Além das 4 linhas – Maratona de maio

139

O SPFC fará neste mês de maio uma verdadeira maratona, com jogos fora do país, mas até aqui acabou se saindo bem. Aliás, pela copa do Brasil também foi bem ao empatar fora, mas este jogo foi mês passado, dando peso ainda maior à maratona. Gostei do empate em Fortaleza também. Acredito que a colocação na tabela do BR, na tabela da Sula e a condição na copa do Brasil agrade a todos.

Agora no resto do mês de maio o SPFC vai continuar jogando a cada 3 dias, só que viajará menos. Os dois jogos que faltam pela Sula serão no Morumbi em 19 e 25 de maio. Uma pena o jogo pela copa do BR não ser na casa tricolor na quinta feira, mas a grana que o clube receberá pelo aluguel do estádio é importante. O clube terá também vários jogos pelo BR22 no Morumbi ainda em maio, o que, em teoria, poderá ajudar na tabela de classificação, onde o clube ocupa a quinta colocação no momento, passadas cinco rodadas, o que acredito ser uma colocação muito boa. Aliás, se o clube tiver condições de terminar o campeonato nesta colocação será muito bom. Eu apostei com um amigo a quarta colocação para o SPFC, ficando os três mais ricos no G3.

No jogo contra o Fortaleza o Rogério acabou mudando a escalação costumeira e reforçou mais o meio de campo, para segurar a pressão do adversário, com isso o tricolor paulista não atacou muito, mas pouco permitiu ao adversário. Foi um teste para o treinador, imagino, que recebeu criticas por não saber armar seu time para jogar fora de casa. Uma pena é a ausência de Sara, um jogador que faz falta pelo que cria em campo. A mesma falta faz Igor Gomes quando não joga, pois estes dois dão muita movimentação ao meio de campo, além, é claro, de ajudarem no ataque e na defesa. Dentro desta maratona que será maio, uma peça como Sara fará falta nas possibilidades de escalação e de esquema de jogo, consequentemente. O SPFC joga com time A e B e as ausências sacrificam peças trazendo desgaste.

Publicidade

Continua fazendo falta a inexistência de um velocista no ataque. Já sonhei com muita gente chegando ao clube, inclusive o Luiz Araújo, que saiu da França para jogar nos USA. Uma pena nosso futebol perder até para um país que não tem tradição no futebol. Precisamos urgente mudar nosso país, mudar nosso futebol e nosso clube. O Brasil precisa de crescimento econômico. O futebol precisa de menos política e mais administração profissional e o clube precisa destas duas mesmas coisas para dizer o mínimo. Tenho 58 anos e quando eu tinha 20 anos, só a Europa podia levar nossos jogadores. Depois vieram mais países da própria Europa, o Japão, a China e os USA. Infelizmente a democracia e a economia de mercado não conseguem conquistar o brasileiro, que na hora do voto escolhe políticos não ligados a isso, mas este é um assunto longo, apesar de ser o mais importante, em minha simples avaliação, pois mudaria nossa vida e nosso clube para melhor.

Além do ponta veloz, acho que a zaga será reforçada também. Miranda já dá mostras da idade e com isso sobram apenas 3 zagueiros. Em verdade digo apenas a falta, não o que desejo de melhoras ao elenco, que na realidade são muitas. Mas isso vai depender das finanças e aí é uma coisa que leva mais tempo como tenho dito aqui neste espaço de reflexão tricolor. Estou de olho nos desempenhos de peças como Rigoni, Volpi, Gabriel, Miranda e os que chegaram agora como Nikão e Patrick, este último, fazendo mais jogos após lesão e o primeiro não jogando quando ia começar a desempenhar também por lesão. Estes dois são importantes, foram contratados para ajudar o treinador a alternar escalações e também, claro, pelo que jogavam em seus antigos clubes. Os dois jogam na famosa linha de 3 que tanto o RC gosta, imagino que foram escolhidos dentro de outras possibilidades, assim como Alisson. Vamos ver o que consegue desempenhar o André Anderson, mais um jogador para esta linha do esquema e que pode ser importante, por jogar mais centralizado que Nikão e Patrick, que atum mais pelos lados.

A linha da frente, de dois jogadores, tem em Calleri o principal, e tem em Luciano e Eder as principais opções, já que o Rigoni nos decepciona faz meses. Reparem que o elenco tem poucas opções para o ataque, por isso até o Toró foi reintegrado, e Marquinhos e Juan são muito jovens ainda. Certeza que o clube deve estar de olho no mercado. Quando encontrei o Leandro Guerreiro no Morumbi fiz questão de perguntar a ele o que ele achava do fim do futebol do Rigoni, e ele disse que era fase. Até hoje fico perguntando a mim quanto tempo dura uma fase. A da lua dura uma semana.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes