Breno se diz pronto para provocações dos rivais e afirma: “Nunca mais bebi”

56

GloboEsporte.com

Marcelo Prado

Zagueiro foi preso na Alemanha por ter colocado fogo na sua casa. Preparado para enfrentar os adversários, ele revelou que o assunto é brincadeira no São Paulo.

O zagueiro Breno ficou três anos preso na Alemanha por ter incendiado a casa que morava com sua família. O episódio marcou a vida do jogador, que contou com a ajuda do São Paulo para dar a volta por cima. Hoje, além de reconhecer os erros que cometeu, ele garante: está pronto para qualquer provocação adversária que possa sofrer.

Esbanjando bom humor, o zagueiro revelou em entrevista coletiva nesta segunda-feira que sofre com as brincadeiras dos próprios companheiros dentro do CT da Barra Funda.

– Sou tranquilo, não ligo de brincadeiras assim. Pode provocar, levo numa boa. Aqui mesmo brincam, o Wesley vive falando cadeia. Não ligo, acho até legal. Hoje mesmo o Wesley comentou: “Legal que o Breno vai dar coletiva, né? Até outro dia estava preso”. É uma brincadeira sadia – afirmou o jogador, rindo bastante.

Quando foi pedido se ele podia dar algum conselho a jogadores que estão começando a carreira, o atleta respondeu de primeira: evitar a bebida.

Breno São Paulo (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)
De volta ao time, Breno se diz pronto para provocações (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

– Acho que os jogadores têm de saber que bebida alcoólica é complicado. Só eu sei o quanto foi difícil essa luta. Nunca mais bebi uma gota. Fu para um país número um, mas o idioma era difícil, muito frio e um povo difícil de lidar. Mas não vou criticar ninguém. Isso já passou, quero pensar para frente, em ajudar o São Paulo. Tenho muito a conquistar por aqui – disse.

Durante a coletiva, o problema ocorrido na Alemanha foi lembrado várias vezes. Com paciência e tranquilidade, Breno respondeu a todas as perguntas.

– Sou um exemplo para os meus filhos. Sei o que fiz no passado, o que errei e paguei por isso. Tem de sair de cabeça erguida sempre, porque paguei por todos os erros e agora posso pensar em coisas boas. Como reestrear com a camisa do São Paulo. O acidente foi por conta de bebida, algo exagerado, saí de mim. Nunca tive problemas psicológicos – afirmou o defensor.

Para o defensor, ter voltado ao time no Dia dos Pais foi motivo de muita emoção.

– Como o São Paulo colocou o nome dos pais na camisa, pude tirar uma foto e mandar para o meu pai antes da partida. Minha família estava no estádio, minha esposa ficou muito emocionada. Só ela e meus filhos sabem por tudo que passamos.  E ajuda do São Paulo também foi fundamental. Quando eu estava lá dentro (preso), eles deram a mão para mim e me ajudaram – lembrou.