Além das 4 linhas – MAC

644

Nesta semana o centro internacional de estudos de esportes divulgou que o SPFC, dentro de 766 clubes de futebol pesquisados no mundo, está em décimo quarto lugar dentre os clubes que mais trocaram de treinador entre 2015 e 2019. Uma vergonha!

Diante de número tão vergonhoso e que demonstra claramente a má gestão que o clube tem, a atual gestão teve a coragem de lançar candidato a presidente para a próxima eleição que será ainda neste ano. Deveriam declarar-se inaptos. Os frutos desta péssima gestão são mais do que conhecidos de todos e o mais visível é a falta de conquistas, algo inédito nos últimos 50 anos do clube, assim como as eternas dívidas financeiras.  Dívidas estas que são consequência natural da falta de conquistas, já que o clube não vem chegando mais até as etapas decisivas dos campeonatos, onde a renda do estádio é maior, as premiações são maiores, vendas de camisas são maiores e direitos de TV são maiores.  A troca eterna de treinadores trás  também a troca eterna de jogadores e demais funcionários ligados ao futebol, gerando mais prejuízos. Tudo consequencia da má gestão.

Passou da hora de colocarmos na presidência alguém com histórico vencedor dentro do clube como uma tentativa para novos caminhos. Ainda este ano escrevi uma coluna aqui neste espaço enumerando a lista de treinadores que o clube teve nos últimos anos. Esta lista passa por nomes sem a mínima condição de ocupar o cargo de treinador do clube mais vitorioso do nosso futebol, o único tri campeão mundial. Para dirigir o SPFC, em minha opinião, um treinador tem que ter longa experiência e várias conquistas. Que tipo de jogador é contratado por um treinador sem experiência? Quantos jogadores optam por clubes com grandes treinadores por facilitar as conquistas que valorizam suas carreiras? Coisa boa chama coisa boa. Imaginem os caras nos tempos do mestre Telê? Todo mundo deveria querer jogar no SPFC. E hoje?  Talvez queiram o Grêmio e o Flamengo. Assim sendo, tentem pensar nos treinadores e jogadores que o SPFC contratou nos últimos anos, tem gente fraca para cacete.

Fiz questão de citar o Grêmio por achar que este clube não tem mais dinheiro que o SPFC, tem melhor gestão. Eu gosto da palavra gestão, que para mim, para começar, tem sentido racional e não emocional. Tem sentido de amplo conhecimento na área. Eu vi o fim da era romântica do futebol, época onde os jogadores não ficavam ricos. O esporte não era de elite. O tênis era o esporte de elite. Hoje os grandes clubes do mundo são empresas muito bem organizadas.

Sendo assim, vejo que a hora para nosso querido tricolor  é de mudança. Eu cito aqui o MAC por ser o único real candidato a presidente que pode mudar alguma coisa e tem conhecimento do meio do futebol. Também já escrevi aqui que apoio a separação do futebol das demais atividades do clube, da social ao basquete. Também já escrevi aqui que gostaria que o clube fosse comprado por uma grande empresa mundial. Vejo os últimos anos como prova da total incapacidade de continuarmos com grupos políticos comandando este clube maravilhoso. O negócio futebol é profissional e não mais político e amador, para mim está claro.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

17 − onze =