Além das 4 linhas – Os 5 pontos

146

Os mesmos 5 pontos que separam o SPFC do Z4 o separam do oitavo colocado no BR21. Eu me nego a aceitar discursos sobre a falta de qualidade do time titular, afinal quando venceu o Paulista deste ano o fez vencendo o melhor time do estado e com bom futebol.

Eu continuo achando que o assunto é de preparação física e clínica. Mas a resposta talvez venha só com o tempo, ou seja, no ano de 2022, após as férias e o início da nova temporada, que felizmente deverá ter um tempo de preparação chamado de pré-temporada. Logo após a partida de ontem o Rogério Ceni declarou: “O São Paulo ganhou nove jogos em 34, não é de agora que o problema vem. Qual a sequência que o São Paulo teve? É um momento difícil, de dificuldade, acho que está na hora de todo mundo entender a realidade do clube. Vai ser um final de ano difícil, e serão, acredito eu, anos difíceis para o São Paulo, com qualquer profissional que esteja aqui, com qualquer diretoria que esteja aqui”.

Eu venho escrevendo aqui neste espaço de reflexão que tenho como torcedor que o momento é de reconstrução e que levará alguns anos para o clube voltar a ser o que sempre foi. E só voltará se fizer tudo corretamente. O mesmo que disse RC vem dizendo Muricy a cada entrevista. Felizmente vejo nestes dois a verdade necessária para que toda a comunidade tricolor esteja alinhada com os mesmos objetivos, que não pode ser outro a não ser recuperar o clube com pés no chão e cabeça no lugar.

Publicidade

Como todo torcedor faz, eu fico me perguntando quando o clube vencerá um novo campeonato. Eu vejo isso como o surgimento de uma oportunidade. Em 2021 a oportunidade foi a Covid quem deu, ou seja, o clube em comum acordo com os jogadores resolveu adiar as férias e o time entrou no campeonato de forma diferente dos demais e pode vencer, conquistando, inclusive, a melhor colocação na fase de grupo, coisa que não ocorria fazia muitos anos. Foi uma oportunidade. Quando haverá outra? Ninguém sabe. Mas insisto que o time não é fraco como muitos falam. Claro que não é top, mas isso as finanças não permitem no momento. Mas sem dinheiro contrataram Miranda, Calleri e Rigoni, além de Luciano que foi trocado.

Vem pela frente tempos de arrumar as finanças destroçadas por más administrações, que não souberam respeitar o cofre do clube, gastando mais do que podia e não arrecadando o que daria para fazer com o nome SPFC. Administração financeira é cruel, ela não mente nunca. É matemática pura. Agora pela mesma matemática o clube terá que se reinventar.

O que devemos cobrar? Da diretoria e dos jogadores é respeito pela instituição. Os jogadores possuem a obrigação de dedicação máxima nos treinos e nos jogos, mantendo foco e comportamento. Da gestão do clube devemos cobrar as boas práticas administrativas, ou seja, responsabilidade com o caixa e muito conhecimento para fazer o máximo possível com o que se tem em mãos, que não é pouco, afinal é o SPFC. 

É com esta cabeça que clubes menores estão subindo de categoria dentro do futebol brasileiro como o Athlético e o Fortaleza. É com esta cabeça também que Flamengo, Palmeiras e Atlético mineiro estão também na prateleira de cima. E devemos cobrar que não tenham as atitudes que Vasco e Cruzeiro tiveram para se meterem num lugar de onde talvez não voltem, como já aconteceu com outros clubes aqui do Brasil.

Na vida rapaziada, não basta ser grande, é necessário pensar e agir como grande.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes