Além das 4 linhas – O foco

100

O SPFC tinha o foco espalhado pelas duas copas e pelo BR22, mas o tempo passou e as copas passaram na frente em função das campanhas em cada campeonato. Em tiro curto é mais fácil focar, basta uma vitória para muita coisa mudar na cabeça de todos. Talvez o divisor de águas tenha sido a passagem pelo Palmeiras, ou a soma disso com a má campanha no nacional, onde as ausências fizeram a diferença para pior, já que jogadores como Arboleda, Reinaldo, Luan, Colorado, Nikão, Alisson e Patrick não puderam jogar muitas partidas.

Muitas lesões somadas a jogadores que não renderam o esperado fizeram o time cansar e o rendimento cair. Sem dinheiro não se contrata jogador que chega e resolve, sem dinheiro se contrata apostas, que nem sempre terminam bem, esta é verdade. O exemplo do goleiro é claro, ou seja, o clube não foi buscar uma solução definitiva, trouxe mais um “reserva”, apesar de sabermos que Felipe Alves fez bom trabalho com RC no Fortaleza, onde ganharam tudo que podiam ganhar juntos. Rigoni foi uma aposta que durou pouco. Eder é outra aposta perdida e cara. Colorado parece que também pode ser até dispensado e o Gabriel, depois de um início de pouco futebol, parece ter encontrado um bom caminho, esta aposta deu certo. São exemplos. Uma lista de contratados em 2021 e 2022 mostra bem a evolução no nível dos contratados conforme a administração foi se desenvolvendo e o treinador participando mais. Nesta temporada, já foram dez reforços confirmados: Jandrei, Rafinha, Alisson, Nikão, Patrick, André Anderson (empréstimo), Andrés Colorado (empréstimo), Marcos Guilherme, Galoppo e Felipe Alves (empréstimo). No ano passado, foram outras nove contratações: Benítez (empréstimo), William, Orejuela, Bruno Rodrigues, Miranda, Rigoni, Eder, Calleri e Gabriel Neves (empréstimo). Os quatro primeiros desta lista e o Rigoni já deixaram o clube.

O clube prometeu que logo após resolver as pendências do passado as contratações subiriam de nível, isso parece estar acontecendo com Galoppo e a dupla Nahuel, caso realmente venham. O atacante Bustos parece ter muito potencial para jogar como 9 ou como ponta. O zagueiro Ferraresi não parece ser mais um que chega para o banco, falam bem dele. Jogadores comprados pelo grupo City devem ter potencial. Os dois últimos poderão jogar a Sula caso venham e nosso clube passe pelo Ceará.

Publicidade

Estes dois negócios com o grupo City podem abrir uma boa porta de parceria estratégica com gente de poder, dinheiro e conhecimento administrativo dentro do futebol. Isso é tudo o que o SPFC precisa para voltar ao topo. Aliás, se o nome passasse a ser SPFC de São Paulo futebol City eu ficaria imensamente feliz, nem precisa contratar o Pep Guardiola….rs.

Eu tenho muita fé no trabalho do RC como treinador, para dizer a verdade, o vejo tirando tudo o que o atual elenco pode dar. Quero ver agora com o retorno de muitos contundidos e a chegada de bons reforços. Tomara o clube consiga passar pelo Ceará e enfrentar a próxima fase já com elenco reforçado. O planejamento é ter um grupo forte e o trabalho já maduro em 2023, mas se tudo der certo, ainda em 22 poderemos ver coisas boas dentro de campo, como já vimos em 2021, diga-se, com o paulista conquistado sobre o poderoso palmeiras.

Os lacradores continuam a criticar, isso é a lei da ignorância, nós sabemos que analisar com mais profundidade, calma e isenção não é para qualquer um mesmo. Criticar é fácil. O mundo não precisa de gente nos criticando, o mundo precisa de gente unida em torno de grandes ideais. Mas hoje o Morumbi estará lotado, isso que importa.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes