A Palavra da Corte – Dênis Redemption

267

Salve, salve, Nação Tricolor! E aqui estamos para mais uma Palavra da Corte. E hoje tem Libertadores! E só nós sabemos como é se sentir em um dia como esses, não é verdade?

Temos um desafio muito difícil, não nos enganemos. O Atlético-MG é um time bem estruturado, com seu esqueleto montado há mais tempo do que nosso time. Tem um bom técnico e jogadores experientes. Mas é a hora da “camisa que entorta varal” falar mais alto de novo, e carimbarmos nossa ida pra semifinal.

E lhes asseguro uma coisa: o time passando hoje, vai com tudo pro título. E não é só porque terá passado de fase, mas porque terá eliminado um adversário de peso, fora de casa, ou seja, mais credencial que essa, impossível.

DENIS REDEMPTION

Eu amo games! Pela correria do dia-a-dia, meu Xbox tem ficado mais pro meu filho com seu FIFA16 (de vez em quando eu também), do que pra mim. Mas gosto muito de jogos. E embalado pela campanha que torcedores fizeram nas redes sociais com uma imagem do God of Wars fazendo uma alusão ao nosso zagueirão Maicon, me veio a tona um dos melhores jogos que já joguei na vida: Red Dead Redemption

O jogo trás a história de John Marston, um ex-criminoso do Velho Oeste americano em 1911, que tem que se redimir do que fez no passado, já que forçado pelo governo, que sequestra sua esposa e filhos como forma de garantia de seus serviços, é obrigado a ir atrás de ex- colegas de gangue, criminosos perigosíssimos. Só depois do trabalho cumprido, é que o governo devolveria sua família.

Uma definição de redemção que me agrada é : “Igual a remissão, busca do perdão. Pressupõe erros cometidos para os quais a pessoa busca o alcance do perdão (ou remissão) e o reencontro da paz perdida.”

Dênis, nosso goleiro, não é John Marston. Não é criminoso, pelo contrário. É um rapaz vindo do interior que lutou muito pra chegar onde chegou. É um cara gente boa, pelo que dizem os que o conhecem, assim como eu mesmo tive a oportunidade em dois rápidos encontros, fui super bem tratado no assédio natural que um torcedor comum como eu acaba fazendo.

Dênis não deve nada pra gente, não cometeu crime algum. Mas sendo bem franco, não tem a confiança plena da torcida sãopaulina. Isso é facilmente constatado pelos comentários nas redes sociais, aqui mesmo na SPNet, assim como nas arquibancadas durante os últimos jogos. A bola vai no gol e é aquele burburinho. Até mesmo nas saídas de bola dele, a torcida anda impaciente.

Mas hoje, se o Tricolor não tomar gols, estará nas semis da Libertadores. Ou seja, Dênis tem em suas mãos (literalmente) as chances de nos levar para a próxima fase. Não que tenha condições de faze-lo sozinho, mas repito, se não tomar gols, estaremos classificados, e Dênis seguramente terá méritos nisso. Até porque não imagino um Atlético-MG sem praticamente chutar a gol como foi no Morumbi, pelo contrário. O bombardeio deverá ser constante, do começo ao fim do jogo.

E assim, Dênis tem a chance de se redimir. Se redimir de algumas falhas que teve em 2016, se redimir pelo fato de não ter reconhecido suas falhas, ou quando o fez, demorou em fazê-lo. Poderá se redimir de querer ser o novo Ceni, mesmo que incoscientemente, e passar a ser ele mesmo.

E poderá finalmente, seguir com a camisa titular do Tricolor em paz.

VAI, DÊNIS! VAMO SÃO PAULO!!!

É isso!

Salve o Tricolor Paulista, meu amor hoje e sempre!

artur130

Artur Couto é engenheiro,  sócio-torcedor e sócio do SPFC,  e é administrador da SPNet. Escreve nesse espaço todas as quartas-feiras.

Fale com o Artur no [email protected] ou Twitter @arturcouto

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.