Além das 4 linhas – Libertadores 2022

652

Cada vez mais vejo o futebol como um negócio e o clube de futebol como uma empresa, e não por acaso os finalistas da Libertadores 2021 são clubes que estão aprimorando suas gestões já há algum tempo, diferente do nosso SPFC, que começou uma nova gestão faz poucos meses.

Ainda não podemos afirmar se a atual gestão tricolor levará o clube para o lugar que pretendemos ver este clube gigante de verdade. O que parece estar ficando claro é que a gestão atual é um passo à frente da anterior. Isso pelo título, pelas contratações e pelas dispensas de jogadores. Há ainda muitos assuntos internos a serem tratados, claro, como disse acima, o clube inicia uma nova gestão que diz pretender levar o clube ao seu lugar histórico.

Por que o SPFC sempre teve destaque no cenário futebolístico brasileiro? Pelas boas gestões que teve. A hora é de resgatar e preparar o clube para voos mais altos. Procurando no google encontrei os faturamentos anuais dos principais clubes do país, e numa rápida olhada fica muito claro o grande problema com gestão que teve o SPFC nos últimos anos. Flamengo e Palmeiras faturam bem mais e com isso podem ter elencos que o SPFC não pode. Simples assim. No passado era o contrário, era o SPFC quem tinha o que os outros não podiam.

Publicidade

Claramente o papel desta atual diretoria é reconstruir um clube sucateado literalmente em muitos setores, para não dizer em todos os setores. Amigos, sem ilusão, vai levar um tempo para o SPFC poder disputar em igualdade de condições com os melhores times as taças mais cobiçadas. E não adianta protestar contra a falta de conquista se acreditamos que Muricy e Cia podem reconstruir o futebol do clube. Eu  penso que podemos e devemos protestar contra decisões desta diretoria que não levem o SPFC a melhorar. Lembram que o Flamengo foi chamado de clube do cheirinho por sempre chegar perto e não levar a taça para casa? Pois é, chegou a vez do SPFC fazer isso. Mas como o SPFC é gigante, começou a reconstrução com conquista do paulista sobre o principal adversário. Ponto para a atual gestão. Se tudo for feito como manda a cartilha da boa gestão, o clube sentirá o cheirinho algumas vezes ainda e em breve poderá levar algumas boas taças para casa. A hora é de torcer pela diretoria, depois vamos torcer pelos jogadores em campo.

Quando vai ser isso? Quando o SPFC voltará a ser SPFC? Isso só com bola de cristal, mas levando em conta que os adversários não estão parados, pelo contrário, estão evoluindo a cada temporada, isso realmente pode levar alguns anos, talvez três, segundo o próprio Muricy. Quando o clube poderá pagar salário de R$ 1 milhão para vários titulares? Quando poderá contratar jogadores de R$ 50 milhões? Quando a dívida de R$ 600 milhões estará devidamente  em dia, renegociada e sendo paga? A grandeza do elenco virá depois disso tudo, claro.

Da minha parte tenho prestado atenção nas atitudes da diretoria, tentando analisar e com isso tentar projetar o futuro. Infelizmente ou felizmente não tem mágica. Toda empresa passa por isso. A hora da verdade chegou.

É bom que se diga sempre que o SPFC nunca foi clube de caminhar com as pernas dos outros. Também é sempre bom lembrar das grandes conquistas em campo, que levaram anos para acontecer após a fundação do clube. Assim como é bom sentir o prazer de torcer por um clube que graças aos seus administradores do passado chegou onde chegou, levando 18 anos para concluir seu estádio, para citar um exemplo de como as grandes coisas são conquistadas lentamente. Só com planejamento, excelente execução e honestidade o clube voltará a ser o que sempre foi.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé no trabalho.

Carlito Sampaio Góes