Além das 4 linhas – O custo Leco

298

Há alguns dias vi dois gráficos que traziam os faturamentos dos clubes de futebol aqui do Brasil no ano de 2019. Confesso que fiquei assustado com os números divulgados pela Band Sports no que diz respeito ao nosso clube do coração.

O primeiro gráfico trazia os números da receita total dos clubes em milhões de reais. O líder foi o Flamengo com R$ 950, seguido por Palmeiras R$ 642, Grêmio R$ 459, Inter R$ 441, Corinthians R$ 426, Santos R$ 400, Athletico-PR R$ 390 e SPFC R$ 384. O segundo gráfico trazia números relativos a direitos de TV e premiações também do ano de 2019. O líder foi o Flamengo com R$ 329, seguido por Palmeiras com R$ 238, Corinthians R$ 189, Grêmio R$ 181, Athletico-PR com R$ 160, Inter R$ 155 e SPFC R$ 137 milhões.  Vergonhoso.

Os números são reveladores da incompetência administrativa da gestão Leco e seu grupo político que há anos comanda o mais  querido e mais vencedor clube da história do futebol brasileiro. O SPFC tem a terceira maior torcida do país e o faturamento deveria refletir o tamanho do seu mercado, que é gigante, mas não, reflete a incompetência, que também se mostra gigantesca. Como sempre escrevi aqui, o custo de más decisões sempre aparece. Felizmente não existe mágica, tudo é fruto de muito trabalho na direção correta. Como no clube o que menos temos são decisões corretas, a fatura é amarga.

Também já escrevi aqui a lista de treinadores que tivemos depois da saída de Muricy após o tri de 2008. Cada treinador acabou fazendo contratações que nem sempre deram certo e o motivo é sempre o mesmo: Um treinador fraco faz, via de regra, fracas contratações. Como já revelou Muricy, infelizmente dentro do clube há inúmeras pessoas que se intrometem no setor do futebol “aconselhando” o treinador e a comissão técnica. Como nos últimos anos também tivemos gerentes e diretores de futebol mais ligados à política do clube do que ao esporte, o resultado não poderia ser diferente. Um treinador fraco acaba por aceitar estas sugestões que nem sempre são esportivamente boas.

No mundo  do futebol não tem bobo, todo jogador tem empresário que conhece o meio e sabe analisar um trabalho. Sendo assim, o jogador escolhe a melhor proposta, que nem sempre pode ser a melhor proposta financeira. O sucesso de hoje é o dinheiro do amanhã. Com todo respeito, mas o Grêmio, o Inter e o Athletico não podem faturar mais do que o SPFC.  O bom resultado financeiro destes clubes é fruto de suas gestões assertivas.  Hoje um jogador escolhe o Grêmio e não escolhe o SPFC pelas maiores chances de conquistas.

Analisando friamente os números do nosso faturamento e o comparando com os demais e sabendo que futebol só se faz com muito dinheiro, podemos imaginar que nosso futuro não está bem desenhado. O desafio no momento é montar um time competitivo com menos recursos do que a concorrência e com ele conseguir bons resultados que trarão dinheiro através de bilheteria, TV, premiações, vendas de camisas e demais maneiras. O projeto dando certo, o clube terá mais faturamento e com isso poderá contratar ou não vender bons jogadores e com isso ter mais chances de vitórias, em suma, voltar ao círculo virtuoso e sair do círculo vicioso de hoje.

O Muricy recentemente comentou sobre o alto custo que o clube paga por não acertar nas contratações, ou seja, por não saber montar bons times. Esta tem sido a realidade no Morumbi nos últimos anos.  Por tudo isso chegou a hora de mudar a direção do clube como forma de tentar voltar ao caminho vitorioso. Fazendo as mesmas coisas, ou seja, contando com as mesmas pessoas de hoje, não veremos o clube mudar. Ta na hora de sair Leco!

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

três − 2 =