Melhor do São Paulo, Pato só fez dois jogos inteiros, mas absolve Muricy

50

Lancenet

Atacante disputou 13 partidas na temporada e marcou oito gols, mas quase sempre é substituído; Em clássicos, aproveitamento do artilheiro por Muricy é ainda menor

Em meio à crise por mais uma derrota do São Paulo em clássicos na temporada, Alexandre Pato segue sendo um dos poucos atletas perodados pela revoltada torcida. Esse crédito deve-se aos oito gols marcados em 13 partidas em 2015, números que dão esperança à torcida, mas que não são suficientes para o camisa 11 ser intocável no time.

Das 13 vezes em que esteve em campo, Pato só jogou os 90 minutos em duas oportunidades: Danubio (URU), pela Copa Libertadores da América, e São Bento, pelo Campeonato Paulista. Na última quarta-feira, na derrota por 3 a 0 para o Palmeiras no Allianz Parque, ele foi sacado do time aos 21 minutos do primeiro tempo para dar lugar a Edson Silva, que recompôs a defesa após a expulsão de Rafael Toloi.

E MAIS:
> Indignado, vice do São Paulo promete conversa com elenco após vexame
> Lucão lamenta expulsão de Toloi e Carlinhos diz: ‘Todos fizeram pouco’
> Dudu nega cotovelada e vê expulsão de Rafael Toloi como justa

– Fiquei chateado com a alteração, mas o professor é quem manda é tenho de respeitar. A opção é do treinador. Óbvio que sai chateado, você não quer sair do jogo, mas tem que respeitar sempre o professor. Não tem nada demais – minimizou o atacante.

são paulo x danubio, alexandre pato comemora (foto:Miguel Schincariol)

Pato já havia saído chateado em uma substituição no ano passado, em empate por 2 a 2 com o Flamengo no Campeonato Brasileiro. O artilheiro da temporada, no entanto, sempre faz questão de atribuir a Muricy Ramalho seu crescimento em 2015. Por esse respeito do atacante, o técnico fez questão de conversar com o pupilo e explicar a alteração no Choque-Rei.

– Jogador nenhum gosta de sair, mas tinha que fazer a mudança. Cumprimentei ele e conversei no vestiário. E é só isso. Jogador nenhum gosta de sair – encerrou o comandante são-paulino.

Mas se é a grande esperança tricolor no ano, Pato tem sido pouco aproveitado nos jogos decisivos. Seja por acaso, problemas burocráticos ou opção técnica. Contra o Corinthians, nas duas derrotas, foi impedido de atuar por cláusula contratual. Contra o Santos, no empate em 0 a 0 na Vila Belmiro, jogou 30 minutos no segundo tempo. Contra o San Lorenzo (ARG), se lesionou no início da partida, tentou ficar em campo, mas saiu aos 17 minutos da primeira etapa.