Além das 4 linhas – Cobranças

260

Tenho 58 anos, formei-me em direito e fiz pós em administração de empresas. Trabalho desde jovem, tendo passado por boas empresas, e em todas elas, sem exceção, as cobranças por resultados eram enormes e diárias.

No SPFC não poderia ser diferente, já que também é uma grande organização com história vencedora, ou seja, cobrança enorme sempre houve e haverá. No futebol ainda tem o quesito paixão, que faz a cobrança ser ainda mais presente e de forma apaixonada, ou seja, nem sempre com profissionalismo e razão, o que complica.  O que estamos vendo no clube é uma verdadeira reconstrução, ou seja, o clube chegou ao fundo do poço, ou melhor, da piscina, já que ela está vazia e com mesas e cadeiras no fundo literalmente, um perfeito retrato das últimas administrações. Sair deste lugar é penoso e exige seriedade demais, o que nem sabemos ao certo se a atual gestão poderá fazer.

Como agir nestes casos? Internamente e externamente a cobrança deve continuar a existir, mas deveria ser com a exata noção das possibilidades, coisa complicada onde há paixão e cegueira, repito. Mas é o momento. Como torcedor eu cobro boa administração com visão de futuro, melhor dizendo, o momento é de preparar o futuro sem esquecer do presente, fazendo o melhor sempre dentro das possibilidades atuais. O elenco atual é o melhor dentro das possibilidades? O dinheiro dá pagar as dívidas aos poucos? Dá para arrumar a casa devagar? Melhorar a estrutura é possível? Sigamos um plano e aguentemos as cobranças da torcida, que sempre será apaixonada e sem razão.

Publicidade

Eu não vejo problema algum em assumir a realidade, ao contrário, é sempre o melhor a fazer em todos os campos da vida. Feito isso, assumido que o clube está endividado, com sérios problemas e quer se refazer, que a seriedade esteja presente e bons profissionais estejam no comando administrativo. É no escritório que vai nascer o novo e velho SPFC. É difícil para nós torcedores sabermos que ganhar título dentro de campo será uma raridade. Mas para voltar a vencê-los é preciso que as contas estejam em dia, que a estrutura esteja em dia e que a despesa nunca seja maior do que a entrada de dinheiro. Passo a passo a coisa voltará. Sempre foi assim no mundo. Tenhamos em mente que os “caras” foram incompetentes e ferraram o maior clube do brasil e não será em 1 ano que isso será arrumado. Exemplos não faltam. Que a cobrança seja por seriedade e responsabilidade.

Ainda bem que o SPFC tem uma torcida gigante, patrimônio gigante, história gigante e graças a isso tem plenas condições de se refazer. Terá que ter uma administração também gigante. Será como clube de futebol que vai se refazer ou precisará ser como empresa de futebol? Eu prefiro como empresa, já que o ambiente é quase sempre profissional, coisa favorável. Mas isso é um longo papo. O importante é fazer o melhor agora com as ferramentas que tem.

Eu insisto que como torcedores deveríamos acompanhar as finanças. Cobrar resultados no escritório também. Analisar se as contas estão em dia e se a dívida está caindo. Como anda o sócio torcedor? As vendas de camisas? As arquibancadas estão cheias? Jogadores motivados? Funcionários felizes com o desafio do dia a dia? Todos remam na mesma direção? Todos estão com os pés no chão e gastando o possível? Nada de sonho impossível? A luta será árdua, galera. Jogador está se esforçando para jogar seu melhor futebol? Pouco importa neste momento se outros clubes possuem jogadores que não podemos ter, importa se os do SPFC estão fazendo seu melhor. Este é o caminho que conduzirá o clube de volta ao seu lugar.

Adianta mandar treinador embora se ele não é ruim? Importa é ir montando elenco de homens que se dedicam ao máximo para não ficarem com biquinho se o treinador mandar fazer alguma coisa. O treinador não sabe cobrar, exagera e desmotiva? A solução administrativa para isso é treinamento para o treinador, assim como em todos os setores do clube, como as empresas fazem, treinamento a cada X tempo para buscar a melhoria contínua, a obrigação de toda organização. Dispensar é gastar dinheiro. Curso e preparação é investimento. Temos que fazer isso com a gente sempre, e gostaria de ver o clube treinando  seus profissionais para serem melhores em todos os sentidos e não só dentro de campo. Afinal de contas, é fora de campo que tudo começa, quando contratam jogadores, treinadores, gerentes, médicos, fisioterapeutas, diretores e etc.

Vamos à luta!

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes