Terças Tricolores – Os dois não dá

1207

Não tenho nada a falar do jogo. Eu seria um corneta extremo, falaria muito mal do Jardine e muitos de vocês me odiariam ainda mais do que já me odeiam. Minha reflexão fica por conta de: Hudson e Jucilei não podem jogar sozinho. Ponto e acabou.

O Jucilei, infelizmente porque eu gosto dele, está completamente fora de forma, sem velocidade, sem um bom posicionamento e demora demais para chegar nas jogadas. Virou um peso morto para o time. Ou entra em forma, com um programa de recondicionamento “a la Hernanes” ou não dá. No futebol de hoje, com a velocidade e intensidade que são necessários, não dá.

O Hudson, por sua vez, eu queria ver em outras situações. Sei que ele tem suas limitações técnicas, mas é inegável que é mordedor. Com um segundo volante de qualidade, como o Liziero, pode subir MUITO de rendimento.

Tendo apenas a função defensiva e subindo pouco, pode ser um cão de guarda importante. Vou dar o voto de confiança de que, pelo baixo rendimento do Jucilei, seu futebol está abaixo do esperado. Claro que não dá para esperar que ele vire um Josué, mas um volante pegador, destruidor de jogadas, já seria fundamental nesse time.

Sou a favor de jogarmos com Hudson e Liziero. Com a ressalva de que, se o Luan voltar bem do Sul-Americano e já tiver condições, ser testado no Paulisteca. Quem sabe a solução está na base e não estamos usando? Vale o teste.

– Jogadores aquém do esperado: Lamento dizer isso, mas o Helinho começou a temporada muito abaixo. Com medo, sem poder de decisão e correndo errado ele não vem ajudando o time. Matou vários contra ataques e não se mostrou efetivo. Não estou gostando, acho que precisaremos testar o Biro Biro ou ver outro ponta. PARA ONTEM!

– O que o time produziu? – Na minha visão, nada. Bola para ponta e bola para área, o jogo inteiro e sem chegar PERTO do gol do Santos. Fomos engolidos pelo time do Sampaoli que é INFINITAMENTE INFERIOR, mas que queria jogar e vencer. O nosso time, preguiçoso, lento e pesado, foi tenebroso no primeiro grande jogo do ano.

– Passa do Talleres? –  É obrigação, mas estou com MUITO, mas MUITO receio.

– O Baile do Sampaoli – Foi uma aula. O Jardine venceu tudo na base, foi incontestável, mas ele está no clube com a MAIOR PRESSÃO DO BRASIL, com um elenco INEGAVELMENTE BOM e já tomou OLÉ no primeiro jogo grande do ano. Não sei se dura muito, mas já me posiciono #LUXANÃO

É isso.

Comentários ou sugestões?

@Abroliveira ou [email protected]

Abrahão de Oliveira é jornalista, formado pela Universidade Metodista de São Paulo, dono da @spinfoco e São-Paulino desde que se conhece por gente.