‘Mimado’ para a oposição, Aidar se protege com carta e aliados

57

LanceNet – Bruno Grossi 

Com Aidar de olho, Muricy define Tricolor para a Libertadores (Foto: Ale Cabral/LANCE!Press)

Carlos Miguel Aidar acordou na última sexta-feira e recebeu de seus pares a orientação para escrever carta de apoio a Muricy Ramalho. A ideia era combater as especulações sobre o suposto atrito com o técnico e a pressão interna provocada por conselheiros rivais.

Na visão dos aliados do mandatário, a alta cúpula está sendo fritada com Muricy por membros do Conselho Deliberativo que formam a nova oposição. A reclamação é que os rivais estão sendo vaidosos demais, não estão trabalhando pelo bem do clube e, por fim, tentando voltar a torcida contra o técnico e este contra o presidente.

Um membro da oposição traz versão completamente distinta do tema e até ironizou a linha de raciocínio da situação. Segundo essa fonte, culpar os oposicionistas e o ex-presidente Juvenal Juvêncio tornou prática comum e simplista no mandato de Aidar, que passou a ser visto pelo grupo como “menino mimado”.

Publicidade

Os aliados do mandatário alegam que a carta de apoio a Muricy serviu para responder a oposição contra as acusações de que Aidar vinha se escondendo atrás de Ataíde Gil Guerreiro, vice-presidente de futebol. Os oposicionistas, mais uma vez, discordam e acham que o melhor era mesmo seguir em silêncio.

Sobre a desconfiança de Muricy em relação às críticas da torcida, a situação bate o pé e assegura que isso é resultado das ações dos rivais políticos. A resposta para isso é ácida:

– Não é nossa culpa que o presidente atendeu a organizada em frente à imprensa e se deixou fotografar no carnaval com eles. Coincidentemente, depois o Muricy passou a ser criticado por esses torcedores que sempre o apoiaram. Acho que o Muricy tem razão para desconfiar de algo – disse um conselheiro.