LG em Foco – Raí, a culpa é sua

1666

Salve,   tricolores conformados

Depois de várias cagadas consecutivas produzidas por um dos piores presidentes que o São Paulo já teve (palavras do próprio Juvenal, que disse que o Leco não servia), cagadas essas que quase nos levaram para a série B ano passado, o Leco resolve tirar a responsabilidade de suas costas e contrata um profissional para gerir o futebol( o que é correto).

Mas como tudo no São Paulo combina com avareza, o presidente contrata uma pessoa sem experiência para assumir o futebol do clube, provavelmente para poder gastar menos, ou seja, economizar, porque alguém experiente com certeza exigiria bem mais da diretoria por saber que seu nome estaria em risco.

E nada melhor do que trazer um ídolo do passado ( ao meu ver o maior de todos), alguém que a torcida teria paciência, assim como teve com outro estagiário e também ídolo do passado, que se aventurou a ser treinador e quase nos leva para o maior vexame da história.

E quais os benefícios o Raí nos trouxe de imediato?

Trouxe dois amigos para dividir a bronca e desviar o foco da torcida, primeiro o Ricardo Rocha e depois o Lugano, ambos zagueiros bastante respeitados pela torcida. Mas onde eles estão agora?

Lembro que quando contrataram o Lugano, não sabiam nem o que ele iria fazer, mas mesmo assim o trouxeram e bem depois inventaram um cargo para justificar o salário que recebe.

Ainda assim sonhávamos com melhoras, e isso passaria logicamente por contratações.  Então logo de cara perdemos o Lucas Prato que forçou sua saída, e para seu lugar veio o meia que da noite para o dia virou centroavante ( maldito Tite) por 10 milhões, veio com ele um goleiro desconhecido por mais 10 milha, isso só porque o viram batendo uma falta(saudosistas miseráveis), veio também um Carneiro lesionado quando precisávamos de um atacante pra já, e por 15 milhões veio o Everton ( bom de bola, mas bichado). Contratamos ainda o Nenê, que por mais que saiba jogar, estava na cara que não aguentaria o campeonato sem um sombra e sem dar piti também, trouxemos o fraco Anderson Martins, zagueiro que faz lembrar o Emerson e o Rogério Pinheiro, o desconhecido Rojas e o Bruno Perez.

Esse mesmo diretor bancou a tragédia Dorival Júnior até onde não dava mais, ficou de bunda quadrada esperando pelo Gustavo Scarpa enquanto o Palmeiras lhe aplicava um chapéu, segurou mais uma vez o jogador de condomínio, perdendo uma grande oportunidade de se livrar desse peso morto por um bom valor, hoje não vale ⅓ do que já ofereceram. Manteve o mão-de-alface do Sidão no elenco e depois contratou o Aguirre pela única e verdadeira atividade do superintendente de relações institucionais até o momento.

Aguirre até fez algumas coisas boas, mas chega o momento onde os craques fazem a diferença, e esse é o problema, não temos craques.

Muito amadorismo, péssimo planejamento, e o resultado é esse, eliminados de todos os mata-matas precocemente,  acabou a chance do título do Brasileirão e se brincar disputaremos a Copa Sul-americana no próximo ano. Só nos resta saber em que rodada nosso rival será campeão.

Raí tem que ser cobrado, se tudo tivesse dado certo mesmo com essas cagadas ele seria endeusado, mas como de cagada só podemos esperar mau cheiro, a culpa é dele sim. Se aceitou o cargo, assume também os resultados.

Todo grande time começa com um grande presidente, e isso não temos desde Marcelo Portugal Gouveia, os seguintes apenas colheram o fruto de sua passagem sem nada semear para o futuro. Está na hora de deixar a soberba de lado e começar a imitar nossos rivais assim como eles fizeram conosco no passado.

Salvem o tricolor paulista.

Devolvam ao Gigante o seu status de gigante.

Luis Gustavo, mais conhecido como LG, é são-paulino desde 1990 e frequentador SPNET desde 2001

E-mail: [email protected]

9 COMENTÁRIOS

  1. A verdade é que o Anderson Martins não estava mal não, ficou ruim agora q a bomba relógio Sidão explodiu e acabou com a confiança e concentração do time, e se não bastasse isso o mau agouro bonzinho Caio voltou.
    Tava tão na cara que isso ia acontecer que aconteceu mesmo, um goleiro ruim não atrapalha somente levando frango, atrapalha em todos os níveis, jogador ja entra de saco cheio sabendo que vai se matar por nada, jogar pela sorte.
    Pior é a situação de escolha entre Jean e Sidão ser identica a situação das eleições: qualquer um que ganhar a posição representa uma grande encrenca e certeza de tristeza.

  2. LG, quando time vinha bem, você sequer aparecia por aqui. Foi só começar a perder que você ressurgiu para destilar sua eterna amargura. Rai chegou recentemente no cargo, e precisa de apoio, quiçá algumas contratações equivocadas. São muitos anos de bagunça generalizada, que não se resolverão em pouco tempo, infelizmente. Fico triste com a perda do título, mas reconheço que o trabalho, ao menos até aqui, é digno e honrado, sendo que o time sempre jogou no seu limite. O Rai é um cara sério, corrreto e honesto.

    • Não falei que ele não é sério, desonesto ou incorreto. Apenas lhe dei a devida culpa pelo fracasso desse ano.

      Ninguém está acima do clube, errou será cobrado.

      Fiquei ausente por problemas pessoais e não porque o time estava ganhando, até porque escrevi durante esse curto período de tempo.

      Raí contratou errado e isso é fato, se desse certo séria o mito, como deu errado é mais um apenas

  3. Muito bem, LG. E não pode ser esquecida a dívida do São Paulo junto aos bancos que nunca diminui. E tome juros, os torcedores enchendo o Morumbi por um lado e os bancos recebendo pelo outro.
    Os jogadores da base sendo vendidos e as despesas/empréstimos aumentando. Onde vai parar?

  4. Loco Abreu

    Primeiro um grande abraço para a torcida do Botafogo onde vc é ídolo, mas aqui é São Paulo.

    Em relação a entender ou não do assunto, o que eu posso te dizer é que jamais assumiria uma função sem domínio do assunto. Se eu não entendo de futebol eu jamais aceitaria ser diretor de futebol de um clube, principalmente da grandiosidade do São Paulo, da mesma forma como treinador.

    Isso quer dizer que não é desculpa usar minha competência ou não no mesmo cargo para justificar as cagadas dessa diretoria.