Febre Tricolor – História remontada

383
Gianni Infantino, o incauto presidente de uma federação de 113 anos

Durante 111 anos a Federação Internacional de Futebol (Fifa) reconheceu como campeões mundiais as equipes que disputaram o denominado “Mundial Interclubes”, responsável por reunir em uma disputa final os campeões da Champions League e Copa Libertadores da América. O tradicional torneio reproduziu confrontos entre europeus e sul-americanos desde o ano de 1960. Em 2016, porém, ao assumir como presidente da Fifa, o italiano Gianni Infantino (talvez por razões comerciais) tratou como campeões do mundo somente os clubes que venceram um torneio organizado pela Fifa, a partir de 2000. A pataquada do investigado presidente foi corrigida somente hoje.

A retomada desse reconhecimento por parte da entidade veio após reunião do Conselho Técnico da Fifa nessa sexta-feira, na Índia. Não é novo o fato de agentes políticos cometerem deslizes a serem corrigidos por órgãos técnicos. A fala do presidente da Fifa ao início do mandato, porém, beirou o estapafúrdio. É inegável reconhecer como campeão do mundo clubes que fizeram por merecer essa conquista aos nossos próprios olhos.

Qual são-paulino não lembra da dificuldade de acompanhar a final de 1992, transmitida, por exemplo, pela finada Rede OM (de Galvão Bueno) ou a emoção de esperar até 3h da manhã pela final contra o Milan, em 1993, naquele fantástico jogo transmitido pela Rede Bandeirantes e pela Rede Globo? O time de Raí, realmente, iria rivalizar com qualquer equipe europeia, disso não tínhamos dúvida. Eu, porém, aos 12 anos de idade em 1993, fiquei surpreso quando o São Paulo abriu 1 a 0 e depois 2 a 1 no Milan.

Meu saudoso pai, flamenguista, acordou quando a partida estava em 2 a 2. Expliquei a ele, eufórico, que meu time estava à frente do marcador em duas oportunidades. Já conformado com a disputa de pênaltis, vi Toninho Cerezo arriscar um lançamento para Müller. A mais pura raça brasileira prevaleceu e, com uma espécie de rolete, o atacante dividiu a bola com o goleiro Rossi – antes daquele jogo, imbatível há mais de 1.200 minutos – para fazer o terceiro gol e decretar o Bi-Mundial.

A camisa do São Paulo é tão poderosa que é capaz de produzir coisas incríveis. Nem o mais otimista são-paulino era capaz de acreditar numa vitória em cima do Liverpool, em 2005. Aquela equipe era a coqueluche europeia, o time a ser batido, recheado de estrelas como Luís Garcia e Steven Gerrard – e mais uma vez o São Paulo o superou. Desta vez num torneio organizado pela Fifa, e reconhecido como os demais, como sempre. Lamentável que qualquer entidade queira tentar desmerecer esses momentos mágicos das nossas memórias.

Mais do mesmo

Com a missão de moralizar a Federação Internacional de Futebol (Fifa) após todos os escândalos envolvendo o ex-presidente Joseph Blatter; o italiano Gianni Infantino chegou como figura inconteste, mas já não tem a mesma aceitação em seus pares. É alvo de seguidas investigações na Comissão de Ética da Fifa, seja por influência no resultado das eleições da Federação Africana, seja pelo uso de jatos particulares ou por resistir à independência de órgãos correlatos do futebol de cada País.

Não me parece que o órgão maior do futebol tenha ainda passado por aquela mudança geral que todos esperam. Ao menos, com pequenas atitudes como a de hoje, não dos agentes políticos, mas de órgãos técnicos, é que se inicia alguma moralização no esporte.

Confira a lista de campeões mundiais consolidada:

1960 – Real Madrid-ESP
1961 – Peñarol-URU
1962 – Santos-BRA
1963 – Santos-BRA
1964 – Internazionale de Milão-ITA
1965 – Internazionale de Milão-ITA
1966 – Peñarol-URU
1967 – Racing-ARG
1968 – Estudiantes-ARG
1969 – Milan-ITA
1970 – Feyenoord-HOL
1971 – Nacional-URU
1972 – Ajax-HOL
1973 – Independiente-ARG
1974 – Atlético de Madri-ESP
1976 – Bayern de Munique-ALE
1977 – Boca Juniors-ARG
1979 – Olimpia-PAR
1980 – Nacional-URU
1981 – Flamengo
1982 – Peñarol-URU
1983 – Grêmio
1984 – Independiente-ARG
1985 – Juventus-ITA
1986 – River Plate-ARG
1987 – Porto-POR
1988 – Nacional-URU
1989 – Milan-ITA
1990 – Milan-ITA
1991 – Estrela Vermelha-SRV
1992 – São Paulo
1993 – São Paulo
1994 – Vélez Sarsfield-ARG
1995 – Ajax-HOL
1996 – Juventus-ITA
1997 – Borussia Dortmund-ALE
1998 – Real Madrid-ESP
1999 – Manchester United-ING
2000 – Boca Juniors-ARG e Corinthians*  
2001 – Bayern de Munique-ALE
2002 – Real Madrid-ESP
2003 – Boca Juniors-ARG
2004 – Porto-POR 
2005 - São Paulo
2006 - Internacional
2007 - AC Milan
2008 - Manchester United
2009 - Barcelona
2010 - Internazionale
2011 - Barcelona
2012 - Corinthians
2013 - Bayern de Munique
2014 - Real Madrid
2015 - Barcelona
2016 - Real Madrid

* Nesse ano foi disputado tanto o Mundial Interclubes como Mundial Fifa 
(este organizado no Brasil, com o campeão nacional como convidado).

Confira o Ranking por Clubes:

1º - Real Madrid (ESP) - 5 títulos. (1960, 1998, 2002, 2014 e 2016)
2º - AC Milan (ITA) - 4 títulos. (1969, 1989, 1990 e 2007)
3º - SÃO PAULO (BRA) - 3 títulos. (1992, 1993 e 2005)
   - Boca Juniors (ARG) - 3 títulos. (1977, 2000 e 2003)
   - Barcelona (ESP) - 3 títulos. (2009, 2011 e 2015)
   - Bayern de Munique (ALE) - 3 títulos. (1976, 2001 e 2013)
   - Peñarol (URU) - 3 títulos. (1961, 1966 e 1982)
   - Nacional (URU) - 3 títulos. (1971, 1980 e 1988)
   - Internazionale (ITA) - 3 títulos. (1964, 1965 e 2010)
10º - Santos (BRA) - 2 títulos. (1962 e 1963)
    - Independiente (ARG) - 2 títulos. (1973 e 1984)
    - Ajax (HOL) - 2 títulos. (1972 e 1995)
    - Juventus (ITA) - 2 títulos. (1985 e 1996)
    - Porto (POR) - 2 títulos. (1987 e 2004)
    - Manchester United (ING) - 2 títulos. (1999 e 2008)
    - Corinthians (BRA) - 2 títulos. (2000 e 2012)
17º - Racing (ARG) - 1 título. (1967)
    - Estudiantes (ARG) - 1 título. (1968)
    - Feyenoord (HOL) - 1 título. (1970)
    - Atlético de Madrid (ESP) - 1 título. (1974)
    - Olímpia (PAR) - 1 título. (1979)
    - Flamengo (BRA) - 1 título. (1981)
    - Grêmio (BRA) - 1 título. (1983)
    - River Plate (ARG) - 1 título. (1986)
    - Estrela Vermelha (IUG) - 1 título. (1991)
    - Vélez Sarsfield (ARG) - 1 título (1994)
    - Borússia Dortmund (ALE) - 1 título. (1997)
    - Internacional (BRA) - 1 título (2006)

TOTAL: 28 clubes campeões do mundo.

Ranking de campeões por Países:

1. Brasil: 10 títulos (3 do São Paulo, 2 do Santos, 2 do Corinthians, 1 do Grêmio, 
1 do Flamengo, 1 do Internacional)
2. Espanha: 9 títulos (5 do Real Madrid, 3 do Barcelona, 1 do Atlético de Madrid)
2. Itália: 9 títulos (4 do Milan, 3 da Inter de Milão, 2 da Juventus)
2. Argentina: 9 títulos (3 do Boca Juniors, 2 do Independiente, 1 do Estudiantes, 
1 do River Plate, 1 do Racing, 1 do Vélez Sarsfield)
5. Uruguai: 6 títulos (3 do Peñarol, 3 do Nacional)
6. Alemanha: 4 títulos (3 do Bayern de Munique, 1 do Borussia Dortmund)
7. Holanda: 3 títulos (2 do Ajax, 1 do Feyenoord)
8. Inglaterra: 2 títulos (2 do Manchester United)
8. Portugal: 2 títulos (2 do Porto)
10. Paraguai: 1 título (Olimpia)
10. Iugoslávia: 1 título (Estrela Vermelha)

Fonte deste último: ESPN. 

Contato:

@RealVelame ou [email protected]

Alexandre Velame é Jornalista e Advogado, são-paulino há quase três décadas e usuário da SPNet desde 1997. Escreve nesse espaço aos domingos.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

 

5 COMENTÁRIOS

  1. Eis que surge um novo dia da semana

    Se o Velame escreve nos domingos e hoje é sexta, isso implica dizer que hoje é domingo-feira.

    • LG, num site em que até tu escreves – há quatro mãos, tuas e do Imiv – a bagunça tá montada! Desfrute-a!

      • Já falei que não sou o imiv, não tenho mais de um cadastro aqui.

        Uso o mesmo cadastro desde a época que se exigia o CPF, mas infelizmente foi retirada essa exigência.

        Nesse seu raciocínio, qualquer um que pense ou mesmo escreva parecido comigo seria eu usando outro link.

        Então todos os que pensam diferente também são uma só pessoa.

        Mas esquece.

        • Pois é, grande Artur, eu tinha sua autorização… por isso nem sei o que este rapaz está comentando aqui. Heheh! Mas já que ele pediu, o respondo, sem problemas…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

4 + 9 =