Além das 4 linhas – Aqui é trabalho!

285

A volta do Carelli tem um significado especial para o SPFC e para esta nova gestão que teve início neste ano. Sem dinheiro e tempo, Muricy e sua comissão técnica fizeram um trabalho elogiável de planejamento. Contrataram rapidamente alguns bons jogadores e logo montaram um bom time, que mostrou bom futebol a conquistou a tão sonhada taça sobre o principal adversário. Ponto para Muricy, que chorou muito de emoção e alegria por conseguir tal feito diante de situação interna tão adversa.  

O planejamento tinha um custo, sacrificar o descanso, coisa primordial para atletas de alto desempenho num esquema de jogo que pede muita preparação. Começou o Brasileiro e a Libertadores e as contusões pela falta de descanso começaram a pipocar. Podemos dizer que todos os jogadores do elenco tiveram alguma lesão. Era o preço e era sabido. Junto a isso a diretoria trabalhava em outra frente não menos importante, conseguir os patrocinadores da camisa, que estava limpa, sem nome algum. Numa atitude de risco o clube topou ficar sem nenhum nome estampado no manto acreditando no produto que tem a oferecer. Ponto para a diretoria, pois bons números foram alcançados para o momento tricolor e do mundo.

Paralelo a isso muita coisa acontece nas salas do SPFC, como o planejamento da modernização do CT da barra funda. Coisas importantes também foram feitas no CFA Cotia,  como a contratação do Alex para ser treinador do time principal, o sub 20, que lidera o campeonato brasileiro da categoria, mesmo perdendo alguns bons jogadores para o elenco profissional.

Publicidade

Claro que não só notícias boas estão vindo do SPFC desde que a nova diretoria assumiu, como a desclassificação da Libertadores e a má campanha no BR21, onde o clube está numa colocação que não permite título, mas permite G6 com muita possibilidade. A copa do brasil ainda não está decidida, apesar de resultado nada favorável na primeira partida contra o bom time do Fortaleza, que é muito bem treinado também.

Voltando ao time profissional, vejo com bons olhos a volta do Carelli, claro, mesmo ele não tendo feito sucesso na Europa em 5 anos fracos por lá e em 5 clubes diferentes e igualmente fracos.  Nós sabemos que se trata de bom jogador. O cara tem faro para o gol. É brigador e tem muita raça e vontade. Rigoni também não fez sucesso na Europa e aqui no SPFC joga um futebol muito interessante. Aliás, interessante será ver a dupla argentina na frente, ora com Benitez, ora com Luciano. O elenco vai abrindo muitas possibilidades de escalação e esquema ao Crespo. Poderá jogar no 3.5.2, poderá jogar no 4.4.2, no 3.4.3 com um ataque forte e assim por diante.

Ao contrário de alguns eu não torço para Daniel Alves sair, muito pelo contrário. Dentro de campo o cara é diferenciado e espero que fique. O clube tem quem saiba administrar a situação. Mas alguns atletas deverão sair até para trocarem de ares e quem sabe recuperarem suas carreiras. O Rojas e o Vitor Bueno são bons exemplos de quem deve sair. Falam que o paraguaio Galeano também deverá sair, pois não apresenta nada superior a outros meninos vindos de cotia, como Marquinhos. Galeano tem o agravante de precisar ser comprado no fim do ano e é mais um estrangeiro num momento de muitos jogadores de fora do país no clube.

Eu vejo o SPFC se preparando para coisas maiores num futuro breve e espero que sejam dentro e fora de campo. Uma boa gestão trará frutos importantes. Eu vejo a necessidade de acertar as finanças, botar a estrutura em dia, montar elenco competitivo e depois preparar o clube para títulos importantes e quem sabe mostrar-se organizado para chamar a atenção de investidores, este o assunto que mais dia, menos dia, terá que entrar em pauta tendo  em vista o caminho que alguns adversários estão tomando.

Precisamos preparar o SPFC para os novos  tempos do futebol, que hoje é um lugar de profissionais dentro e fora de campo e muito dinheiro.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé no trabalho.

Carlito Sampaio Góes