Memórias Tricolor #41 – Diego Aguirre

Resultado de imagem para Diego AguirreDiego Vicente Aguirre Camblor nasceu em Montevideo em 13 de setembro de 1965, desde criança seu passatempo preferido era jogar “bola”, jogava todos os dias tanto na escola como pelas ruas de onde morava. Quando estava com 16 anos foi inscrito como aspirante da equipe do Liverpool de sua cidade natal, e com 17 anos já integrava o time profissional.

Sua carreira é muito identificada com o Peñarol, time pelo qual teve duas passagens como jogador e duas como treinador, foi no Peñarol que obteve as maiores conquistas de sua carreira: Campeonato Uruguaio de 1986 e Copa Libertadores da América em 1987 como jogador, e o Campeonato Uruguaio de 2003 e 2009-10 como treinador.

Nos jogos finais da Copa Libertadores de 1987 contra o América de Cali, o jogo de ida o Peñarol perdeu por 2 a 0, no jogo de volta o América de Cali vencia o jogo e Diego Aguirre empatou, o jogo ficou 2 a 1 para o Peñarol e provocou o jogo de desempate em que o Peñarol venceu por 1 a 0, e em Santiago no Chile no Estádio Nacional Diego Aguirre fez o gol mais importante de sua carreira no último minuto da prorrogação selando o 5º título da Libertadores do Peñarol e, portanto sendo imortalizado na história do time uruguaio.

Do Peñarol Diego Aguirre se transferiu para a Fiorentina na Itália e Olympiakos da Grécia em 1988. Ao final de 1988 retornou a América do Sul para jogar no Internacional de Porto Alegre, onde foi o artilheiro na Copa Libertadores de 89, mas não conquistou nenhum título. Em 1990,Aguirre se transferiu para o São Paulo.

Resultado de imagem para Diego AguirreNo São Paulo,  Diego Aguirre jogou na equipe que seria a melhor do mundo por dois anos seguidos, porém infelizmente ele não pegou essa fase, a equipe Tricolor era forte, tinha sido Campeã Paulista em 1989, Vice Campeã Brasileira em 89 e 90. Após ser Campeão Paulista de 1989, e perder o título Brasileiro, a equipe do Morumbi ficou abalada e fez um pífio Campeonato Paulista, provavelmente o pior de nossa gloriosa história, o técnico era o também uruguaio Pablo Forlan com quem Aguirre se dava muito bem, porém os maus resultados derrubaram Forlan e o São Paulo contratou o maior técnico brasileiro, porém com fama de “pé-frio” apesar de seus muitos títulos, Telê Santana.

Com a chegada de Telê, Diego Aguirre foi perdendo espaço com apenas 17 jogos e 7 gols, deixou a equipe se transferindo para a Portuguesa onde jogou em 1991, e retornou ao Peñarol em 1992.

Sobre a temporada em gramados brasileiros Aguirre afirmou:

“O futebol brasileiro me deu o orgulho de ter jogado com o melhor, foi a chance de jogar não só com jogadores nacionais, mas em uma das melhores ligas do mundo”.

Após retornar ao Peñarol, Diego Aguirre jogou em diversas equipes com destaque para os argentinos Independiente em 1992 e River Plate em 1997 e 1998. Em 1999 pendurou as chuteiras e encerrou sua carreira de jogador pelo Rentistas de seu país natal.

Em 2002, Diego Aguirre iniciou sua carreira de treinador pelo Plaza Colonia do Uruguai, em 2003 foi contratado pelo Peñarol onde conquistou seu primeiro título como treinador. Foi ao Equador treinar o Aucas em 2006 e retornou ao Uruguai para dirigir o Montevideo Wanderers. Os bons trabalhos lhe renderam uma oportunidade na Seleção do Uruguai Sub-20. Em 2010 retornou ao Penãrol para conquistar o título nacional 2009-10. Em 2011 foi ganhar dinheiro e títulos no Qatar, ficou até 2014, retornando para a América do Sul. Em 2015 acertou com o Internacional.

No Internacional Diego Aguirre começou em excelente fase e levou a equipe ao título Gaúcho no 1º semestre, e a semifinal da Libertadores quando a equipe foi eliminada pelo Tigres do México. Em 6 de agosto foi dispensado com a equipe na 10ª colocação do Campeonato Brasileiro. Ao todo foram 48 jogos, 24 vitórias, 15 empates e nove derrotas.

No dia 3 de dezembro de 2015 antes da última rodada do campeonato foi anunciada sua contratação pelo Atlético Mineiro. Ganhou a Flórida Cup, e foi eliminado nas quartas de final da Copa Libertadores pelo São Paulo, pediu demissão e deixou o Atlético após 16 vitórias, 7 empates, 8 derrotas em 31 jogos. Em junho 2016 foi para o San Lorenzo, mas pediu demissão em setembro de 2017 após a equipe ser eliminada nas quartas de final da Libertadores.

Uma das principais características das equipes que Diego Aguirre comandou são: espírito de luta, muitas descidas pelos laterais, rapidez para ir ao ataque e velocidade na ligação entre os meias. Sempre procura organizar e dar padrão as equipes que dirige.

Assim contratado até dezembro deste ano, Aguirre é o 15º técnico de origem estrangeira da história do Tricolor, e o 14º a ter jogado profissionalmente no clube e esperamos que possa dar a equipe organização e espírito de luta.

Sucesso Diego Aguirre, a Torcida Tricolor merece novas alegrias.

Gustavo Flemming, 40 anos de amor ao SPFC, é empresário no segmento de pesquisa de mercado e consultoria em marketing.

Contato: [email protected]

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

Facebook Comments