para outras escalações, coisa que hoje não temos e considero isso o fator da derrota no jogo contra o Atlético Nacional no Morumbi. Afinal de contas, um volante foi escalado para a posição do Kelvin. Um clube que quer ser campeão deve dar algumas boas opções ao treinador para cada setor para que o sistema de jogo não seja alterado quando um titular não puder jogar.

Concluindo, para mim estamos a reconstruir o clube e o time. Após a pior crise de todos os tempos o SPFC está de novo disputando jogos importantes e tendo jogadores de destaque, além de um treinador que conhece do riscado e uma diretoria que tenta trazer a paz, apesar da saída ainda não bem explicada do Luiz Cunha da diretoria de futebol.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes

Carlito é advogado, trabalha como representante comercial, frequenta o Morumbi desde 1977 e prefere o time que vence ao time que joga bonito. Escreve nesse espaço todas as quintas-feiras.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

3 COMENTÁRIOS

  1. Hernanes e Diego são jogadores veteranos, que já passaram do auge, e são caros. Investimento alto que dificilmente terá retorno. Se eles vêm, podem até jogar bem 1 ou 2 anos no Brasileiro que tem nível mais baixo que a Europa, mas depois serão que nem o Lugano, jogadores com um excelente passado mas que pouco podem ajudar no presente, e não podem mais ser revendidos… Acho que tinha que investir sim, mas em jogadores brasileiros e sul americanos mais jovens com potencial de crescimento e valorização. Tipo o caso do Cueva. Tipo como foi o caso do Lugano em 2003, trazido pelo MPG. Pode trazer estrangeiros dentro desse raciocínio, mas cuidado pra não encher o time de argentinos só pq o treinador confia e conhece, afinal só podem entrar 5 estrangeiros em campo.