Além das 4 linhas – Ajuste fino

407

Foram duas rodadas sem vitória, contra Vasco no Morumbi e Ceará fora de casa. O SPFC é o time que menos perdeu neste BR20. Finalmente tem uma campanha digna de um clube deste tamanho. Eu hoje afirmo: O trabalho está sendo bem feito.

É preciso muito cuidado quando queremos mais do que o momento pode nos dar. O fanatismo nos cega. Há um lado racional me dizendo que o Flamengo precisou de anos para chegar ao topo. O Liverpool, com uma administração profissional e muito dinheiro, precisou de vários anos para conquistar coisas importantes. Após bater no fundo do poço são paulino, nosso clube deu início a sua recuperação após um 2017 e 2018 vergonhosos. O que é um fundo de poço são paulino? É não ganhar nada e ficar entre os 10 no brasileiro.

Em 2019 e em 2020 principalmente nosso clube está nivelado aos melhores do país. Isso é ou não é uma grande recuperação? É preciso reconhecer o trabalho de Raí, Lugano, Pássaro e Diniz. Há falhas? Sim, algumas falhas na minha avaliação que estão sendo corrigidas, principalmente nas contratações. Na verdade Diniz deu um acerto nesta área por conhecer mais as coisas do futebol do que os ex treinadores que o clube teve. O que falta? Em minha opinião falta aquele ajuste fino na área do futebol que talvez um grande coordenador chamado Muricy possa trazer. Eu, caso mandasse alguma coisa, manteria todos menos o presidente e chamaria o Muricy para coordenar o futebol. Ele seria o cara a dar o toque final que falta. O cara que iria dispensar os  últimos que devem ser dispensados e contratar os poucos que devem ser contratados. O primeiro nome da minha lista é Miranda. O segundo um atacante de velocidade que atue pelos lados. Eu não gosto do Trellez, que passou um ano no Inter e não fez um único gol para chamar de seu, e não gosto do Carneiro. Se fosse escolher ficaria com Carneiro, pois é fraco igual e deve ganhar bem menos. Nosso famoso profeta deveria pedir o boné e ir cuidar da família. Ganha muito e produz pouco.

Publicidade

Eu tenho muito claro na cabeça que não é só montar time e ganhar. Todo trabalho precisa de tempo. Alguém vai dizer que Muricy chegou e ganhou. Mas e os trabalhos de Cuca, Leão e Autuori que vieram antes? E o superpresidente que havia? Os bons diretores e gerentes? Esqueceram que fomos ao fundo do poço agora? Hoje estamos reconstruindo o que destruíram pela má gestão.

Galera, mandar todo mundo embora seria mais um reinício. Tudo bem se saírem Raí e Pássaro? Talvez sim. Mas Diniz tem que ficar o ano de 2021 inteiro. Eu só trocaria o treinador por um cara mais que vitorioso e de currículo internacional como Marcelo Gallardo do River Plate. Mesmo assim com contrato longo e multa alta para não abandonar o clube como Paton e Ozório. Felizmente não tem outra receita vitoriosa a não ser o trabalho de longo prazo. É assim que as organizações tornam-se vitoriosas. Além disso, vai trocar Diniz por um treinador que pensa o futebol igual ou diferente? Se for igual estamos no caminho. Se for diferente pode ser que mais peças tenham que sair e outras chegar. O que isso significa? Tempo e muito dinheiro. Um exemplo: A zaga. Diniz gosta de sair com bola no pé como manda o melhor futebol de hoje em dia no mundo todo. Por isso e por outras coisas Arboleda rodou, pois não  tem habilidade com os pés. O cara é tipo Fabão, aquele que tira tudo pelo alto e no chão mete chutão pro mato. Qual futebol a gente quer? Quanto custa mudar?

Eu acho que achamos um bom caminho e perseverar nele é a receita mais curta para o sucesso.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

10 − seis =