Terças Tricolores – Reconstrução (DE NOVO)

1169


Eu, honestamente, não sei o que dizer. Não escrevo há algum tempo e não sei exatamente o que dizer. Estive no nosso “Morumbizazzo” e posso dizer que foi o jogo mais patético que vi na minha vida. De lá para cá, novos absurdos: derrota para o Corinthians, empate com a Ferroviária e por aí vai.

Não tenho mais esperanças no time e esse, acho, é o pior sentimento que um torcedor pode ter pelo seu time. É o “Não reagir”, o “qualquer coisa serve”, o “perdeu? Ah que pena….ganhou? que legal!”. E isso não tem como ser recuperado no curto prazo. Dependerá de muito trabalho desse clube que, apesar de amar, não me traz mais nada de bom.

De toda forma, vamos ao que interessa, ao que está acontecendo ao São Paulo. Analisarei de maneira fria, sem sentimentos, a partir de hoje.  A primeira grande notícia ficou por conta da saída do Diego Souza. De volta ao Rio, para jogar no Botafogo, o nosso atacante fora de forma deixa de ser um gasto para o clube.

Vejam bem…não vejo o negócio como extremamente vantajoso ao São Paulo, mas na atual situação de ter que reformular (de novo) o elenco, estamos DEIXANDO de gastar ao invés de GANHAR.  Olhando por essa perspectiva, o negócio não fica TÃO ruim.

De toda forma, contratar o cara por dez milhões de reais em um ano e repassá-lo de graça no ano seguinte é coisa de gente amadora, de quem não sabe o que está fazendo e de quem não honra o dinheiro do clube.

Fora que, se formos analisar friamente os números do DS9, ele nem foi TÃO MAL assim, sendo o artilheiro do clube na temporada passada. É um ativo do clube e precisa ser cobrado para exercer sua função. Enfim…dizem que o Cuca não o aproveitaria e tem outros nomes em pauta.

Aí chegamos em outro problema: Tchê Tchê, João Pedro, Roger Guedes e Keno. A ideia é fazer um “Tricolor Alviverde”? Não temos dinheiro nem para dois desses jogadores e, acredito, o Cuca sabe disso. Ele terá que ser o Cuca que conhecemos e, literalmente, garimpar talentos Brasil a fora.

Eu não sei, honestamente, o que pensar desse São Paulo. Os meninos da base, apesar de terem um ÓTIMO POTENCIAL, ainda não têm experiência. Vejo o Luan como o mais bem preparado deles e, Antony e Helinho, serão FANTÁSTICOS jogadores, mas precisam de tempo e paciência, coisa que a torcida já não tem, basta ver os xingamentos ao Helinho no final de semana.

O Hernanes ainda sofre com a falta de forma física e as laterais são horríveis. O ataque conta com um ÓTIMO JOGADOR, o Pablo, mas que sozinho não vai resolver. Enfim, seremos reformulados e precisaremos de muita competência e SORTE para dar em alguma coisa.

O que vocês fariam?

É isso!

Comentários ou sugestões?

@Abroliveira ou [email protected]

Abrahão de Oliveira é jornalista, formado pela Universidade Metodista de São Paulo, dono da @spinfoco e São-Paulino desde que se conhece por gente. 



1 COMENTÁRIO

  1. Realmente o que está faltando ao torcedor é esperança, e pior, não se enxergar a luz no fim do túnel. Temos o pior conselho entre todos os times, composto de um fisiologismo sem precedentes, uma diretoria que só está lá sabe Deus o porquê. Assim sendo, a melhor definição do sentimento que domina a torcida é sem dúvida a FALTA DE ESPERANÇA.