Terças Tricolores – Uma questão de negócio

3268

Não vou explanar minha opinião completa sobre o nosso camisa 10. De maneira simplória, ele foi importante, depois nos ignorou e quis se poupar por meses para a Copa do Mundo, onde teve atuações razoáveis, mas afinou na hora H.

Minha coluna de hoje será apenas uma questão de negócio. Obviamente a maior parte da torcida já perdeu a paciência com o jogador. Esse fato, aliado com a falta de vontade do peruano, minaram a relação dele com a instituição/torcida. A saída, portanto, é vende-lo. Se olharmos sua participação na Copa do Mundo, entretanto, veremos que o nosso ativo perdeu um valor absurdo. Se em fevereiro recusamos uma proposta de 12 milhões de euros (R$ 48 milhões à época), duvido muito que teremos outra situação parecida.

As atuações razoáveis e, principalmente o pênalti perdido, jogaram o valor lá para baixo. De maneira geral, esse é o preço que se paga por ser um omisso em seu clube. A seleção é uma extensão do que você faz no clube. O São Paulo não é um centro de preparação de jogadores para suas seleções, somos um time de futebol com alta exigência e que busca títulos. Como diria o Muricy, a bola puniu. Tomara que a diretoria faça milagres e o venda o quanto antes. O time anda muito comprometido e um cara assim só atrapalharia.

O assédio

É óbvio que, com toda a grana do mercado árabe, todos os brasileiros estão em risco. Os times virão com tudo para levar nossos destaques e, no nosso caso, querem o volante Petros (por enquanto). Eu, honestamente, não venderia. Só em caso do jogador pedir para sair. Tudo bem que não é um jogador titular, mas é importante para a rodagem do elenco e para a liderança de vestiário.

É visível que ele tem o respeito dos companheiros e, mais visível ainda, é sua postura com a nossa camisa. Nunca reclamou da reserva e, pelo que se observa, treina muito forte sempre. O time precisa de jogadores experientes e cascudos e, mesmo a proposta especulada sendo boa (R$ 25Mi), temos que pensar no ganho esportivo.

“Ah, mas sobe alguém da base…”, não adianta subir garotos da base, sem experiência, para decidir o campeonato brasileiro. O Brenner, no primeiro jogo contra o Paraná, saiu chorando e o Araruna, apesar de uma pequena melhora, é bem menos bola que o Petros.

Será que a diretoria tem algum bom volante em vista? Se a troca for, por exemplo, Petros por Jr. Urso, dá para aceitar. Mas a não ser que venha algum cara experiente, não vale a pena, pensando futebolisticamente, para o SPFC.

E A PERGUNTA DE UM MILHÃO DE DÓLARES: virá algum reforço de nome ou mais Rojas e Gomez?

É isso!

Comentários ou reclamações?

@Abroliveira ou [email protected]

Abrahão de Oliveira é jornalista, formado pela Universidade Metodista de São Paulo, dono da @spinfoco e são-paulino desde que se conhece por gente. 

7 COMENTÁRIOS

  1. Мне очень понравилась униформа adidas из Сан-Паулу, мне кажется, что источник чисел будет таким же, как и в выборе кубка в России

  2. Petros não faz a menor falta, não precisamos de um reserva líder de vestiário, precisamos de um titular líder de vestiário, o Petros fala mais do que joga.

    Em relação ao chinelinho do Peru, já escrevi o que penso a respeito dele.

    Acho que não virá mas nenhum Rojas ou Gomes, deve vir algum Paulo ou Ramalho

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

três × 1 =