Além das 4 linhas – Perderam o Cuca ou a cuca?

584

Eu acho o futebol brasileiro uma coisa maluca. Quanto mais eu tento crescer e evoluir na vida, lendo muito e prestando muita atenção nas coisas todas, mais eu vejo o nosso futebol tomar distância das melhores práticas. Isso é claro para mim. O que fazem os grandes clubes europeus na contratação de treinadores? Procuram os caras vencedores.   Às vezes surge um prodígio que logo de cara faz um grande trabalho como Zidane. Mas vamos aguardar o segundo trabalho dele.

O SPFC, na contramão disso, fez questão de contratar um cara que é elogiado pelas ideias e muito criticado pelos resultados. Meu primo Maurício Burjato resumiu bem: Diniz terá o melhor elenco da sua vida. Diniz terá no time um representante do Barcelona do Guardiola, seu treinador preferido, dono do modelo de jogo que Diniz tenta implantar. Para Diniz é um sonho. Para o SPFC é um risco. Diniz está ganhando a maior oportunidade da carreira em todos os sentidos. Daniel Alves vai ajudar muito nisso. O SPFC ajudará Diniz, este não sei se poderá ajudar, pela pouca bagagem.

Em minha opinião de mero torcedor era momento para parar e buscar um gigante, mesmo que viesse em Dezembro e Mancini ficasse no comando até lá. Eu não gosto de citar adversário neste espaço, mas Fábio Carille, o treinador do time sem cor,  declarou numa entrevista recente o motivo do sucesso deles: Faz 10 anos que o clube tem treinadores com a mesma ideia de futebol e o elenco é formado dentro destas ideias. Bingo! Sempre falaram que o SPFC deveria escolher seu elenco e treinador dentro de uma filosofia de jogo que fosse escolhida. Se isso estivesse acontecendo no SPFC não estaríamos diante de tantas mudanças no elenco com terrível perda de dinheiro nos últimos e catastróficos anos.

O fato é que faz anos que o SPFC contrata treinador errado que contrata jogador errado, ficando num  círculo vicioso que não nos deixa sair do buraco. Mais uma vez escrevo com clareza: A gestão do clube está errada há anos. Alguém poderá dizer: Desde que o Raí manda no futebol e a administração não está mais centralizada no presidente e sim no conselho de administração que o clube tem um caminho. Eu chego a acreditar nisso por alguns instantes, mas vejo coisas que desmentem isso.

O meu papel como torcedor é apoiar ou criticar. As consequências para nós torcedores são sempre pequenas, pois não colocamos nossa vida aos cuidados do SPFC. Eu não sou investidor e nem funcionário do clube. Se o clube tivesse ações negociadas na bolsa de valores tenham a certeza que hoje elas estariam caindo muito. Se Diniz tivesse ações negociadas na bolsa elas estariam subindo graças aos investidores que adoram riscos enormes, pois existe a pequena possibilidade de sucesso ou de crescimento na carreira dele, graças ao possível aprendizado que poderá ter ao trabalhar ao lado de um jogador membro do time do Pep Guardiola. Todo treinador que trabalha no SPFC ganha alguma coisa com isso.

O SPFC está ganhando alguma coisa trabalhando com profissionais não vitoriosos como pede a história do clube? Eu tenho certeza que não. Só um grande presidente pode ajudar! É o presidente que dita os rumos da organização.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes